Prêmio B2B: Cases de sucesso do comércio eletrônico brasileiro


30/11/2004

As empresas brasileiras amadurecem no uso da tecnologia da informação, priorizando a rentabilidade e enxergando o valor estratégico para a competividade em um cenário cada vez mais acirrado. Veja abaixo alguns cases de csucesso dos negócios online brasileiros.

Agronegócios – Banco do Brasil

Trazer o setor de agronegócio para o mundo moderno das transações on-line foi uma aposta que deu certo no Banco do Brasil. Afinal, um País que produz 122 milhões de toneladas de grãos por ano e é o maior produtor mundial de café, açúcar e suco de laranja, e o segundo produtor mundial de milho, soja, frango e carne bovina, precisava aperfeiçoar suas formas de comercialização. A decisão estratégica do BB, investindo no site Agronegócios (www.agronegocios-e.com.br), em 1999, ampliou as possibilidades de comercialização e permitiu que o comércio eletrônico se consolidasse como uma importante ferramenta de comercialização para os produtores rurais brasileiros. Em junho de 2004, o BB lançou uma nova versão do seu site, cujo acesso é simples e fácil, e pode ser feito no menu Sala de Negócios do portal do BB (www.bb.com.br). Além de otimizar as ferramentas já existentes, o novo sistema aumentou de forma significativa o leque de opções oferecidas a todos os integrantes da cadeia do agronegócio brasileiro.

Os resultados obtidos até agora mostram o acerto da estratégia. O Balcão de Agronegócios, principal ferramenta de comércio eletrônico do site, movimentou desde o seu lançamento 4, 17 bilhões de reais em mais de 156 mil operações e, este ano, já acumula 697 milhões de reais em negócios, com 28,7 mil operações realizadas.

Automobilístico – General Motors

Primeiro lugar em vendas, com uma fatia de 26% do total de carros vendidos pela indústria automobilística no primeiro semestre de 2004, a General Motors é hoje uma empresa enxuta e ágil. Sua infra-estrutura de TI (Tecnologia da Informação), por exemplo, sofreu drástica redução de custos depois que a empresa resolveu adotar um sistema de monitoramento completo de todo o seu ambiente tecnológico. Com ajuda de soluções de gerenciamento da norte-americana Altiris, a GM fez um levantamento preciso do número de licenças adquiridas, instaladas e usadas nas cerca de seis mil estações de trabalho das três fábricas e 16 sites e escritórios regionais que operam em todo o País. “Com isso, reduzimos em 44% os gastos com software”, diz Luiz Alvarez, gerente de infra-estrutura de sistemas de tecnologia da empresa. “Essa redução de custos, num período muito curto de 45 dias, trouxe um índice de ROI (retorno sobre o investimento) de 100%”, afirma ele.

Companhias Aéreas – Varig

Maior empresa de transporte aéreo da América Latina, com taxas de 34% e mais de 90% de marketshare nacional e internacional, respectivamente, a Varig apostou na internet para suportar suas operações de comércio eletrônico. Em 2003, a empresa criou o NeV-Novo E-commerce Varig, com apoio de dois fornecedores externos, e hoje diversos produtos e subprodutos já se encontram em produção. Em julho deste ano, entrou em produção o novo site B2C (business-to-consumer). Em agosto, o novo site B2T (um business-to-business com as agências de viagens). Uma nova área de publicação de tarifas exclusivas e uma nova ferramenta de envio de e-mail já estão em atividade, e um novo site B2B corporativo em vias de ser lançado até o final do ano. (segue)

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.