Detalhes podem decidir sucesso ou fracasso de um site

28/11/2006

A idéia de que se você construir eles virão pode ter funcionado para Kevin Costner no filme Campo dos Sonhos, mas certamente não funciona para websites. Construa um site de aparência ruim, cheio de texto mal escrito, e seus potenciais clientes vão embora sem dó. Construa um que é atraente, convincente e inteligente, e erros crucias de design ainda farão com que poucas pessoas saibam que seu site existe.

Seu website é como um cartão de visitas digital, dizem os designers. É a primeira olhada on-line em sua empresa que o cliente tem. Com sorte, não será a última.

Um site precisa ter conteúdo viciante, diz Vincent Flanders, um consultor de web design na região de Seattle, EUA, que criou o webpagesthatsuck.com, um site que analisa por que algumas páginas não funcionam. As pessoas precisam estar dispostas a se esgueirar por um cano de esgoto para isso.

Não são apenas pequenas empresas que cometem erros em seus sites. Grandes companhias podem ser tão ruins quanto em grandes erros de design.

Uma companhia global diz em sua página de abertura que Ferramentas de gerenciamento de carreira comprovadas e nativas associadas a uma série abrangente de iniciativas integradas evoluíram para garantir que os empregados continuem a sustentar uma cultura de alto desempenho, e o recrutamento e a seleção são baseados nas competências necessárias.

Isso é só jargão, diz Flanders. As palavras não são compreensíveis por seres humanos.

Segundo Jakob Nielsen, um consultor de web sites e autor do livro Priorizando a Usabilidade da Web, é essencial que uma página envie a mensagem da companhia rapidamente, porque os visitantes são fugidios. A maioria não vai além do que está na sua cara.

Estudos feitos pela empresa de Nielsen, a firma de design de internet Nielsen Norman Group, em Fremont, Califórnia, mostram que apenas 50% dos visitantes da web descem por uma página para ver o que há além da parte visível em seu monitor de PC.

Os usuários gastam 30 segundos avaliando a home page, diz Nielsen. Uma empresa precisa explicar o que faz em muito poucas palavas.

Com descobertas como essas, não é surpresa que as páginas tenham de atingir em cheio o visitante, em termos visuais. Se um site não responde às perguntas do usuário sobre uma empresa, a concorrência acaba de somar um ponto. Por exemplo, a primeira coisa que os consumidores querem quando visitam o site de um restaurante é quando está aberto. Mas muitas vezes essa informação só é encontrada após uma navegação por muitas outras páginas. Como resultado, o site fracassa, diz Nielsen.

É questão de destacar o básico, diz Baris Cetinok, diretor de gerenciamento de produto do Office Live, da Microsoft, um site que oferece hospedagem gratuita na web e ferramentas de design para pequenas empresas.

Os visitantes precisam imediatamente saber quem você é, o que você faz e como as pessoas podem chegar até você, diz Cetinok.

Além de boa gramática, Nielsen sugere que as companhias listem um endereço físico, incluam uma foto do prédio e não peçam a potenciais clientes que preencham formulários para simplesmente fazer uma pergunta. Isso imediatamente comunica perigo, diz.

Fazer um site ficar bonito é complicado pelo fato de que não necessariamente dois monitores mostraram a página do mesmo jeito. Os usuários podem configurar o tamanho padrão de suas fontes para que fiquem maiores ou menores, de forma que é impossível saber exatamente como o texto irá aparecer para cada um.

E o quanto da página de abertura de um site pode ser vista pelos usuários varia, dependendo da resolução da tela.

Os problemas são complicados por designers que estão em Los Angeles ou Nova York, e não, digamos, Texas, pois eles pensam que todo mundo tem um monitor grande e uma conexão rápida, diz Neil Hettinger, co-proprietário da Lead Pencil Ad Design, uma companhia de design e marketing em Manhattan Beach, Califórnia. Ele sugere a mistura de texto e gráficos num website, com texto escuro contra um fundo claro para facilitar a leitura.

Se você está vendendo um produto, use imagens em miniatura (thumbnail) que podem ser ampliadas ao serem clicadas, diz Nielsen, não um gráfico que pode ser girado em todas as direções. Caso contrário, você verá produtos em ângulos esquisitos.

A regra mais importante em design de web é eliminar design desnecessário, diz Flanders. Ele recomenda não adicionar gráficos grandes e giratórios que levam um longo tempo para carregar.

Ele também aconselha donos de empresa a não adicionar imagens introdutórias espalhafatosas que forçam o usuário a ver um vídeo ou uma animação.

Páginas splash são necessárias apenas para pornografia, cassinos e sites de multinacionais que precisam direcionar os usuários para a página de um país em particular, diz Flanders.

Gráficos também não fazem nada para ajudar um site a ser descoberto por mecanismos de busca como Google ou Yahoo. Esses sites vasculham a internet por palavras-chave, assim como a freqüência e qualidade de um site que se liga a outro.

Texto dentro de imagens, como o nome de uma loja numa fotografia, não pode ser visto por mecanismos de busca. E a velha prática de incluir palavras-chave em letra branca com fundo branco não aumentará o ranking de um site; na verdade fará o oposto.

A primeira vez que uma palavra é usada num site é significante, diz Matt Cutts, um engenheiro de software da Google. Se aquela palavra é usada 50 vezes, há um retorno diminuído.

Se você coloca palavras escondidas no seu site, você é um idiota completo, diz Flanders. Você será pego pelos mecanismos de busca, ou outros vão te entregar.

Se a sua empresa atual localmente, faça com que a área geográfica inteira que você atende seja mencionada em texto no seu site. Para aumentar o número de sites que se ligam ao seu, liste seu negócio em diretórios on-line, e mencione-o  em vários blogs.

A Google oferece ferramentas gratuitas de webmaster que automaticamente analisam um site para determinar se ele está sendo otimizado por mecanismos de busca.

No final, arrumar um lugar proeminente num mecanismo de busca é o único modo de garantir que o seu site será visto pelos que podem aumentar seu negócio.

Se o seu site não estiver listado na primeira página de resultados de busca, você pode muito bem não existir, diz Nielsen.

Do New York Times

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.