Publicidade online vai chegar a US$ 2,6 bilhões em 2013

10/12/08

Pesquisa encomendada pelo Google prevê que o mercado de publicidade online na América Latina deve registrar volume de US$ 2.6 bilhões em 2013, diante dos US$ 549 milhões registrados em 2008. O estudo foi realizado pela Pyramid Research.

A categoria online será responsável por 9% da receita total do mercado de publicidade, diante dos 2% atuais, informa a pesquisa. O mercado total de publicidade na América Latina irá se expandir e deve alcançar o valor de US$ 31 bilhões em 2013, diante dos US$ 24 bilhões registrado em 2008, ainda segundo a Pyramid.

De acordo com os resultados do estudo, o número de computadores instalados em 2013 deve ser de 200 milhões, e o crescimento de laptops será o maior, com expectativa de expansão de 43% entre 2007 e 2013.

O volume de B2C (Negócios para o Consumidor) em Comércio Eletrônico está próximo dos US$ 13 bilhões e o estudo estima crescimento de 33% para os próximos cinco anos, como resultado de números de usuários de internet e de vendas online que continuarão crescendo.

O número de usuários de internet em residências irá ultrapassar os 170 milhões em 2013, enquanto que o número dos internautas que fazem uso de computadores públicos irá superar os 111 milhões de pessoas. A maioria esmagadora de usuário irá confiar mais nos serviços de banda larga e irá acessar a internet de localidades diferentes.

A pesquisa
A Pyramid entrevistou 3.620 pessoas de 11 países da América Latina e descobriu que 56% dos entrevistados navegam pela internet exclusivamente para uso pessoal, enquanto que 18% usam a internet para uso pessoal e trabalho de forma equivalente. Em relação a idade, usuários na faixa dos 18 aos 29 anos apresentaram a maior parte dos que utilizam aplicativos de internet.

Ente os aparelhos utilizados para acessar a rede, 87% usam PCs, seguidos por 22% que fazem uso de laptops/notebooks. PDAs e serviços móveis, relevantes para 17% dos jovens, são usados no geral por 9% e 11% dos usuários, respectivamente.

A maioria dos acessos à internet é realizada em diferentes lugares: a conexão em residências representa 60% de todos os acessos, seguidos por lugares como o trabalho (20%) e espaços públicos – cybercafés, livrarias e centros comunitários são os locais mais importantes para o público de 17 anos de idade.

Embora uma grande proporção de usuários de internet seja P2P (Ponto-a-Ponto), as pessoas estão cada vez mais acessando aplicativos sofisticados: 77% dos usuários utilizam a internet para se comunicar com outras pessoas, seguido por 63% de pessoas que apenas navegam pela internert e outros 28% que utilizam a rede para baixar conteúdo. Outras atividades especificas incluem serviço de web, com 10% ecompras online e jogos, essas duas últimas com 9% cada uma.

Apesar do elevado interesse por conteúdo adquirido por download, são poucos os usuários que pagam por isso; apenas aplicações e jogos registram  taxas acima de 5%. Em relação a outras formas de entretenimento, 9% dos entrevistados fazem uso de jogos online. Entre os jogos, os que estão na plataforma da rede e jogos baixados foram os mais populares, com 51%, seguido por jogos baixados por computador ou serviços móveis, com 32%. 

Redes Sociais
O Brasil, seguido pela Colômbia, é o país com maior número de usuários que utilizam redes de relacionamento. Equador, Peru e Uruguai são os países com os menores números de usuários. A maioria dos usuários de redes sociais têm entre 18 e 29 anos.

Comércio Eletrônico
O mercado de comércio eletrônico está no começo de seu desenvolvimento e já há sinais positivos  que apontam para um futuro com grande potencial: 40% dos compradores online estão na  faixa etária que vai dos 18 aos 29 anos e 80% das compras são feitas de casa. Das pessoas que atualmente realizam compras online,  57% planejam gastar mais, enquanto que 31% pretendem manter o nível atual de compras nos próximos 12 meses. Além disso, 17% dos entrevistados que atualmente não fazem compras online, planejam começar a fazer esse tipo de operação nos próximos 12 meses, enquanto 50% ainda não estão certos disso.

De acordo com as entrevistas, os principais motivos para a compra de produtos pela internet são os preços e taxas baixas. Por outro lado, custos de transporte elevados e falta de acesso a crédito ou débito são as principais razões que levam as pessoas a não optar por fazer compras online.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.