Tecnologia permitirá percorrer Second Life apenas com a imaginação

20/10/2007



TÓQUIO (AFP) — Cientistas japoneses encontraram uma maneira de percorrer o mundo virtual do “Second Life” usando apenas a imaginação, uma descoberta que poderia mudar a vida de pessoas paralíticas.


Segundo a equipe de pesquisadores do centro de reabilitação da Universidade Keio, vários estudos já haviam demonstrado ser possível deslocar o cursor do mouse na tela usando as ondas cerebrais. Esta é a primeira vez, porém, que a técnica é aplicada ao mundo virtual da Internet.


A tecnologia “permitiria a pessoas que sofrem de paralisia comunicar-se com os outros, manter negócios através de salas de bate-papo ou fazer compras em um universo virtual”, enumerou Junichi Ushiba, professor associado ao centro.


O “Second Life” é um mundo virtual inspirado nos jogos pessoais em rede que permite que o usuário tome qualquer tipo de decisão, desde assistir a um show a exercer a profissão de seus sonhos, formar uma família ou ir a um prostíbulo, aprender um idioma ou comprar uma ilha paradisíaca.


Esse novo universo foi criado em 2003 e, atualmente, é freqüentado por mais de oito milhões de internautas em todo o mundo.


Ushiba destacou que esta ferramenta poderá motivar pacientes com paralisias severas, que normalmente ficam deprimidas demais para iniciar um processo de reabilitação.


“Se puderem ver com seus próprios olhos como seus personagens se movem, isso poderá estimular sua atividade cerebral e permitir que restabeleçam certas funções físicas”, afirmou.


A tecnologia consiste em um equipamento cheio de eletrodos que são colocados na cabeça do usuário. Após a análise das ondas emitidas pelo córtex cerebral, a pessoa pode, então, movimentar um personagem no “Second Life” apenas com a imaginação.


A equipe de pesquisadores se prepara agora para testar o sistema em pacientes paralíticos e observar e analisar suas reações.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.