Sites de notícias fazem sucesso no trabalho No ratings yet.

PALO ALTO, Estados Unidos (Reuters) – Quase todo empregador que tenha dinheiro suficiente para fornecer aos funcionários uma conexão de internet também está gastando dinheiro a mais para impedi-los de visitar sites sem relação com o trabalho. Mas muitos deles não têm idéia de onde esses trabalhadores gastam as horas do expediente. Uma pesquisa recente constatou que os trabalhadores visitam sites de notícias com frequência muito maior do que visitam serviços de pornografia e jogos de azar. E que consideram as notícias uma das maiores fontes de vício disponíveis na internet. `Inicialmente, a maior parte dos abusos envolvia sites de pornografia e apostas, mas agora temos mais tempo gasto em sites de compras e notícias´´, disse Harold Kester, vice-presidente de tecnologia da Websense, de San Diego, que conduziu a pesquisa. A Websense é uma empresa produtora de software que ajuda companhias a monitorar os padrões de navegação dos funcionários e os impede de visitar, ou pelo menos de passar tempo demais, em sites que os afastam do trabalho. Mas a pesquisa demonstra que o patrão nem sempre sabe como os trabalhadores usam o tempo. Cerca de 23 por cento dos pesquisados disseram que consideram as notícias o conteúdo que mais vicia na web, ante 18 por cento que mencionaram a pornografia, oito por cento que citaram os sites de jogos de azar e seis por cento que falaram dos leilões online. Em termos gerais, as notícias chegam em segundo em termos de fonte de vício, comparadas a compras online, que 24 por cento das pessoas afirmaram causar vício. Mas os padrões e o uso da internet entre os trabalhadores não refletem as preocupações dos empregadores. A maioria dos trabalhadores pesquisados – 67 por cento – disse estar autorizada a usar conexões de internet para ler notícias. Isso se compara a apenas 37 por cento que podem ter acesso a sites de compras e leilões e a meros dois por cento que tinham autorização para visitar sites de jogos de azar e de pornografia. Por Andrea Orr

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *