Será a primeira ciberguerra da história?


21/03/2003

Um suposto ataque via Internet a partir dos Estados Unidos, logo depois do início das ações militares, pôs abaixo três dos quatro sites iraquianos mais importantes. De acordo com o Observatório Espanhol da Internet, isso poderia ser chamado de a primeira guerra cibernética da história.

O ataque realizado aos servidores de Internet do governo de Saddam Hussein afetou as páginas de uma agência de notícias e dos Ministérios de Cultura e Informação.

De acordo com a entidade espanhola, que se dedica a monitorar e estudar continuamente a rede, os Estados Unidos teriam utilizado hackers com o fim de deixar fora do ar os sistemas do país árabe.

Há alguns dias, o Observatório já havia advertido sobre um possível ataque maciço aos sistemas de informática e de Internet entre Iraque e Estados Unidos, com o objetivo de manipular e controlar os conteúdos da rede de ambos os países e de inutilizar os servidores correspondentes.

Francesc Canals, presidente do Observatório, considera a ação bélica como a primeira netwar ou ciberguerra da história da Internet desde seu início, “paralela aos movimentos militares de ambos os lados”.

Para conseguir tal objetivo, a administração norte-americana estaria utilizando o programa Carnivore para espiar todo o correio eletrônico mundial através de um filtro de vigilância, algo que já havia sido inaugurado logo depois do atentado de 11 de setembro de 2001.

“Graças a este sistema, as mensagens são pré-selecionadas a uma velocidade vertiginosa”, disse Canals. “O objetivo é controlar o conteúdo selecionando palavras-chave como armamento, Saddam ou Iraque”.

Acrescentou ainda que trata-se “de uma verdadeira violação dos direitos dos usuários da Internet”, que está em curso desde que os Estados Unidos descobriram que as células da organização terrorista Al-Qaeda utilizavam a Internet para se comunicar.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.