Praga virtual é capaz de dominar a Internet em 15 minutos


22/10

Pesquisadores de ciência da computação estão prevendo novos tipos de pragas virtuais ameaçadoras, capazes de infectar servidores Web, browsers e outros sistemas tão rápido que podem tomar conta da grande rede mundial em questão de minutos.

Embora ainda estejam na teoria, as perigosas pragas conhecidas como “Flash” foram descritas em um relatório intitulado “Como dominar a Internet em seu tempo livre” (“How to Own the Internet in Your Spare Time”). O assunto levanta um certo ceticismo mas a idéia de seu poder de destruição não é encarada como ficção científica.

Os três autores da pesquisa, publicada há cerca de dois meses, apresentam um futuro onde ataques baseados em pragas virtuais usam “listas de hits” para mirar sistemas vulneráveis de hospedagem na Internet e equipamentos como roteadores, indo mais longe do outras famosas como o Nimda e o Code Red, que vasculhavam sem propósito.

Esta nova safra de pragas comportará perigosas cargas para permitir ataques Denial of Service (DoS) automáticos e promover estragos por controle remoto.

“O Code Red e o Nimda poderia ter se espalhado ainda mais rápido, e eles não tinham cargas poderosas”, alerta Stuart Staniford, presidente da Silicon Defense Inc., e co-autor da pesquisa.

Os outros pesquisadores são Vern Paxson, cientista do ICSI Center para Pesquisas de Internet e do grupo de pesquisas de rede do Lawrence Berkeley National Lab, e Nicholas Weaver, estudante graduado na Universidade da Califórnia, em Berkeley, nos Estados Unidos.

O relatório argumenta que esta próxima geração de pragas de computador, que poderiam encontrar aplicações militares, carregariam conhecimento sobre vulnerabilidades específicas de servidores, propagando uma taxa alta e maciça de infeções.(segue)

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.