Novas tecnologias e seu impacto no marketing direto


Depois do emarketing, do i marketing, do SMS e do MMS marketing, aguarde a nova onda: Wi-Fi.

Isso mesmo, mais uma palavrinha esquisita para tirar o sono do pessoal que atualiza os aurélios, significando uma nova forma de comunicação sem fio entre computadores e a web, intermediados por centrais de transmissão, como as antenas de telefonia celular, só que com um raio de ação limitado. Um dado curioso é que o Wi-Fi opera na mesma freqüência de rádio dos portões eletrônicos, fornos de micro-ondas e redes locais wireless, dificultando sua homologação pra uso público em alguns países.

A nova tecnologia também atende pelo número 802.11 e permite conexões instantâneas e, por enquanto, está em uso como plataforma de envio de informações por parte de jornalistas e outros profissionais que dependem da rapidez com que transmitem informações para sua sobrevivência cotidiana.

Com a criatividade dos profissionais de marketing direto e a rapidez com que assimilam e transformam as novas tecnologias em ferramentas de comunicação cada vez mais poderosas e pessoais, é fácil imaginar o que pode vir por aí.

O Wi-Fi pode ser a tecnologia que finalmente aposentará num mesmo asilo para velhinhos tecnológicos o celular, o handheld como hoje o conhecemos e a já caquética agenda eletrônica.

Com um PC equipado com Wi-Fi é possível falar, navegar e cuidar da agenda, além de trabalhar e compartilhar arquivos, imagens e video.

Segundo o Media Guardian, o Wi-Fi saiu dos escritórios e fábricas diretamente para as ruas e para as vidas das pessoas comuns.

A Starbucks, uma rede de lojas que vendem cafezinho e lanches , associou-se a uma operadora de celulares chamada T-Mobile e juntas equiparam 1.200 lojas da rede com retransmissores nos Estados Unidos, em agosto passado. Mais 800 lojas deverão estar equipadas até o final do ano. Para o usuário do sistema, o custo é de entre US$30 e US$50 por mês, dependendo da utilização.

A previsão é que cerca de 30 milhões de laptops serão produzidos equipados com a nova tecnologia nos próximos 3 anos. A própria Intel, a empresa dos chips que formam o coração da maioria dos computadores em uso, já está desenvolvendo um chip que incorporará a nova tecnologia wireless 802.11. A empresa também pretende investir US$150 milhões ao longo dos próximos 3 anos em empresas que estejam interessadas em trabalhar com o Wi-Fi.

Segundo a empresa de pesquisas em tecnologia In-Stat/MDR, a expectativa é que os locais com retransmissores pulem dos atuais 2.000 para 42.000 em 2006.(segue)

Por: Dennis Hanson

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.