Tecnologia: nova arma da CIA para combater o terrorismo

[ Dan Verton – IDGNet Com tradução de IDG Now! ]Analistas e técnicos da CIA e da Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA ampliaram suas táticas ao redor do mundo para identificar terroristas e prevenir futuros atentados. Entre as medidas aodtadas, eles passaram a utilizar sofisticadas tecnologias para pesquisar e analisar comunicações trocadas via texto, áudio e vídeo. “Aumentamos nosso time de profissionais ao redor do mundo coletando informações e atividades supostamente ligadas ao terrorismo”, admitiu Philip Lago, secretário executivo da CIA. Tais operações também incrementaram o volume de técnicas utilizadas para captar informações – trocadas via telefone, rádio, texto ou gravações de vídeo – nos departamentos de inteligência e segurança americanos. O resultado: uma melhora considerável na demanda por tecnologia para ajudar a assegurar que os analistas não percam comunicações críticas ou códigos que poderiam ser utilizados para futuros ataques. Uma dessas tecnologias é o Name Reference Library, da Language Analysis Systems (LAS). O software analisa a origem dos nomes, diz se eles estão na ordem correta (cidadãos egípcios ou sauditas geralmente utilizam diversos nomes referentes a sua geração) e fornece uma lista das dez principais variantes ortográficas, bem como gêneros gramaticais. Por enquanto, os analistas da NSA, que são responsáveis pela interceptação e análise de centenas de terabytes de comunicações de dados, vídeo e voz – arquivadas em tempo real -, também estão obtendo ajuda de um sistema da empresa Fast Talk. O programa é capaz de quebrar uma palavra em fonemas, que podem, por sua vez, serem pesquisados por palavras-chave. O software restaura qualquer palavra, nome ou frase – independentemente da língua ou dialeto – com até 98% de precisão e até 72 mil vezes mais rápido que uma comunicação em tempo real. Os analistas podem então pesquisar 20 horas de áudio em menos de um segundo.

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *