Internautas preferem publicidade do que propaganda na internet No ratings yet.

26/07/2008

Ricardo Prates Morais
 
A diferença entre propaganda e publicidade é que a primeira é uma divulgação patrocinada e a publicidade está mais relacionada ao ato de divulgação. Se olharmos por esse ângulo as alternativas de divulgação através da internet, veremos que alguns formatos são mais invasivos do que outros. Claro que aqui estou diferenciando invasivo de eficaz.
 
A campeã da intromissão é a pop-up. Apesar da maioria dos internautas não gostarem daqueles anúncios que "pulam" na tela e atrapalham a navegação, a pop-up contiua sendo utilizada principalmente pelos grandes portais. Por tudo que já me falaram e que já li, poucos prestam atenção nesses anúncios, a não ser no momento de fechar a janela. Isso quando os navegadores permitem que as pop-ups abram. Em muitas situações, as pop-ups não são nem vistas pelos usuários.
 
Considerando formatos publicitários que utilizam imagens, os banners são mais indicados para divulgar uma mensagem e fixar marca porque pelo menos estão sempre presentes no site. Mas na verdade, seja quais forem os tamanhos e formatos dos banners, esse tipo de publicidade está, há muito tempo, em decadência. A publicidade em banners não é, nem de longe, uma das mais utilizadas pelos anunciantes. Ocorre que estes, principalmente as empresas menores, precisam de resultados e este não é o formato mais indicado quando nos referimos à audiência qualificada, conquista de clientes e vendas.
 
Hoje em dia, com com as novas tecnologias, o advento da banda larga e a mudança no comportamento dos internautas, um novo formato poderá se tornar numa poderosa alternativa publicitária que é a publicidade em vídeos, impulsionado pela web 2.0 que facilitou a veiculação do conteúdo gerado pelos internautas em sites de comunidades e redes sociais. Porém ainda existem lacunas e dúvidas que precisam ser resolvidas para que a publicidade em vídeos seja fortalecida. O próprio YouTube enfrenta dificuldades nesse sentido decepcionando inclusive o gigante Google. Atualmente, apenas 4% dos vídeos disponíveis no YouTube permitem a inclusão de anúncios previamente aprovados pelas empresas e parceiros. A verdade é que a grande maioria dos vídeos é produzida de forma independente por internautas que não permitem a veiculação de anúncios.
 
Queiram ou não, um dos formatos mais utilizados, que proporciona resultados e ainda por cima com baixo custo, é o e-mail marketing, seja o autorizado ou o spam. Comunicar-se com clientes e usuários é importante, sem dúvida, e fortalece a imagem da empresa junto desse público. Ações que tenham o objetivo de divulgar a empresa, seus produtos ou serviços, com objetivo de ampliar a participaçao no mercado e conquistar novos clientes é, hoje, o principal motivo que faz as empresas, grandes ou pequenas, investirem em campanhas de e-mail. Apesar de, na vitrine todo mundo se posicionar contra o spam, por baixo dos panos, os mesmos que carregam essa bandeira, de uma forma ou de outra, estão envolvidos em campanhas de e-mail, seja como anunciantes, prestadores de serviços ou fornecedores de mailings, por exemplo, como fazem a maioria dos grandes portais.
 
Mas não adianta nada, o campeão, o primeiro lugar na preferência dos anunciantes e dos consumidores é ocupado pelos sites de busca. Cada vez mais as empresas entendem a importância de ter um site bem posicionado nos sites de busca. Seja nos links patrocinados ou nos resultados orgânicos. Ambos espaços são importantes e sempre indicamos a nossos clientes as duas possibilidades. Porém é fácil detectar a grande vantagem de investir na otimização correta de um site para o seu posicionamento nos buscadores. A principal diferença é o investimento. Enquanto os anúncios patrocinados exigem o direcionamento de verbas de foma constante, um site devidamente otimizado e com um page rank elevado vai aparecer nas primeiras posições dos sites de busca por tempo indeterminado, independente de quantos cliques o site obtenha. Estou falando de centenas ou milhares de visitantes durante vários anos, e não meses.

Como se isso não bastasse, existe também o fato de que a maioria dos internautas presta mais atenção nos resultados orgânicos das buscas do que nos patrocinados. Voltando ao início do texto podemos verificar também outra diferença. Os links patrocinados são propagandas, ou uma divulgação patrocinada, enquanto os sites que aparecem nos resultados orgânicos são listados conforme a importância do conteúdo que têm, o que é sempre levado em conta pelos internautas.

Ricardo Prates Morais é consultor em web marketing da agência emarket e editor da emarket News e do blog Publicidade na Web.

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *