Internet aumentou autoconfiança de 48% dos usuários brasileiros

19/03/2012

 

Uma pesquisa realizada pela TNS revelou que a internet aumentou a autoconfiança dos brasileiros. No Brasil, 38% dos internautas declararam que a web os ajudou a ficarem mais autoconfiantes. A média geral dos países emergentes foi ainda maior: 44%. Nos mercados desenvolvidos a porcentagem é bem menor, cerca de 19%.
 
O estudo revela que avanços em infra-estrutura nos países em desenvolvimento possibilitaram o acesso ao mundo digital. Mais do que trazer novas oportunidades, quando o consumidor passa a ter acesso a mais serviços – na rede são inúmeros – ele começa a encontrar na web mais espaço para expressão. Consquentemente, com mais meios, possibilidades e voz, os usuários confiam mais em si mesmos.
 
Dados indicam que uma média de 33% dos internautas emergentes escreve semanalmente em seu próprio blog, contra apenas 18% nos países desenvolvidos. Além disso, os resultados do estudo confirmam a tese de que a internet pode se tornar viciante para os internautas iniciantes. “Os maiores índices de engajamento foram verificados justamente nos mercados emergentes onde havia restrição de acesso em um passado recente”, declarou Juan Londoño, gerente regional de pesquisa interativa da TNS para a América Latina.
 
Com mais chances e disposição dos próprios usuários para a interação, esta pode ser uma ótima oportunidade para as empresas que querem se comunicar. Principalmente nos países emergentes, onde o meio é algo totalmente novo para os usuários, que não acompanharam um processo gradual de implementação da tecnologia como os países subdesenvolvidos.
 
Para Londoño, esse é o momento ideal para que as empresas estabeleçam uma conexão emocional com seus consumidores na rede: “nossa experiência mostra que, conforme os usuários tornam-se mais experientes, naturalmente, eles se tornam mais céticos e criam uma barreira contra ações publicitárias na rede”.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.