O planejamento no processo de desenvolvimento de um projeto web


“Dois amigos foram acampar na floresta e de repente viram um tigre se aproximando. Um dos rapazes calçou seus sapatos de corrida e o outro perguntou: ‘Você realmente acredita que esses sapatos vão fazê-lo correr mais do que aquele tigre?’. ‘Eu não preciso correr mais que o tigre’, foi a resposta. ‘Eu só preciso correr mais que você.’ Indústria após indústria, a Internet é o par de sapatos de corrida que pode mantê-lo à frente das forças ferozes da mudança.”

Este trecho foi extraído das primeiras páginas do livro “Webonomics” (“Webeconomia”, publicado em português pela Makron Books), do guru Evan Schwartz, escrito em 1997. Naquele ano a Internet comercial começava a despontar por aqui. E parece que foi ontem, a euforia, o deslumbre, o dinheiro fácil. O importante não era ser o melhor, aliás, não precisava nem ser bom, tinha é que ser o primeiro.

De lá pra cá muitos projetos surgiram, muitas empresas nasceram, e sobretudo muitos desapareceram. Agora sim estamos numa época boa para o e-business. Vivemos um período de crescimento menos acelerado, porém mais estruturado, mais consciente. A diferença é que agora há planejamento.

Um projeto Web, como qualquer outro, deve ter um planejamento bem elaborado, com objetivos claros. O planejamento é uma técnica, e como tal se aplica de acordo com a situação e a finalidade. O papel do planejamento é orientar o esforço do trabalho para a obtenção de um resultado previamente definido.

Essencialmente, um projeto web é composto da união entre marketing, design e tecnologia da informação. Portanto o planejamento deve estar presente na concepção estratégica, na criação do projeto gráfico e no desenvolvimento tecnológico.

O processo de planejamento envolve a análise interna da empresa, do seu macroambiente e do seu mercado, a identificação de oportunidades, a criação das estratégias, a elaboração do plano do projeto, e a administração e controle do desenvolvimento. Sendo assim, o planejamento está presente não apenas no início, mas também na organização e no acompanhamento de todas as etapas envolvidas no processo de desenvolvimento do projeto Web, que podem variar de acordo com seu o tamanho e complexidade. Projetos mais complexos pedem abordagens minuciosas, projetos mais simples podem permitir a omissão de detalhes ou formalidades em algumas etapas. Mas toda decisão deve estar alinhada com o planejamento.

Para entender o panorama atual do mercado de e-business sugiro olharmos para trás e observarmos dois perfis bem distintos. No final da década de 90 quando a Internet começou a ser encarada como uma oportunidade de negócio, surgiu o pioneiro, que disputava uma corrida do ouro e por isso lançou o seu primeiro site na frente, feito pelo sobrinho que entendia de computação. E havia o conservador, que nunca acreditou nessa tal de Internet, sempre achou que isso não tinha a ver com o seu negócio, e portanto não traria benefício algum para sua empresa.

Agora procure saber onde eles estão hoje.

O pioneiro com mais recursos já está na décima versão do site da sua empresa. O sobrinho entrou pra faculdade e fez um site melhor com o grupo do projeto final, e mais tarde ele contratou uma empresa séria, com uma equipe inteira de especialistas que desenvolveu um projeto mais adequado. Mais bem planejado. Esse pioneiro hoje já é entendido, ofereça um planejamento melhor – se puder – e ele comprará a sua idéia.

Aquele pioneiro que não teve o mesmo fôlego, hoje está louco pra refazer o seu site. Ele continua com suas crenças, só que agora entende um pouco mais desse negócio. Agora ele sabe que para alcançar o sucesso esperado é preciso planejar. Pra quem desenvolve, está na hora de chegar com uma proposta bem elaborada.

Até aquele conservador hoje sabe que precisa ter a cara na Internet. Outro dia ligaram pra ele lá do Chile querendo conhecer melhor os seus produtos. O cliente disse logo “me dá o endereço do seu site pra eu dar uma olhada no seu portfolio”. Não é preciso vender pela Internet, isso ainda o assuta, mas o catálogo é caro pra imprimir e também leva tempo e mais dinheiro pra ficar mandando pelo correio. Este sujeito está louco por uma solução, mas talvez ainda não saiba disso.

Portanto, o mar está pra peixe. Podemos afirmar que o mercado de e-business está mais enxuto, mas ascendente. E cresce num ritmo mais inteligente, mais maduro. Os internautas estão mais experientes, os desenvolvedores mais sérios, e os clientes mais exigentes. Não há mais espaço para amadorismo, quem quer vencer deve se saber elaborar um projeto bem planejado para alcançar o sucesso esperado pela empresa.

Marcelo Velloso
Diretor de Planejamento
Sócio fundador da Kaus Mídia – www.kaus.com.br

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *