Qual o problema do empresário brasileiro em relação à internet?


Se você lê jornais ou acompanha as notícias intensamente atualizadas na internet, é até possível que tenha uma impressão diferente da minha. São inúmeras novidades (e também muitas repetições) a respeito de novas tecnologias, fusões, lucros e prejuízos, tutoriais, softwares, programas, dicas, oportunidades, estratégias, cursos. Ufa! Tudo isso relacionado ao mercado de tecnologia e muito principalmente ao mercado da internet.

E daí você diz: – Puxa que mercado aquecido!

Pode não ser exatamente assim.

A maior parte dessas notícias diz respeito a um grupo seleto de empresas. Médias e grandes empresas, mais especificamente. São elas que têm consciência sobre esse novo mercado e que investem tempo, neurônios e $$$$$ em novas e-possibilidades que impulsionarão seus negócios. As empresas de maior porte traçam estratégias, planejam ações e marcam presença e, se necessário, refazem tudo isso buscando novas alternativas para obtenção de sucesso através da web. E por que esses empresários agem assim? O que os leva a acreditar tanto na internet? A razão seria porque têm maior acesso a novas informações e por isso estão conscientes do quanto podem alcançar? Ou talvez por contarem com maior poder de investimento ou porque têm uma grande necessidade de se igualar a seus concorrentes? Sem generalizar, são todas essas razões que fazem com que médias e grandes corporações busquem seu lugar ao sol na internet.

Mas e o micro e pequeno empresário? A internet não é acessível ou não é necessária a este tipo de empresa? A minha impressão sobre este grupo de empreendedores de menor porte tem base numa experiência adquirida em anos anteriores, atuando como contato comercial de empresas de internet ou agência de publicidade. Empresários responsáveis por empresas menores não tem ainda uma cultura voltada ao novo mercado que a internet proporciona. Não conhece, não acredita ou tem outras prioridades. Não acho que, em termos gerais, essa posição seja decorrente de impossibilidades financeiras, já que em alguns casos ocorrem investimentos em outras áreas, também necessários, porém com custos muito mais elevados. Os mesmos tomadores de decisão que investem em, por exemplo, “equipes de vendas limitadas que trabalham de segunda a sexta somente”, ou ainda em alternativas publicitárias absurdamente caras, não permitem investimento em um planejamento e desenvolvimento de e-stratégias web que trarão tão bons ou melhores resultados.

E por quê?
Não estão enxergando bem, são tempos difíceis ou …Não sei. Continuo buscando entender as razões para esse tipo de comportamento.
Se você tiver respostas, escreva para mim: rpmoraisemarket.ppg.br.

Para as pessoas que trabalham mais diretamente ligadas às novas tecnologias e possibilidades proporcionados pela internet fica fácil ter essa consciência.

Mas ningúem nasceu sabendo. Se você não sabe, procure saber.
Sua empresa, seus empregados, seus acionistas e, principalmente seus clientes, vão agradecer.

Marcar presença, divulgar sua empresa e seu produto ou fazer negócios. Seja quais forem as razões, a internet é uma necessidade para empresas de todos os portes, de pequenos a grandes.

Ricardo Prates Morais é Consultor em Web Marketing e editor da emarket News.
Maiores informações: www.emarket.ppg.br

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *