Espiritualidade nos negócios

Estranho, não? Quando ouvi este conceito pela primeiravez, confesso que não soou muito bem. Afinal, o quetêm a ver espiritualidade e negócios? Será uma espéciede empresa ou produto gospel? Será que eles querem meconverter? É alguma religião?!!!Não tenho nada contra as religiões ou qualquercorrente filosófica que use esses termos. Entretanto,aprendi que sobre futebol, política e religião, não sediscute. Ainda mais, misturado com negócios.A verdade é que todo o estranhamento que se possa terao ouvir a palavra “espiritualidade” vem do costumeque temos de associá-la com religiosidade, mas existeuma grande diferença entre elas. Não precisamos estarrestritos a uma religião para compreender e manifestara nossa própria espiritualidade.Valores morais e éticos, solidariedade, atitudepositiva e responsabilidade social são conceitosuniversais, que não estão limitados a uma religião.Contudo, têm a ver com esta compreensão espiritual decomo podemos contribuir para cuidar do meio-ambiente emelhorar a nossa vida em sociedade.O que você planta? O que você constrói? O que podemosfazer juntos? O que deixaremos como herança para aspróximas gerações? Tudo isso tem a ver com a percepçãoe o entendimento da nossa capacidade individual ecoletiva, para promover mudanças positivas,significativas e duradouras para a humanidade. Percebeu a diferença entre espiritualidade ereligiosidade?Sendo assim, gostaria de tranqüilizá-lo de antemão:esse artigo não vai tratar de religiões, seitas,cultos ou qualquer outra crença, ok? Espiritualidadenos negócios é um conceito neutro e imparcial, quevisa destacar valores e consciência humanitária.Pronto! Agora, podemos remover aqueles bloqueios epreconceitos que nos impedem de assimilar novosconhecimentos. Podemos descartar qualquer conclusãoprecipitada e iniciar um diálogo franco, sobre esteassunto que está revolucionando a gestão empresarialem todo o mundo.Você já deve ter ouvido falar de responsabilidadesocial das empresas, iniciativas do Terceiro Setor,ética empresarial e outros conceitos disseminados emlivros e publicações recentes sobre administração, mastalvez nunca tenha percebido a dimensão espiritual queestá por trás de todos esses movimentos.Quando se fala em espiritualidade nos negócios, não setrata de criar espaços alternativos para meditação oupromover orações entre os funcionários.Espiritualidade nos negócios tem a ver com a visãohumanitária e responsável que deve andar junto com asexpectativas de lucros dos gestores das empresas. Ouseja, acontece quando as pessoas que comandam umadeterminada organização compreendem a importância dedesenvolverem ações sustentáveis, em consonância comas aspirações e necessidades das comunidades que asmantêm.O poder econômico e político das empresas éindiscutível. Por isso, qualquer mudança significativana sociedade depende do apoio ou iniciativa direta dasempresas, que devem agir com mais responsabilidade.Entretanto, nada disso acontece enquanto não há umacompreensão espiritual desse papel na alta gestão dasempresas. Não basta desenvolver projetos motivados porincentivos fiscais, ou com o objetivo puro e simplesde associar sua imagem corporativa a uma açãopoliticamente correta. É necessário que haja um realcomprometimento da organização com o todo, partindo daprópria relação da empresa com seus empregados, até osprodutos que leva ao consumidor e sua contribuição como universo.A princípio, parece um grande discurso demagógico.Falar em espiritualidade nos negócios soa utópicodemais para a realidade nua e crua dos mercados, porémjá está acontecendo. Algumas das maiores empresas doBrasil e do mundo começaram a despontar cominiciativas pioneiras, apoiadas por ONG´sinternacionais e preceitos valiosos. Afinal de contas, o que é lucrar? Será que o termolucro está ligado somente a bens materiais?Para os céticos que permanecem distantes de tudo isso,fica o convite de participarem da oficina “Lucrartambém para o mundo – A Espiritualidade nos Negócios”,que acontecerá em São Paulo no próximo dia 4 de junhode 2002. Apoiada pelo Instituto Ethos – Empresas eResponsabilidade Social (www.ethos.org.br), a oficinaestá sendo organizada pela WBA – World BusinessAcademy (www.elos-wba.com.br) e visa promover umdiálogo sobre esses assuntos. A idéia é examinar asmudanças fundamentais que estão ocorrendo naslideranças e nas práticas de negócios., demonstrando apossibilidade de uma intervenção positiva imediata.Será uma oportunidade de complementar o Spirit inBusiness 2002 (www.spiritinbusiness.org), realizado emNova York entre os dias 21 e 23 de abril, com acoordenação conjunta de David Cooperrider, Peter Sengee Daniel Goleman. Na ocasião, mais de 500 pessoasentre empresários, consultores, representantes deONG´s e professores de todo o mundo se reuniram paradialogar sobre o futuro dos negócios, partindo daspremissas que:- nosso cotidiano de trabalho não pode mais permanecerseparado de nossa vida interior;- a ética e a economia da sociedade podem e devem serintegradas;- o sucesso dos negócios, no presente estágio dahumanidade, depende de desenvolvermos habilidades eadotarmos princípios que contemplem os ambientesnaturais, humanos e espirituais.Continua parecendo estranho? E se for verdade? Nãoseria maravilhoso?Pense nisso. O movimento já está acontecendo pelomundo afora.SERGIO BUAIZ – Pulicitário e Escritor – http://www.buaiz.com————————————————————Acompanhe o making of do meu novo livro:http://nos.blogspot.comLeia meus últimos artigos:http://www.widebiz.com.br/gente/buaiz

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *