Telemar testa vídeo sobre ADSL no Rio e em BH


09/06/2005

A Telemar realiza, já há três meses, testes para transmissão de vídeo na rede ADSL nas cidades de Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Segundo André Bianchi, diretor de estratégia corporativa e novos negócios da operadora, o teste acontece com tecnologia de compressão MPEG-2, e que por isso é necessária a entrega de um banda de 4 Mbps para o usuário.

Em termos comerciais, a Telemar acredita que esse produto, pela necessidade de banda inerente, será apenas para o público de alto poder aquisitivo, e que seria perfeitamente possível oferecê-lo em regiões isoladas, como Leblon, Ipanema ou alguns condomínios da Barra da Tijuca. Não seria possível ter o produto para toda a rede pelas dificuldades técnicas. A Telemar ainda não tem parceiros de conteúdo porque está em fase de testes. “Dependerá de negociações”, diz, lembrando que a operadora não pretende produzir conteúdo. Ele também aponta a questão regulatória como um dos desafios antes de entregar um serviço de vídeo. “Não temos licença para broadcast em cima de ADSL – no caso de oferta de grade de canais simultaneamente.

A Anatel tem que se mexer, adaptar a licença de SCM, rever as restrições da Lei do Cabo. Hoje só é possível a uma empresa de telecomunicações entregar pay-per-view e video-on-demand”.

Os testes da Telemar estão passando agora para cerca de 40 usuários e o lançamento comercial do serviço ainda pode ocorrer este ano. A empresa não descarta ainda parcerias para triple play com empresas de DTH, MMDS e WiMax. A empresa investe na modernização de sua infra-estrutura com uma rede de nova geração (NGN) em algumas cidades. A Telemar chega hoje a 25 milhões de domicílios, dos quais 700 mil da classe A; 2,5 milhões da B; e entre 5 milhões e 7 milhões da C.

Fonte – TELETIME News

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.