O marketing também acontece em blogs, chats, icq, msn, orkut


15/02/2006

Por estar sempre envolvido com o trabalho e focado emdesenvolver as ações costumeiras de publicidade na internet para nossos clientes, acabei deixando de dar uma atenção maior a uma importante estratégia de web marketing. Com a desculpa de que nosso trabalho é focado em oferecer soluções para divulgação de sites em larga escala. Está bem, não tão grande assim. Afinal a internet permite mais a comunicação segmentada do que a comunicação em massa. Mas o que eu quero dizer é que anúncios em banners ou e-mail ou ainda em sites de busca são voltados para conquistar a maior quantidade possível de usuários tanto a curto como a longo prazo. Por isso, estratégias de marketing voltadas para formação de comunidades foram relegadas a segundos planos, mesmo tendo conhecimento, já há muito tempo, que são alternativas imprescindíveis para o crescimento e afirmação de uma empresa ou marca na internet. Com uma diferença: o reconhecimento e os resultados ocorrem com o tempo. E lojas virtuais, por exemplo, não tem tempo disponível para criarem comunidades, mas sim para vender.

É a força do hábito jogando contra.

Pois outro dia, estava fazendo uma entrevista com uma pessoa que buscava uma vaga na emarket, quando o rapaz de apenas 20 anos me falou uma coisa que fez cair a ficha: “…uma ótima forma de selecionar sites segmentados para veiculação de anúncios é no Orkut.”

Estar envolvido em desenvolver ações mais indicadas para atrair clientes a curto e médio prazo, fez com que eu esquecesse que o marketing e a publicidade na internet têm outras importantes alternativas. O conceito de criação de comunidades é antigo na web. Mas eu também sou. E muitas vezes, por essa razão, nós vamos nos acostumando com aquilo que fazemos e deixamos de prestar atenção no que está rolando a nossa volta.

Ainda bem que existem os jovens para nos ensinarem a inovar.

Foruns, chats, ferramentas de mensagens instantâneas (ICQ, MSN, etc), videoconferência. Essas são algumas das mais populares formas de comunicação interpessoal pela internet que surgem como alternativa importante para segmentar público e fazer marketing.

Mas entre todas esses meios de comunicação online, o Orkut vem chamando a atenção de muita gente. E de muitas empresas também.

O site de comunidades Orkut passou a ser, talvez, a mais importante ferramenta para comunicação entre pessoas identificadas com assuntos afins. Nele, você pode criar a sua própria comunidade e interagir com outras pessoas. Hoje, já existem diversas empresas nacionais e internacionais presentes no Orkut com objetivo de promover suas marcas.

Vasculhando a internet a respeito do assunto, achei esta informação em um blog: “O jornal O Povo chama em matéria de página os leitores para a comunidade no Orkut do Festival Vida & Arte, promovido pelo jornal.” Ou seja, o dito Festival promovido por um dos jornais de maior circulação do Ceará e que, além de assinantes deve ter uma ótima audiência na sua versão online, utilizou o Orkut para divulgar e promover o evento.

Assim como o Orkut, o mesmo pode ocorrer com outros meios interativos como blogs, chats, foruns, icq e msn. Além de serem meios valiosos para divulgar marcas, sites ou produtos, são gratuitos. Porém é preciso ter cuidado. Uma das diferenças entre anunciar em um banner, por exemplo, e promover um assunto através de comunidades é que estas não são criadas apenas com esse objetivo. Normalmente, a intenção dos usuários em utilizar as interfaces de comunicação interpessoal é reunir pessoas em torno de temas para discutir e enriquecer o conhecimento, além de ampliar os círculos deamizade. Essa união de pessoas em torno de um tema e a comunicação entre os membros é que acaba promovendo uma empresa, um produto ou uma marca. E todos acabam se tornando clientes potenciais.

Os blogs, ou diários online, começaram como uma febre juvenil, mas hoje empresas de todo o mundo estão descobrindo o seu poder sobre os negócios. Em uma edição da EXAME de final de janeiro, foram relatadas experiências de companhias como a Lego, que fez do blog um grande aliado. E também de outras, como a Kryptonite, que perderam muito dinheiro ao serem criticadas por blogueiros.

E eu que pensava que a publicidade na internet se resumia a sites de buca, e-mail e banners?

Preciso rever meus conceitos.

Ricardo Prates Morais é editor da emarket News e consultor da emarket (www.emarket.ppg.br), agência de marketing e publicidade online.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.