Supermercados na internet: você sabe mesmo onde é mais fácil comprar?


12/05/2003

Hoje em dia, é comum fazer compras pela internet. Mas será que as interfaces dos sites estão realmente prontas para facilitar a vida do usuário nesta hora? Pensando nisso, dois pesquisadores da Ibmec Business School, Gustavo Adolpho Batalha Costa e Paula Misan Klajnberg, alunos da diretora do Laboratório de Usabilidade da instituição, Simone Bacellar Leal Ferreira, decidiram analisar as “caras” online de três grandes supermercados — Pão de Açúcar, Zona Sul e Sendas — para verificar sua eficácia no trato com o internauta.

Estudo partiu da dificuldade do público mais idoso

A metodologia foi simples: os pesquisadores escolheram um produto específico — o leite — e estudaram a navegação desde o momento em que a pessoa entra no site até a hora em que clica no link para efetuar o pagamento (o processo posterior, envolvendo formas de pagamento, entrega, etc., não foi analisado — eles se ativeram à usabilidade).

— Nossa idéia partiu da dificuldade que encontramos em pessoas mais idosas, sem prática de internet, de finalizar um processo de compras online — diz Gustavo, que já desenvolve sites há algum tempo e trabalhou junto com Paula em seis computadores diferentes na pesquisa. — Usamos várias regras de taxonomia, utilização de ícones, cores, tamanhos de fontes, que a professora Simone nos passou no laboratório, e que, se bem aplicadas, podem fazer a diferença num website. Veja bem: não analisamos se a página era bonitinha, mas a funcionalidade da interface.

No Zona Sul, uma das primeiras coisas notadas foi o feedback imediato para o internauta, com o espaço do carrinho já à mostra na home, e uma dinâmica que permite a mudança rápida de menus na parte superior do site. A ajuda online também está sempre presente, no mesmo lugar, em todas as URLs. Em compensação, há abas com uma grande quantidade de elementos, o que pode confundir.

— Todas as páginas apresentam os quatro ícones básicos: o logo, o menu principal, o carrinho e a ajuda. As informações são dispostas do mesmo modo — diz Gustavo.

É possível ver a lista em ordem alfabética, por preço ou por marca. E na hora do preenchimento, pode-se usar setinhas (embora não se explique para que servem) ao lado das lacunas para indicar a quantidade. O ícone do carrinho vai mostrando o valor a pagar automaticamente. Depois da escolha feita, o site solicita que a pessoa se cadastre.

— Já no caso do Pão de Açúcar, ele pede de cara o cadastro ou seu CEP, com formulários que precisam ser preenchidos na mão, o que pode levar a erros — diz Gustavo.

É preciso clicar num link para ir ao site de compras. E, segundo Gustavo, a maior parte da interface do supermercado não é focada para as compras online. Já o ícone com informações sobre uma compra segura na web é um ponto positivo. Mas o carrinho só é atualizado para os cadastrados; quem não é cai, ao clicar no ícone do carrinho, numa URL de login.

Já o site da Sendas apresenta uma interface bem focada em vender online, com as ofertas já na home page. Há menos itens no site, o que facilita a memorização, e as fontes são maiores. Embora não haja um espaço para o carrinho junto com a lista de compras, ela é atualizada numa URL separada e um cookie mantém os pedidos pendentes por algum tempo mesmo que se navegue por outros sites antes de fechar a compra.

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *