A união que faz a força (de vendas) na Internet

31/05/2010

Pequenas e médias empresas apostam em redes sociais para alavancar negócios e gerar receita

Carla Falcão, iG

Twitter, Facebook, YouTube, Foursquare, Slideshare, Vimeo e Flickr. Poderia ser a lista de algumas das ferramentas e aplicações disponíveis em um grande evento geek, voltado às pessoas plugadas em novas tecnologias. Mas, há algum tempo, essas e outras mídias sociais representam o novo arsenal de pequenas e médias empresas para reforçar o conhecimento da marca e fidelizar clientes na esperança de gerar resultados financeiros concretos. Casos como o da Tecnisa, que vendeu apartamentos pelo Twitter, e da Azul, que turbina suas vendas graças a promoções-relâmpago divulgadas em comunidades virtuais, são citados com entusiasmo por empresários que agora apostam no poder da Web 2.0.

Ricardo Perrotta, diretor da área de social media da agência All in Media, não tem dúvidas de que o sucesso já conquistado neste campo por grandes empresas seja um dos maiores estímulos para pequenas e médias investirem em redes sociais. “Os resultados demonstrados por companhias como a perfumaria online que em seis meses reduziu em 92% o número de reclamações recebidas pelo serviço de atendimento ao consumidor após se aproximar de seus clientes via mídias sociais, representam um forte apelo para os pequenos e médios empreendedores”, afirma.

A Giuliana Flores é uma dessas companhias. A floricultura virtual investe há um ano em mídias sociais, com forte foco no Twitter. “Temos quase 600 seguidores e registramos inúmeras vendas estimuladas por nossos tweets”, conta o diretor da Giuliana Fores, Clovis Souza. Os resultados foram tão expressivos que a floricultura acaba de fechar contrato com uma consultoria especializada em administrar redes sociais. O objetivo é profissionalizar a participação na Web 2.0, expandindo para Facebook, Orkut, blogs e outras ferramentas. “Receber feeddback constante e também aprender a usar a linguagem dos internautas de acordo com cada grupo ou comunidade são alguns de nossos objetivos com a contratação dessa consultoria”, diz Souza.

Especializada em pisos e revestimentos, a Madeira Madeira usa as mídias sociais para vencer a resistência dos consumidores em comprar materiais de construção e reforma pela Web. No canal da empresa no YouTube , clientes em potencial e formadores de opinião como arquitetos podem assistir vídeos explicativos sobre a instalação e manutenção de materiais, comerciais de fabricantes e orientações sobre diversos produtos. Já no blog da empresa, o conteúdo é bastante diversificado, incluindo sugestões de livros e revistas especializados em arquitetura, dicas para a casa e imagens de grandes obras da arquitetura moderna. A companhia não divulga números, mas garante que os esforços são mais do que recompensados com um aumento percentual consistente nas vendas.

“Estamos sempre buscando conteúdos relevantes para nossos clientes e consumidores em potencial. E também investimos em diferenciais como o envio de amostras grátis para as pessoas que têm interesse em comprar determinado material. Temos consciência de que não adianta estar presente nas redes sociais se a loja virtual é fraca e se as informações são atualizadas somente após longos períodos”, afirma o diretor da Madeira Madeira, Daniel Scandian.

Conteúdo nas mídias sociais tem que ser relevante
A estratégia da Madeira Madeira de apresentar temas de interesse nos canais de comunicação online da empresa está correta, avaliam consultores. Para estabelecer um relacionamento com os internautas em redes sociais, a palavra de ordem é relevância, resume o diretor da consultoria especializada Full Hauss, Pablo Caldas. Para ele, o resultado financeiro é conseqüência da construção de um bom relacionamento. Antes de ganhar dinheiro na Web, as empresas devem fortalecer a marca e a imagem, defende.

Para tanto, é preciso se apresentar em pé de igualdade aos internautas. Usar um discurso puramente comercial em comunidades ou blogs pode ser fatal para a estratégia online. “A abordagem deve ser completamente diferente. Não se pode esquecer, por exemplo, que os consumidores e internautas em geral passam também a gerar conteúdo sobre a empresa, que precisa estar disposta a ‘ouvir’”, diz Caldas.

Empresa 100% online criada em novembro de 2008, a Wine Vinhos identifica nas mídias sociais três grandes oportunidades: apresentar conteúdo interessante, oferecer produtos e promoções diferenciadas e aprimorar o atendimento aos clientes. Com mais de 1,3 mil seguidores em seu Twitter, e quase 400 participantes em suas comunidades no Orkut e no Facebook, a Wine acaba de lançar um blog. Seguindo a tendência apontada pelas consultorias, o espaço prioriza artigos sobre a história do vinho, dicas de harmonização dadas por sommeliers e matérias sobre regiões produtoras. “Nosso objetivo é fazer com que o internauta que visita o blog se identifique com nossa marca”, afirma Anselmo Endilich, diretor de marketing e de TI da Wine.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.