Sites atualizam suas ferramentas de compras


15/02/2005

Para muitos sites de comércio eletrônico, o carrinho de compras é onde as transações morrem. Cerca de metade dos possíveis clientes salva suas compras em algum momento após selecionar os produtos e antes de apertar o botão de compra, de acordo com a Forrester Research, uma consultoria de tecnologia.

Este fenômeno fez sites como TJMaxx.com e HomeGoods.com encontrarem novas formas de acompanhar os clientes suavemente durante o processo. Enquanto as redes varejistas tradicionais afiam suas operações on-line, esse tipo de melhoria pode se provar crítica para vencer no negócio. Veja o exemplo da TJX Cos., que incorpora as lojas T.J. Maxx, Marshalls e HomeGoods, entre outras. No ano passado, a companhia abriu lojas on-line para a T.J. Maxx e HomeGoods, usando um método tradicional de compras que obriga o usuário a clicar em telas múltiplas enquanto digita informações de transporte e cartão de crédito. Durante a temporada de férias, os dois sites testaram um novo sistema que permite aos clientes usar uma única página para todas as informações de compras e transporte. 50% mais clientes completaram o processo. “Nós facilitamos a entrada e saída das nossas lojas, por isso quando fomos para a internet, isso parecia uma progressão natural”, afirmou Sherry Lang, uma porta-voz da TJX. A tecnologia é conhecida nos círculos da indústria como um rico aplicativo da internet. Tais aplicativos funcionam carregando um pequeno e temporário software no computador do usuário que clica em uma página particular. O site alimenta a informação neste programa enquanto o usuário interage com a página para que quando alguém digitar um código postal inválido, o computador o bloqueie e peça uma correção. A tecnologia não é nova. Companhias como Yankee Candle, uma loja situada em South Deerfield, Massachusetts, usam aplicativos similares há anos. Mas os recentes avanços dos softwares tornaram o aplicativo consideravelmente mais fácil para sites menos sofisticados usarem.

Nos últimos meses, companhias como a Kayak.com, um site de viagens situado em Norwalk, Connecticut, consideraram estes aplicativos tão importantes que construíram sua própria tecnologia. Quando o site da empresa apresenta os resultados de busca, ele também carrega na memória temporária do computador detalhes de centenas de preços.

Então, quando os visitantes usam o painel de controle para selecionar diferentes preços ou datas, as informações relevantes substituem instantaneamente as informações anteriores.

Paul English, o chefe de tecnologia da Kayak, disse que foi preciso uma equipe com mais de 20 criadores para construir o sistema, que completou sua fase de teste na semana passada. Mas a tecnologia é crítica, porque cada vez que um site pede aos clientes para clicarem em uma nova página, de 3% a 5% deles deixam o site.

“Nunca fazemos as pessoas esperarem para irem para outra página”, afirmou English.

Sites com menos força de programação também começaram a adotar aplicativos de internet, graças à Flex, uma nova ferramenta de software da Macromedia, o criador do software multimídia Flash usado na maioria dos computadores. English, da Kayak, disse que testou a ferramenta, então optou por construir seu próprio sistema porque os PCs mais velhos podem ficar lentos com a tecnologia.

Mas outras companhias encontraram formas de contornar os problemas de computadores mais antigos e cujas conexões de internet são lentas. A Molecular, situada em Watertown, Massachusetts, que criou o sistema TJX usando o aplicativo Flex da Macromedia, montou os sites para detectar a velocidade de conexão do usuário e desviar os usuários com conexões mais lentas para o método antigo de compra.

A unidade iHotelier da TravelClick, que usa a Flex para criar sistemas de reserva para hotéis, vende seu aplicativo em troca de uma comissão para cada reserva. Dos cerca de 2 mil sites de hotéis que usam este sistema, os clientes clicam na página de reserva, selecionam as datas e instantaneamente vêem os quartos disponíveis. Quando eles clicam em um quarto desta página, eles vêem uma foto e descrição do local sem serem levados para outra página. (segue)

Bob Tedeschi

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.