Sites portugueses são lentos


12/11

As páginas de Internet portuguesas são demasiado lentas. Um estudo divulgado em Lisboa revela que este problema afecta cerca de 71,4 por cento dos sites. O estudo foi realizado pela Compuware em Portugal, uma empresa que desde Junho de 2000 tem realizado estudos anuais à qualidade dos sites de Internet portugueses.

De acordo com o documento, os dois maiores problemas relativos ao funcionamento dos sites portugueses pioraram (perda de atributos) ou mantiveram-se (páginas lentas) entre Janeiro de 2001 e Outubro de 2002.

A situação dos sites portugueses é mais visível no sector das telecomunicações, considerado como o pior dos oito que estiveram em análise, indicou Miguel Porém, director da Compuware. Segundo os dados recolhidos, 90,3% dos sites das empresas de telecomunicações portuguesas são demasiado lentos, valor que duplicou em Outubro de 2002 relativamente a números referentes ao início do ano transacto.

A perda de atributos das páginas de Internet (inexistência de parâmetros de altura e largura de imagens) continua a ser a principal deficiência dos sites portugueses, já que 53,9% revelam este problema, valor que era de 48% em Janeiro de 2001.

Muitas vezes, o nível de serviço prestado cede perante as dificuldades financeiras ou a vontade de disponibilizar rapidamente um meio alternativo de comunicação, o que acaba por comprometer a qualidade e se repercute nos custos para as próprias empresas.

O estudo foi realizado em ambiente de análise por uma solução (Webcheck) que investigou mais de uma centena de sites representativos dos sectores mais activos no comércio electrónico em Portugal: financeiro, ISP e portais, telecomunicações, distribuição e administração pública, a que se juntaram este ano banca on-line, viagens e desporto.

A Compuware Corporation é uma empresa que desenvolve e comercializa soluções de software para empresas, visando a optimização da produtividade e a redução de custos ao longo do ciclo de vida das aplicações.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.