Quase 60% dos internautas brasileiros odeiam os spams


02/06/2004

O envio de mensagens não solicitadas com ofertas de produtos e serviços, que algumas vezes encobrem programas maliciosos que invadem a privacidade dos internautas, é odiado por 59% dos usuários brasileiros. A informação é de uma pesquisa da empresa de Internet eCentry, publicada pela Reuters.

Apesar da quantidade de spam no país ainda não ter chegado aos níveis observados nos Estados Unidos, onde cerca de 80% dos e-mails enviados são mensagens indesejadas, a maioria dos internautas brasileiros sentiu um aumento de 60% no volume de mensagens recebidas este ano em relação a 2003.

“Hoje, entre 20 a 30% dos e-mails que circulam na Internet brasileira são spam”, disse à Reuters o vice-presidente da eCentry, uma holding de empresas de Internet voltadas ao marketing eletrônico, Gil Giardelli.

A pesquisa, feita no início do ano, contou com a participação de 103 mil internautas e 6 mil empresas. O levantamento constatou que, apesar da repulsa aos anúncios de Viagra e empréstimos a juros baixos entre outras ofertas, 30% dos entrevistados não usa qualquer sistema de bloqueio ou filtragem de mensagens e outros 30% prefere recorrer ao bloqueio de remetentes.

“O que vemos com certeza é uma preocupação cada vez maior em fazer uso correto do e-mail, mas o spammer é uma entidade tecnologicamente avançada e sempre muda sua estratégia”, afirmou o gerente de marketing do portal MSN Brasil, Marcos Swarowsky. O MSN, da Microsoft, abriga um dos serviços de webmail mais populares, o Hotmail. (segue)

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *