Troca de vídeos rompe barreiras entre TV e internet

28/11/2006

Como uma gripe que se alastra, os vídeos estão passando da internet para a TV, da TV a cabo para os celulares e da internet para os portáteis.

Na tentativa de tentar conter essa epidemia, o site de hospedagem de vídeo YouTube entrou na Justiça norte-americana contra os criadores de ferramentas que permitem salvar no computador os vídeos do site. Segundo a empresa, a gravação contraria os termos de uso do YouTube.

Ao salvar um clipe no PC, também passa a ser possível gravá-lo em DVD ou transferi-lo para um tocador portátil. Uma das ferramentas para isso foi criada pelo site TechCrunch e, até o fechamento da edição da Folha, estava disponível em www.techcrunch.com/get-youtube-movie. Outros endereços que também oferecem mecanismos semelhantes são www.oyoom.com, www. benjaminstrahs.com/ itube.php e uma extensão para Firefox em javimoya.com/blog/youtube_en.php.

Não bastasse a polêmica, o YouTube ainda enfrentará um novo concorrente, o site Lycos (cinema.lycos.com), que, a partir de dezembro ou do início de 2007, começará a hospedar vídeos de seus usuários, que também poderão se agrupar em comunidades.

Outro a unir vídeos e contatos é o SyncVue (syncvue.com), que permite transferência de arquivos de vídeo e de áudio entre usuários do Skype. O inconveniente é o preço da licença: US$ 200.

No Reino Unido, estréia em 1º de dezembro um serviço do provedor de conteúdo sem fio 3 Group que levará ao celular canais de TV a cabo. Para isso, será preciso acoplar um adaptador à conexão de internet de banda larga e ao set-up box da TV a cabo. O celular permitirá ainda controlar à distância um gravador digital doméstico ou um gravador de DVDs.

MARIANA BARROS – da Folha de S.Paulo

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.