Pesquisa: crise na imprensa reforça uso da web nos EUA


18/03/2004

Queda no número de leitores, redução de pessoal e reputação comprometida: a imprensa americana passa por uma turbulência nos últimos anos que empurra os americanos a recorrer à internet para buscar informação. É o que mostra o estudo “O estado dos meios de comunicação em 2004”, do Projeto para a Excelência no Jornalismo, da Universidade de Columbia.

“A internet é o único meio de informação, além da imprensa étnica e alternativa, cujo público está em plena ascensão, particularmente entre os jovens”, decretaram os autores do estudo publicado nesta semana.

Este crescimento chama ainda mais a atenção se for levada em consideração a queda de 11% na venda de jornais americanos em língua inglesa nos últimos dez anos. No mesmo período, caiu 34% o índice de audiência dos noticiários noturnos nas emissoras de TV locais associadas às grandes redes nacionais.

Os americanos não acompanham mais a informação pelas grandes redes de TV a cabo, apesar dos recentes acontecimentos que mexeram com a opinião pública, como os atentados de 11 de setembro e a guerra no Iraque. Ao mesmo tempo, segundo o estudo, a credibilidade dos jornais caiu de 80%, em 1985, para 59% em 2002.

Ao contrário, as visitas aos 26 sites de informação mais populares da Internet tiveram um aumento de 70% entre maio de 2002 e outubro de 2003. “Estamos num período de mudanças e reestruturação. Os que mais sofrem são os meios (de comunicação) tradicionais”, analisou o diretor do projeto, Tom Rosentiel.

Os autores do estudo destacaram, no entanto, que ainda não está claro se a internet está a caminho de “canibalizar” a imprensa tradicional. Em 2002, 72% dos usuários de Internet disseram gastar o mesmo tempo lendo jornais que no passado. A TV, ao contrário, parece sofrer mais. (segue)

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.