Saúde é principal mercado para bluetooth


07/06/2003

Um estudo do instituto de pesquisas In-Stat/MDR mostra que o mercado gerado pela tecnologia Bluetooth deve apresentar crescimento agressivo nos próximos anos. De acordo com as previsões do instituto, o número de equipamentos com esse tipo de funcionalidade deve ultrapassar a marca dos 2 milhões em 2007, atendendo especialmente os segmentos de saúde, governo, serviços, transporte, comunicações, utilities e manufatura.

Joyco Putscher, diretor de pesquisas do instituto, explica que o mercado para essa tecnologia deve ter dois momentos. “A maioria das aplicações que estão sendo imaginadas, inicialmente, são para substituição de cabos”, comenta o analista. Segundo ele, no curto prazo, essas devem continuar sendo as principais aplicações para o Bluetooth: a substituição de sistemas cabeados ou wireless proprietários. No entanto, ele acredita que, posteriormente, a situação mudará e surgirão oportunidades de utilização da tecnologia para adicionar capacidades wireless a sistemas que não possuem esse tipo de função.

Como grande parte do mercado continua esperando que as comunicações sem fio provem sua confiabilidade, o instituto acredita que as implementações da tecnologia irão crescer naturalmente. “Alguns sistemas devem usar apenas poucos pontos de Bluetooth, enquanto outros podem envolver algumas centenas deles”, explica Putscher.

Graças à freqüência que utiliza, o sistema de transmissão do Bluetooth é ideal, de acordo com o InStat, para aplicações militares e do setor de manufatura. Além disso, é muito indicado para uso em distâncias curtas e que demandem pouca energia, como monitoramento de pacientes, atualização de equipamentos, sensores e diversas outras aplicações ainda não exploradas. Nos mercados norte-americano e europeu, a área de saúde é a que mais tem se beneficiado da conectividade sem fio do Bluetooth, sendo que, nos Estados Unidos, mais de 50% dos equipamentos que utilizam a tecnologia são voltados para essa área.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.