VeriSign reforça estratégia por domínios .com e .net


30/08/2005

A VeriSign, fornecedora de estrutura e serviços para internet e telecomunicações, está reforçando a estratégia para aumentar o número de domínios .com e .net no Brasil. As razões defendidas pela companhia para que as empresas adotem esses registros são maior abrangência e presença na web, além de ser um domínio de apoio para o principal.

Outra vantagem apontada é que não é necessário um CNPJ como no caso do .com.br. “Dessa maneira, um profissional liberal, por exemplo, pode ter seu domínio e seu site sem precisar abrir uma empresa”, afirma Ricardo Vaz Monteiro, diretor da Nomer.com, primeiro distribuidor autorizado pela VeriSign a comercializar o .com e o .net. “Além disso, os nomes podem ter caracteres especiais, como acento e cedilha em português ou caracteres de outros idiomas, o que pode ser bastante útil para negócios que querem focar em regiões espefícas”, complementa Erica Saito, gerente de marketing da VeriSign para a América Latina. A empresa identificou a necessidade de educar os usuários sobre esse tipo de domínio. Por isso, além de campanhas em mídias impressa e online, a VeriSign está divulgando sua iniciativa pelo site www.registreseu.com, e pela participação em eventos. O total investido nessas campanhas é de 500 mil dólares. A empresa também está em busca de novos parceiros que comercializem o .com e o .net.

Desde o início do ano, a VeriSign vem investindo no País, tido como importante base de crescimento na América Latina. Por isso, o Brasil será um dos 14 destinos que receberão novos servidores da empresa, dobrando o número de servidores existentes no mundo. “Entre a instalação do servidor e todo o esforço para promover domínios, estamos aplicando 1 milhão de dólares, inicialmente”, diz Erica.

Segundo relatório divulgado pela companhia, o total de registros está em 82,9 milhões no mundo. Desses, quase metade pertencem à VeriSign, que registrou um aumento de 74% de sua receita no terceiro trimestre fiscal de 2005 comparando com o mesmo período do ano passado. Parte desse resultado vem da aquisição de diversas companhias.

Jordana Viotto é repórter da revista InformationWeek.

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *