Compras coletivas segmentadas – novo nicho de mercado No ratings yet.

08/08/2011

Magda Mello

As compras coletivas definitivamente chegaram para ficar, o grande sucesso deste mercado, fez o consumidor ter um novo comportamento de consumo ao se habituar a navegar pelas compras coletivas antes de qualquer aquisição. 2010 foi o grande ano das compras coletivas no Brasil, com faturamento de R$500 milhões e mais de 1.000 sites cadastrados, este segmento conquistou os brasileiros.

A possibilidade de adquirir serviços e produtos a custos acessíveis, a exposição de estabelecimentos e o curto período que as ofertas ficam no ar, atraem cada vez mais clientes, que não resistem a ofertas com até 90% de desconto. Esta lucrativa receita dá certo porque muitos consumidores agem por impulso, com promoções que duram apenas 24h. Empreendedores disputam cada clique com grandes negociações para oferecer preços realmente baixos.

O sucesso das compras coletivas tornou a concorrência acirrada e trouxe a necessidade de inovação. Com tantas opções de ofertas e sites, internautas se perdiam e navegavam horas até encontrar a oferta perfeita. De olho neste comportamento, muitos sites resolveram agregar ofertas, com o intuito de oferecer em único site, diversos descontos para públicos distintos.

A tendência para 2011 são as compras coletivas segmentadas, que também são agregadores de ofertas, porém direcionadas para públicos específicos, como gêneros, cidades, serviços, produtos e muito mais. Na prática, a ideia é reunir o maior número de ofertas somente para mulheres, por exemplo. Existem sites que dispões de descontos só de restaurantes ou só para viagens ou beleza e assim por diante. O foco destes agregadores é fazer o consumidor economizar tempo e dinheiro, além de oferecer conteúdo relevante para os interessados. Isto tem funcionado com eficácia, atualmente já temos mais de 20 sites de compras coletivas segmentadas.

Outras estratégias adotadas pelos empreendedores de compras coletivas é disparar e-mail com seleção das melhores ofertas ou conteúdo exclusivo para cadastrados. As redes sociais são grandes aliadas dos sites de compras coletivas, que atualmente já movimenta mais de R$136,85 milhões.

A previsão de faturamento para as compras coletivas este ano é de R$ 1 bilhão e é um mercado abrangente, promissor e está em ascensão, sendo aprimorado a cada dia, beneficiando usuários e empresas em todo o Brasil e no mundo.

Please rate this

 

Divulgar promoções nas redes sociais não é bem assim…

13/04/2011

Não acho certo quando uma empresa que não faz nenhum tipo de publicidade ou propaganda, praticamente não tem presença na internet além do site institucional (ou até mesmo nem tem o site ainda) e de um mês para outro quer ter milhares de seguidores e amigos nas redes sociais. Para isso, decidiu INVESTIR em uma campanha em redes sociais, criou os perfis e agora vai sortear um (INCRÍVEL) pen drive para cada 5 mil seguidores novos.

Veja o post completo no blog Publicidade na Web.

 

Dez bilhões de “tweets” fazem do Twitter uma importante ferramenta de marketing

18/03/2010

Twitter atinge maioridade e torna-se uma das principais redes sociais e importante ferramenta de marketing na internet.

      
A rede social Twitter alcançou, na sexta-feira, 05/03, dez bilhões de “tweets”, três anos depois de plataforma ter sido criada, conforme o  registro do site GigaTweet .

A rede teve crescimento rápido, considerando que  alcançou um bilhão de ‘tweets’ em novembro de 2008 e 5 bilhões há apenas quatro meses, recorda o blog de tecnologia Mashable – de acordo com o UOL.

 

O Brasil é segundo lugar em número de tuiteiros, com 8,8%. Os Estados Unidos o primeiro, representando 50% dos usuários. Mas em junho de 2009 teve 62%. São dados da empresa de análise em mídia social Sysomos, publicados em janeiro/2010. Mas, no quesito postagens, o Brasil perde para o Reino Unido. Os EUA também lideram, 56,59% , seguido pelo Reino Unido, com 8,09%. Brasil:  6,73%. Segundo o UOL, a “Sysomos analisou 13 milhões de perfis únicos, ativos entre 16 de outubro e 16 de dezembro de 2009″.

O Twitter decididamente caiu no gosto dos internautas por causa das suas funcionalidades que permitem comunicação em tempo real, interatividade total e facilidade de atualização.

Por causa da grande utilização por parte dos internautas no mundo inteiro, o Twitter está se tornando rapidamente uma ferramenta poderosa de marketing e comunicação online, a ponto de, em breve, superar outros gigantes. No Brasil a rede social do Google continua sendo a campeã de audiência e utilização, mas já vem dividindo espaço com o Twitter e também com o Facebook.

E as empresas já estão sabendo disso. Grandes corporações ou mesmo pequenas empresas estão utilizando o Twitter para divulgar produtos ou serviços, promoções e novidades, e incentivar a divulgação e propagação dessas novidades através do enorme potencial viral da ferramenta. Além da ampla divulgação pelas ações dos próprios utilizadores que comentam, indicam ou condenam, o Twitter também é muito importante para as empresas conhecerem mais seus clientes, o que pensam, suas opiniões.

 

Qual a diferença entre o “spam” e outros formatos intrusivos de publicidade online?

14/9/209

Lembram da pop-up? Quem tem saudade da pop-up? Hoje poucos sites utilizam, mas ela já foi mania.
Pois é, agora um novo – e tão intrusivo – formato de publicidade está sendo testado por alguns sites de conteúdo nos EUA. Quando o usuário acessa o site, um comercial em vídeo se abre diante de seus olhos, bloqueando o conteúdo, e só pode ser fechado depois de 10 segundos.

Veja o post completo no blog Publicidade na Web e dê sua opinião.

 

Cresce investimento na “Mídia de Todas as Mídias”

13/07/2009
 
A Internet, a “Mídia de todas as Mídias”, revolucionou definitivamente a comunicação. As incertezas e desconfianças iniciais deram lugar a um poderoso e democrático veículo, que consegue agregar todas as mídias até hoje criadas.
 
A interatividade proporcionada por este poderoso instrumento de comunicação em massa, talvez seja a mais importante de suas qualidades. Com uma forma de interação única, este “novo veículo” consegue agregar e fortalecer todos os demais, e se consolida como um dos principais canais de comunicação na atualidade.
 
A fronteira de sua rádio, sua TV ou jornal, não é mais o alcance “tradicional” de seu sinal ou distribuição. Onde quer que um computador ou dispositivo móvel esteja conectado à grande rede de computadores você leva junto seu veículo de comunicação preferido.
 
A Internet tem evoluído muito, e nós brasileiros fazemos parte deste novo mundo quando somamos mais de 51 milhões de usuários, o que nos coloca entre os primeiros do mundo, mesmo com a baixa penetração que gira em torno de 27% da população.
 
A Internet tornou-se a “mídia das mídias”, pois todas cabem na Internet. Rádio cabe na Internet, jornal cabe na Internet, revista cabe na Internet, e por aí vai. Até mesmo a televisão já está lá, e em franca expansão.
 
Um dado interessante, oriundo de um levantamento realizado pelo Ibope Monitor, é o aumento no investimento das empresas brasileiras em campanhas publicitárias na Internet no ano passado. Os números chegaram a R$ 1,5 bilhão, que responde por apenas 2,7% do “bolo” publicitário em 2008, que foi de R$ 59,7 bilhões, mas está em franco crescimento. No Reino Unido este número já atinge 25% do “bolo”.
 
A televisão continua na frente com metade desse montante, seguida pelos jornais (25%), revistas (9,3%), TV por assinatura (8,1%) e o rádio (4,3%). A Internet com seus 2,7% já ultrapassou as salas de cinema (0,7%) e os outdoors (0,1%).
 
Este novo mundo da comunicação está apenas começando. Onde vai chegar, só o futuro dirá.
 
Ricardo Orlandini é Radialista e Bacharel em Administração de Empresas pela UFRGS. Hoje é comentarista da Rádio Guaíba AM e apresenta o programa “Jornal da Manhã – Edição de Sábado”.

 

 

‘Enquanto tem gente com pé no freio, vamos entrar no mercado novo’

16/03/2009

POR MARCO AURÉLIO REIS, RIO DE JANEIRO

A REDE CASAS BAHIA encerrou as últimas duas semanas comemorando média de 100 mil acessos diários a seu site de vendas, lançado em fevereiro. Até o fim do mês, inaugura em Salvador suas primeiras lojas no Nordeste. Crise? “A gente está aproveitando esta oportunidade”, responde Michael Klein, 58 anos, diretor executivo da rede varejista, que em 2008 faturou R$ 13,7 bilhões e trabalha para superar essa marca este ano. Em vez de embarcar no medo que vem tirando o sono de trabalhadores e empresários mundo afora, Klein revela que antecipou planos de investimento e acenou para seus 60 mil funcionários — chamados por ele de “colaboradores” — com a possibilidade de premiação em caso de superação das metas de venda estabelecidas individualmente para suas mais de 500 lojas.

Também colocou na Internet uma plataforma de vendas inédita, com vídeos demonstrando produtos, bate-papo por computador entre cliente e vendedor e garantia de que a compra virtual pode sair sem frete, desde que o cliente se disponha a buscar o produto na loja mais perto de casa ou do trabalho. “Buscamos oferecer o padrão que se tem dentro da loja real. E ainda com a opção de retirar o produto e não pagar pelo frete ou, ainda, comprar um produto pela Internet em São Paulo, para a mãe retirá-lo numa loja do Rio de Janeiro, perto da casa dela”, explica Michael Klein na entrevista concedida quinta-feira a O DIA na sede de sua empresa, na cidade paulista de São Caetano do Sul.

Reproduzimos abaixo alguns trechos da entrevista:

Como está a rede em meio à crise de crédito, que vem tirando o sono de muita gente ?
Apesar de tudo que se fala, a gente está indo bem. O pessoal todo está apreensivo sobre o que vai fazer. Nós não estamos. Vamos tocar, trabalhar e fazer. Tínhamos a previsão de inaugurar, no fim do ano, as primeiras lojas em Salvador, na Bahia. Veio a crise e vimos que o pessoal (concorrente) estava esperando para ver o que acontece. Pensamos logo: vamos aproveitar e antecipar nossa ida para Salvador.

E como está sendo a relação de seus clientes com a possibilidade de compra pela Internet?
Eles estão vindo. Saiu na própria Internet que o site da Casas Bahia foi o nono mais visitado do mundo no dia de lançamento (2 de fevereiro). Era uma expectativa só. Todo mundo estava aguardando. Queriam saber como a gente ia fazer. E hoje estamos com média de 100 mil visitantes/dia. É claro que alguns compram e outros vêm só para consultar preços, mas são pessoas com potencial de compra. Não comprou, mas terá algo para atraí-la para, num futuro, vir comprar.

No varejo como um todo e na Internet, em especial, a entrega é um dos entraves de crescimento …
Nós resolvemos esse problema dando uma opção, caso o freguês não queira pagar o frete. Para dar um exemplo: a pessoa diz ‘moro perto de uma loja em São João do Meriti’ e pergunta ‘posso retirar o produto na loja para não pagar frete?’. A gente responde: ‘pode’. A diferença da Casas Bahia é que não abrimos uma nova ‘ponto com’. Mantivemos embaixo de uma mesma empresa. A pessoa compra na Internet e se quiser tirar na loja mais próxima de casa, ou do trabalho, pode.

Como esse cliente da Internet faz para retirar o produto que comprou na loja?
Ele ganha uma senha e ,na loja mesmo, apresenta essa senha para retirar o seu produto comprado.

Com a demora para o lançamento da loja virtual, deu para a rede aprender com os erros dos outros?
Deu para ver as fraquezas. Também buscamos respostas para questões levantadas por uma pesquisa que encomendamos sobre por que as pessoas não compravam pela Internet? Um dos pontos que identificamos era a insatisfação com a demonstração do produto. Ninguém gosta de ver o produto chapado, como uma fotografia. Então montamos, de imediato, logo no nosso lançamento, 120 vídeos e depositamos no YouTube (site gratuito de postagem e acessos de vídeos) com um link com a Casas Bahia. No nosso site, se ele quiser demonstração do produto, aperta na flechinha onde está escrito ‘demonstração’ e já cai no YouTube direto na demonstração do produto. Lá vai saber tudo que quer. Ter explicações e tirar as dúvidas dele sobre lavadora, secadora, cumprimento do dormitório. No vídeo, abre-se até porta, dá para ver a dobradiça. E isso é um diferencial nosso. Claro, que daqui a pouco todos os outros vão ter.

E o que mais pode ser classificado como diferencial?
Temos uma interatividade em tempo real. Se o cliente está no site e tem dúvida, na hora ele dá um click na pergunta ‘precisa de ajuda?’ e entra em contato com nosso pessoal da central de relacionamento. Ele vai teclar com nosso pessoal como se fosse um messenger (bate-papo instantâneo). Se ele pergunta, por exemplo, se aquele produto tem em outra voltagem, na hora, on-line, vai ter alguém do outro lado da tela respondendo para ele. É como se ele tivesse um vendedor virtual atendendo pela Internet.

Qual princípio, dentro da história de sucesso da rede, norteou o ingresso da Casas Bahia na Internet?
Saber o que o público precisa, que é uma das frases de meu pai (Samuel Klein, fundador da rede), que é um pouco filosófica para a gente. É saber entender o que o consumidor precisa para poder realizar o sonho dele. É entender que tem freguês que precisa de dormitório, mas que não pode ter um com maleiro, porque onde ele mora não tem pé direito (maior altura entre o piso e o teto) para caber um dormitório com maleiro. Então, tenho que entender a necessidade dele. Eu entendendo, vou ter o produto adequado. É entender que se esse freguês necessita de crédito, tenho que oferecer crédito adequado, mesmo sem comprovante de renda.

 

Alan Rutherford: “A mídia digital vai crescer com a crise”

30/01/2009

Entrevista com Alan Rutherford, o Midas das novas mídias que comanda a Digitas, a maior empresa de marketing digital do mundo, comenta: "A pesquisa ficou destinada à internet.Por isso as empresas precisam hoje estar presentes nesse mundo online para não perder negócios".

Veja a entevista concedida ao Marcos Todeschini, da Revista Época.

POR MARCOS TODESCHINI

Comunicação digital é um canal relativamente novo, surgido com a internet nos anos 90. Alguma coisa já mudou de lá pra cá?

Há dez anos, marketing digital dizia respeito a apenas vender e anunciar pela internet. Você colocava um anúncio com pop ups que surgiam na tela e achava que aquilo ia vender. Percebeu-se que não é bem assim. Aliás, fizemos uma pesquisa recentemente e descobrimos que esse tipo de mídia incomoda mais do que ajuda. Os pop ups são 40% menos eficientes hoje do que eram há dois anos. O poder da mídia digital é muito maior e vai além disso. É uma grande ferramenta para construção de sua marca. E todos sabem que quando você tem uma marca sólida consegue vender com mais facilidade.

De que modo isso é possível?

O caso da rede de hotéis Holiday Inn é exemplar. Eles desenvolveram um programa de comédia de dez minutos que se passa em lugares diferentes do mundo – obviamente em cidades onde estão os hotéis da rede. Esses episódios viraram febre. Todo mundo queria assistir. Conseguiram, com isso, vincular sua marca a um programa agradável, fizeram as pessoas assistirem aos episódios sem que isso fosse visto como um momento ruim e, ainda por cima, tiveram uma propagação incrível por meio dos próprios internautas que postam em blogues e enviam o programa por e-mail. Isso é construir uma marca no mundo digital e não somente vender um produto.

As mídias digitais mudaram o comportamento do consumidor?

Sim. Elas tiveram uma influência muito grande no modo como as pessoas compram. Na categoria de carros, por exemplo, 80% das pessoas na Europa procuram informações pela internet antes de ir a uma loja. Eles vão à procura de tudo: modelos, cores, interior, design, opiniões de pessoas que usam o carro. Só depois vão à loja. Há cinco anos, os compradores de carro iam em média a seis lojas antes de decidir comprar um carro. Agora vão no máximo a duas. A pesquisa ficou destinada à internet. Por isso as empresas precisam hoje estar presentes nesse mundo online para não perder negócios. O Google é hoje um dos espaços de publicidade mais disputados. Você tem que pagar para estar no topo da lista de busca por uma palavra-chave. No Reino Unido, o Google ganha mais dinheiro com propaganda do que qualquer outra empresa de publicidade do mundo.

As empresas brasileiras estão preparadas para construir suas marcas no mundo digital?

Algumas sim, mas a imensa maioria não. Os presidentes não sabem como fazer isso. Isso ocorre porque a geração digital ainda não chegou aos postos de comando e os CEOs de hoje são ainda de uma geração analógica, que não nasceu em meio à tecnologia. Eles não sabem exatamente do que se trata o mundo digital, sabem que é importante, mas não fazem a menor idéia do que fazer. Eles chegam nas agências à procura de pacotes, de soluções e de iniciativas – coisa que nem sempre encontram porque o Brasil está muito tecnologicamente atrasado na questão de mídias digitais. E é nesse nicho que queremos nos inserir aqui no Brasil e na América Latina.

A crise está afetando os investimentos nesse setor?

Não. Pelo contrário, eu acho que a crise vai ajudar o setor a crescer mais rápido. Isso porque num momento de dificuldade é mais do que nunca importante que cada investimento tenha o melhor retorno possível. E já se sabe que é possível ter retorno maior com o mundo digital do que com qualquer outro meio. Se você disparar um e-mail para seis milhões de pessoas que são seu público alvo, as chances do e-mail ser aberto e lido são de 80%. Ou seja, você atingiu 4,2 milhões de pessoas. Numa mídia tradicional, um comercial em horário nobre que atingiria essa mesma quantidade de gente custaria milhares de dólares.

O mundo digital facilitou o entendimento do consumidor?

Sim, porque as pesquisas hoje estão muito mais sofisticadas e precisas. Na internet você sabe exatamente o caminho que o seu cliente faz. Uma empresa aérea, por exemplo, consegue identificar os destinos que seu passageiro mais viaja e mandar promoções sobre aqueles trechos. É quase uma propaganda feita sob medida. Você atinge muita gente de maneira personalizada. Isso é algo extraordinário que não se podia fazer há algum tempo.

O que se deve manter das cartilhas e transpor para o mundo digital sobre vender e anunciar?

O mundo digital tem muito menos regras, mas duas delas certamente ficam do que se tinha aprendido com o mundo analógico. Primeiro, o consumidor é rei. E, segundo, que grandes idéias são fundamentais para tocar uma empresa adiante. Sempre.

 

“Internet é a 2ª mídia de massa no Brasil”

26/06/2008

23 horas e 51 minutos. Esse é o tempo médio que o brasileiro navega pela internet por mês, segundo informações do presidente do Interactive Advertising Bureau (IAB Brasil) e diretor-geral do Terra, Paulo Castro. Os números servem de apoio para a declaração de Castro, que a: "é a segunda mídia mais abrangente do Brasil. Só perde para a TV aberta", declarou ao portal Terra.

Com o volume mensal, o Brasil ultrapassa em três horas os franceses e em quatro horas os norte-americanos. Paulo Castro prevê que a internet brasileira deva atingir 25 milhões de visitantes únicos até o final de 2008. Em dezembro do ano passado, segundo o Ibope, este número era de 21,3 milhões, contabilizados a partir de conexões residenciais. Em número absoluto, o Ibope confirma 40 milhões de internautas. 

"É a sexta maior população de Internet no mundo. É um meio eletrônico de massa e alta cobertura", avalia o presidente da IAB Brasil. Segundo ele, o crescimento do mercado digital no país é impulsionado pelo aumento de venda de computadores e disseminação de acesso em escolas e lan-houses. Outro fator comentado por Castro foi  a baixa do dólar e melhor condições para crédito.

A Classe C foi a que mais cresceu em participação entre os brasileiros. A estimativa do IAB é de que, em 2008, 40% do uso da Web seja feito por este grupo, 13% pelas classes D e E e o restante pelas mais ricas.

Marcelo Gripa – Adnews

 

Consumo no comércio online aumenta 29% no 1º trimestre do ano

30/04/2008

As lojas online brasileiras movimentaram R$ 5,74 bilhões no 1º trimestre de 2008, um aumento de 29% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da E-Consulting e da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico.

O resultado leva em conta a soma dos volumes de transações de automóveis, turismo e bens de consumo por meio de lojas virtuais e leilões para pessoa física na web brasileira, observa o IDG Now.

A venda de automóveis foi responsável por quase metade da receita online no período, movimentando R$ 2,43 bilhões, alta de 31,35%.

Os bens de consumo movimentaram R$ 2,14 bilhões no trimestre, crescendo 29,7%. Já as vendas virtuais na área de turismo cresceram 28,57%, totalizando R$ 1,17 bilhão.

 

Direkt oferece mailings corporativos em parceria com OESP Mí­dia

26/03/2008

Com uma base de milhares de cadastros de consumidores, a Direkt incorpora mais um serviço ao seu portfólio e passa a oferecer mailings corporativos segmentados. Para isso, fechou parceria com a OESP Mídia, empresa do Grupo Estado e líder na edição de guias e listas na cidade de São Paulo.

A iniciativa rendeu à Direkt a criação de uma nova estrutura de tecnologia para incorporação dos dados com aproximadamente 153 mil novas empresas e 750 mil contatos de profissionais atuantes nessas organizações.

A abrangência do serviço é nacional e a maioria dos contatos está presente na região Sudeste. “Nosso objetivo é oferecer ao mercado uma base de dados corporativa qualificada, intensificar o relacionamento com os grandes players de mercado e aumentar nossa receita nessa linha de atuação”, explica Helena Pizzol, Gerente de Marketing e Serviços da Direkt.

Com essa incorporação, e Direkt pretende crescer em 10% na área de listas, até o final de 2008.

Juliana Moraes

 

Internet como a principal mí­dia do mundo

05/03/2008

Apesar de recente – cerca de 20 anos de idade – a Internet já é considerada tão fundamental quanto mídias tradicionais como a televisão. Em alguns casos, há quem prefira qualificá-la no caminho certo para se tornar o meio mais importante do mundo, como no caso de Marc Andreessen, referência no assunto digital, e um dos criadores do Netscape. "A internet está se tornando real agora de uma forma que nunca foi antes. Está se transformando na mídia principal na qual os consumidores se conectam para obterem informações e se comunicarem", disse em entrevista ao jornal "O Estado de S.Paulo".

Andreessen definiu a Web como um veículo de massa. Só no Brasil, conta com 40 milhões de usuários. Nessa linha, o especialista alertou para um movimento que deve acontecer em grande escala nos próximos anos na propaganda: a migração de grande parte da verba do meio offline para o on-line. Segundo ele, empresas do porte de Google, Microsoft e Yahoo "vão se beneficiar muito disso". Mas ainda há uma outra camada de iniciantes que também vai se aproveitar desse investimento que está por vir.

Mercado brasileiro
Por aqui o panorama e a tendência não são diferentes, segundo Fábio Saad, diretor de Mídia Online da DM9DDB. "Sempre pensamos a Internet nos planos de mídia. Temos que estar antenados à revolução, pois os clientes também estão", diz. O publicitário conta que costuma pensar na comunicação integrada para atender aos anunciantes de internet, 25 no total. Segundo ele, não há fórmulas pré-determinadas. "Cada cliente precisa de um tratamento e utilizamos a internet tanto como meio de massa quanto segmentação com links patrocinados", completa.

Saad considera arriscado prever tendências para os próximos anos na propaganda digital. Sobretudo, deixa claro a idéia de que a comunicação tende a se difundir pelas plataformas. Ou seja, a mesma mensagem será consumida em vários dispositivos e em vários momentos diferentes. "Talvez o marketing em celulares traduza esse conceito. Mas na verdade tudo muda muito rápido e precisamos acompanhar a convergência dos meios, que é o caminho mais certeiro", aposta.

Com as prováveis mudanças, o diretor acredita no crescimento da participação da internet no bolo publicitário, fato já corriqueiro em pesquisas. A última delas, divulgada nesta segunda-feira pelo Projeto Inter-Meios, sagrou a Web como a mídia campeã no aumento de verbas: 45,7% durante 2007. Outro aspecto a ser notado, segundo Saad, é a entrada dos anunciantes diretamente no conteúdo. Ele prevê que marcas serão cada vez mais inseridas na programação, de forma a atrelar a publicidade ao material exibido.

Marcelo Gripa – Adnews

 

Site da Clí­nica Vertebrata conquista excelentes posições nos buscadores

18/02/2008

O trabalho de Posicionamento em Sites de Busca para a Clínica Vertebrata completa um ano e a agência emarket fez o levantamento das posições conquistadas. Com um trabalho contínuo de otimização de páginas e realização de constantes cadastramentos em sites, guias e diretórios para aumentar a popularidade do site, os resultados do trabalho superaram as expectativas.

Além de manter as posições obtidas no primeiro semestre do ano passado, a emarket conseguiu posicionar uma quantidade muito maior de palavras-chave relacionadas aos diversos tratamentos realizados pela Vertebrata.

A Clínica Vertebrata localizada em Porto Alegre é especializada no tratamento de várias doenças da coluna vertebral, dorsal, lombar e cervical como lombalgia, artrose, artrite, hérnia de disco, osteoporose, lombago, escoliose, mieolopatia, bico de papagaio e outras.

O trabalho realizado pela emarket durante todo o ano de 2007 alcançou mais de 100 expressões relacionadas às doenças tratadas pela clínica entre as duas primeiras páginas do Google e dos principais sites de busca nacionais como Yahoo!, Cadê?, Altavista, Terra, UOL, Ig e outros.

Site relacionado: www.vertebrata.com.br

 

Vendas “online” nos EUA disparam para recorde na “Cyber Monday”

13/12/2007

As vendas na Internet nos EUA subiram para um valor recorde de 733 milhões de dólares (milhões de euros) na passada segunda-feira. Depois da "Black Friday", o dia a seguir ao feriado de Acções da Graças, em que os norte-americanos "atacam" as lojas em busca dos presentes de Natal, as compras continuaram "online", na "Cyber Monday".

De acordo com os dados divulgados pela ComSore, citados pela agência Bloomberg, as compras nos sites das retalhistas registaram um aumento na ordem dos 21%, com a Amazon.com, a Wal-Mart e a Target a serem as lojas "online" preferidas dos norte-americanos.

A visita das páginas de Internet das retalhistas aumentou em 38%, segundo a ComScore. A Wal-Mart e a Circuit City aliciaram clientes com a oferta de descontos "online" para ecrãs de televisão de alta definição, casacos de peles, entre outros produtos.

A segunda-feira a seguir ao Dia de Acção de Graças é designada de "Cyber Monday" desde 2005. Este dia é marcado por uma forte afluência dos norte-americanos às lojas "online" para comprarem os presentes de Natal, ou aproveitarem oportunidades, que não conseguiram adquirir na "Black Friday", o dia em que é feita a maioria das compras de Natal nos EUA.

Paulo Moutinho

 

Os negócios e a segurança do “vôo virtual”

03/12/2007

A crise aérea brasileira provocou uma série de mudanças no dia-a-dia de grandes empresas e escritórios em todo o território nacional. Por causa da insegurança e devido aos seguidos atrasos e cancelamentos de vôos, muitos empresários, executivos e técnicos estão substituindo as suas viagens convencionais por “viagens virtuais”. Isso vem acontecendo gradualmente, mas de forma constante e consistente. A empresa, além de garantir a segurança de sua equipe, economiza sensivelmente com passagens aéreas, hospedagens em hotéis, serviço de táxi, locação de automóveis e alimentação.

Outro aspecto extremamente vantajoso das “viagens virtuais” é a garantia de segurança e autenticidade na troca de informações e documentos oficiais. A agilidade nos procedimentos é outra vantagem: decisões que ficariam emperradas por atrasos e cancelamentos de vôos são tomadas com grande velocidade e total segurança.

Mas como viabilizar tudo isso, ganhar em produtividade, segurança e economia, e fugir do caos nos aeroportos brasileiros? A resposta aponta para duas ferramentas: a Intranet e um Sistema Comunicador Corporativo (SCC). São tecnologias bem apuradas e de domínio das principais empresas multimídias brasileiras e adotadas crescentemente pelas organizações em centros como São Paulo, Campo Grande, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Mas da mesma forma, são extensivas para escritórios remotos que podem estar em um determinado ponto da Amazônia, em uma ilha no Oceano Atlântico ou em qualquer povoado nos Montes Urais, na Rússia ocidental.

Isso quer dizer que a comunicação, o fluxo de documentos, reuniões e a tomada de decisões com protocolo seguro e criptografado acontecem independentemente da distância e situação em que os envolvidos se encontram: sob o calor de Cuiabá, na sacada de um hotel em Miami, em uma estação de pesquisa na Antártida ou em um confortável escritório em Berlin.

A Intranet trabalha com recursos semelhantes à Internet, só que é delineada respeitando os limites estabelecidos pela empresa. Isso permite a divulgação de informações de conhecimento geral na instituição, calendários, formulários em geral, solicitações aos diversos departamentos, reuniões virtuais, agenda de telefone comum a todos, bate-papo, vídeos e conversação multimídia sem a interferência de elementos externos que possam afetar a produtividade ou capturar informações sigilosas.

Os risco de perda de produção de funcionários e executivos pela utilização de sistemas de mensagens instantâneas (como o MSN Messenger) para tratar de  assuntos pessoais e particulares é eliminado pela implantação de um Sistema Comunicador Corporativo (SCC). Trata-se de uma rede interna de mensagens simultâneas sem a interferência e improdutividade da rede convencional.
 
A autenticidade do usuário é garantida pelos seus dados armazenados na empresa. Esses dados não são anônimos. O sistema garante a transferência de arquivos de forma ponto-a-ponto com ótima velocidade na troca dos dados, além de permitir conferência entre os utilizadores. Com isso, é possível fazer reuniões virtuais sem a necessidade de deslocamento físico, reduzindo-se custo com viagens, transporte e diárias. Para segurança da organização todas as mensagens são arquivadas e podem ser consultadas por usuário ou data.

Apesar de não eliminar em 100% a necessidade das viagens convencionais, a tecnologia pode reduzi-las sensivelmente. Além da segurança para a equipe, agilidade nos negócios e apurada economia, a empresa também ganha em respeito, credibilidade e admiração pública pela competência em utilizar os recursos tecnológicos disponíveis de forma produtiva e funcional.
 

Wilson Bento  é empresário, sócio-proprietário da Master Case Digital Business em Campo Grande/MS

 

Hotéis Tivoli promove “melhor preço online”

29/06/2007

Os Hotéis Tivoli apresentam uma promoção para reservas individuais que “garante o melhor preço online” válida em exclusivo para as reservas feitas no seu website para as unidades Tivoli aderentes e aplicam-se sobre as tarifas públicas, disponíveis online.

A promoção garante aos clientes o preço mais baixo online afirmando que “honrará o preço mais baixo e fará um desconto adicional de 10% sobre o valor” caso se confirme que os clientes encontraram uma tarifa mais baixa na Internet no período de 24 horas após a reserva ou antes de reservar o mesmo tipo de quarto, nas mesmas datas reservadas, alojando o mesmo número de pessoas e com as mesmas condições publicadas no site dos Hotéis Tivoli.

Os hotéis aderentes a esta promoção são 11 e todos em Portugal Continental: o Tivoli Lagos, Tivoli Almansor, Tivoli Arade, Tivoli Marinotel, Tivoli Lisboa, Tivoli Jardim, Tivoli Tejo, Tivoli Sintra, Tivoli Palácio de Seteais, Tivoli Coimbra e Tivoli Porto.

Fora desta promoção estão as tarifas negociadas ou contratadas com empresas, grupos, agentes de viagens ou operadores turísticos e associações, não sendo aplicável sobre tarifas promocionais, de pacotes, estadas longas ou sem impostos incluídos ou em moeda estrangeira.

 

Mobimax lança 1º aparelho de teleconferência bluetooth

03/05/2007

A Mobimax, distribuidora brasileira de acessórios e periféricos de informática, está trazendo o primeiro sistema de teleconferência bluetooth – Conference bluetooth – fabricado pela empresa francesa Parrot. Os principais diferenciais do novo aparelho são: ser o primeiro a adotar a tecnologia bluetooth, não ter fios, ser portátil e ser voltado para aparelhos de telefonia móvel. O lançamento estará à venda até a primeira quinzena de maio deste ano no país.

O Conference bluetooth permite realizar reuniões em teleconferência tanto com o telefone móvel quanto com um PC, desde que este tenha technologia bluetooth embutida, e é muito útil para o setor corporativo. Ele emparelha até 50 aparelhos de telefonia móvel, permite até 10 horas contínuas de uso e possui 3 altos-falantes com 5W de potência cada. Também sincroniza com os contatos que estão na agenda dos celulares.

A novidade vem com um software que permite a conexão do aparelho com o PC para uso com o programa de VOIP Skype, o que garante ao PC ter a funcionalidade de teleconferência sem fio. O lançamento tem 3 microfones com alta sensibilidade de voz em 360º, filtro para ruídos e o design arrojado garante o fácil transporte do aparelho. Possui tela colorida de 2″ em alta resolução e acompanha bateria recarregável. O preço sugerido para o Conference bluetooth é R$ 1.590,00.

 

Christie´s estende leilões online a todo o mundo

27/04/2007

GENEBRA – A Christie´s anunciou hoje que estenderá até o fim do ano a todas as suas filiais o serviço de leilões pela internet em tempo real, o Christie´s Live, por meio do qual internautas de todo o mundo poderão participar de qualquer leilão da empresa britânica.

Sua filial de Genebra oferecerá o serviço a partir do dia 14, quando serão leiloados 486 lotes de relógios de pulso e de bolso, e posteriormente o estenderá a Hong Kong, Dubai, Los Angeles, Madri, Milão, Tel Aviv e Zurique, afirmou em coletiva a porta-voz Carine Decroi.

Pela internet, graças a uma câmera de vídeo e um microfone instalados nas salas, os interessados podem assistir virtualmente aos leilões e disputar os lotes desejados com os compradores presentes na sala e os que dão lances por telefone.

A Christie´s realizou 228 vendas graças a esse sistema, que recebeu mais de 20 mil lances desde julho, quando o serviço começou a funcionar em Nova York, sendo depois estendido a Londres, Paris e Amsterdã.

Demanda

Nick Finch, um dos responsáveis pelo desenvolvimento e implantação do serviço, disse que o número de compradores pela internet aumentará à medida que os clientes se familiarizarem com o Sistema.

Finch lembrou que 40% das vedas do leilão de objetos relativos à série de televisão “Jornada nas Estrelas”, realizado em outubro, foram feitas pela internet.

Efe

 

Empresas portuguesas lançam publicidade “click to call”

17/01/2007

O Grupo Cofina, detentora entre outros títulos do Jornal de Negócios e do Correio da Manhã, e a Byside.com, controlada pela NetWork, lançam hoje uma nova técnica publicitária “online”, denominada “click to call”.

Através dos “banners” publicitários do grupo Cofina, como o Jornal de Negócios Online entre outros, os anunciantes podem disponibilizar uma ferramenta que permite a quem clicar na mensagem “Fale connosco agora” colocar um numero de telefone e a hora que desejam ser contactados, noticiou o “Público”.

O segmento de crédito ao consumo é um dos principais mercados alvo desta nova ferramenta, tal como todas as empresas “que assentam em plataformas de negócio de call center”, considera o director da unidade de negócios de Internet da Cofina Media, Nuno Ribeiro, citado pelo diário nacional.

A primeira empresa que, em Portugal, aderiu ao novo conceito foi o banco de crédito ao consumo Cetelem.

 

Africa cria 1º ‘super banner’ no YouTube para usuários brasileiros

01/11/2006

A Gradiente fechou a primeira veiculação de um superbanner gráfico no YouTube para usuários brasileiros. A peça publicitária remete à campanha da linha High Definition da empresa, que aborda pioneirismo, inovação e tecnologia, características comuns também da Internet.

Ao clicar no superbanner que informa “A linha High Definition Gradiente 2008 é tão avançada que foi a primeira a chegar no YouTube”, o usuário é automaticamente direcionado ao hotsite da Gradiente dedicado exclusivamente ao tema “Alta Definição”. Segundo explica o Sócio e Diretor de Mídia da Africa, Luiz Fernando Vieira: “No dia 23, o Google informou que o formato superbanner gráfico estava disponível para veiculação regionalizada. Imediatamente, vislumbramos uma ótima oportunidade para ampliar a presença da Gradiente junto à vanguarda da Internet”, afirma Vieira. Vieira destaca ainda que a ação, aprovada, produzida e viabilizada em menos de 24 horas.

 

Banners promovem nova fralda JOHNSON’S® baby

18/10/2006

A agência Tribo Interactive acaba de colocar no ar mais uma campanha para a Johnson & Johnson. Intitulada “Cegonha” a ação tem como objetivo apoiar o lançamento das novas fraldas JOHNSON’S® baby Primeiros Meses.

Acompanhando o conceito do produto, que foi desenvolvido especialmente para a pele delicada de bebês recém-nascidos, a ação procura transmitir os atributos de carinho e proteção. Utilizando os formatos full banner expansível, box banner, full banner e ações de customização interna e newsletter, as peças mostram uma cegonha voando ao longe carregando uma encomenda no bico, ao se aproximar, ela solta suavemente o pacote de fraldas. Em seguida surge o título, “Nova fralda JOHNSON’S® baby Primeiros Meses, toda proteção e suavidade que seu bebê precisa”. Em outra peça, o pacote de fralda aparece com um botão de um algodoeiro, com a frase: “Uma fralda com um toque tão suave quanto a pele do bebê”.

As peças estão sendo veiculadas em sites especializados como Guia do Bebê, Top Baby, Bebê 2000 e Baby Site. 

 

Hanoff tem 100 expressões na 1ª página do Google

15/10/2006

O novo site da Hanoff Advogados, de Porto Alegre, planejado e desenvolvido pela emarket em parceria com a Studio2, alcançou resultados muito significativos com o trabalho de otimização desenvolvido pela emarket. Em pesquisa realizada na semana que passou, foi verificado que o site aparece entre os 10 primeiros resultados em pesquisas realizadas com mais de 100 expressões relacionadas ao negócio da empresa. É por essa razão que o site vem aumentando cada vez mais a audiência e obtendo uma média de 150 visitas diárias sem nenhum outro investimento em publicidade.

A correta otimização do site traz ótimos resultados de posicionamento nos sites de busca. Quando o site é desenvolvido por uma empresa que utiliza as regras corretas de otimização, isso acaba fazendo uma enorme diferença, porque facilita a obtenção de uma quantidade muito maior de palavras-chave entre os primeiros resultados.

Como a Hanoff atua em diversas áreas do Direito, tem uma quantidade muito grande de expressões-chave, e a adoção das regras corretamente nas páginas proporciona resultados que por si só são capazes de aumentar e manter uma ótima audiência segmentada.

Abaixo realcionamos alguns resultados. Clique nas expressões para conferir:

advogados RS – 2.190.000 resultados – 3ª e 4ª posição

advogado criciuma – 87.500 resultados- 3ª e 4ª posições

escritorio de advogados porto alegre – 524.000 resultados – 2ª e 3ª posições

assessoria fiscal tributaria – 449.000 resultados – 3ª posição

advogado tributarista – 34.600 resultados – 4ª posição

advogado tributarista rs – 18.200 resultados- 1ª posição

Assessoria juridica RS – 453.000 resultados – 7ª posição

negociação divida bancaria – 204.000 resultados – 1ª e 2ª posições

advogado direito societário – 134.000 – 5ª posição

advogado Previdencia Social – 1.080.000 resultados – 1ª posição

Site relacionado: www.hanoffadvogados.com.br

 

‘O que entra na web fica para sempre’, diz presidente da Fast Search

14/09/2006

O executivo, que veio ao Brasil no mês passado, fica impressionado com a quantidade de dados que as pessoas divulgam na internet. “Se você olhar o MySpace (uma comunidade virtual), muitos jovens colocam um monte de informações e fotos sem pensar muito que essas coisas nunca vão desaparecer”, ressalta. “Se você imprime uma foto sua, pode queimá-la e destruí-la para sempre. Mas se ela está na internet, alguém pode fazer uma cópia e a imagem não vai sumir nunca”.

Não é só isso. Várias empresas costumam armazenar cópias de milhões de home pages nos seus computadores. Claro que muitos dados – ainda que pessoais – não oferecem nenhum tipo de perigo, mas outros podem trazer complicações. Uma foto sua pode ser resgatada e usada em uma montagem feita por sua ex-namorada ou por seu ex-namorado, por exemplo, com a intenção de se vingar. E imagens e vídeos dos seus filhos podem parar nas mãos de um pedófilo – mesmo que você tome o cuidado de apagar tudo da rede, alguém pode ter gravado antes. “Aprender a lidar com a internet será um desafio para nós pelos próximos 30 anos”, acredita.

Lervik conta uma história real para mostrar como algumas informações disponíveis online podem render problemas tempos depois. “Há alguns anos eu tinha de entrevistar uma pessoa para uma vaga de emprego”, lembra. O executivo então entrou em um buscador e digitou o nome completo do candidato. Encontrou uma referência no mínimo inusitada. “Um site dizia que essa pessoa tinha visitado um satanista em São Francisco e pagou US$ 30 para que cortassem a cabeça de um cordeiro – ou algo parecido. Ela ficou chocada quando mencionei o fato.”

Essa enorme quantidade de dados sobre milhões de pessoas, no entanto, também pode ser usada para o bem.

A empresa de Lervik criou ferramentas capazes de buscar conteúdos ilícitos e indícios de atividades criminosas em uma quantidade inimaginável de páginas da internet. O uso desses buscadores está restrito a policiais e agentes do serviço secreto de vários países, que ele não pode identificar por motivos óbvios.

Como procurar bandidos virtuais digitando palavras-chave está mais para encontrar uma agulha em um palheiro, os mecanismos desenvolvidos pela Fast vasculham a web automaticamente e disparam alertas sempre que identificam alguma atividade suspeita. “Isso inclui pessoas vendendo carros roubados, terroristas que usam a rede para trocar informações e pedófilos”, diz.

Dá até para tentar resgatar informações ou arquivos pessoais em poder de criminosos, mas, nesses casos, nada garante que outros bandidos já tenham copiado tudo. Por isso, é melhor prevenir.

Tomar cuidado não significa ter de se afastar totalmente da rede. Para Lervik, a possibilidade de usar a internet para encontrar pessoas com os mesmos interesses deve ser cultivada. “Deve haver umas 50 pessoas interessadas em flyfishing no Brasil (modalidade de pesca que usa iscas artificiais em forma de moscas)”, pondera. “Se esses especialistas trocarem informações entre si, haverá mais dados na web sobre tópicos especializados. O conteúdo gerado por usuários é muito bom também em resenhas, como avaliações de hotéis, produtos e restaurantes. Isso nos ajuda, como consumidores, a tomar decisões melhores.”

O executivo não encara apenas a internet com essa visão pragmática. Sua vida digital também está pautada por essa concepção. “Eu não sou o tipo de pessoa que você verá usando muitos aparelhos eletrônicos”, confessa. “Sou bastante prático em relação ao que eu preciso.” Por isso, ele usa um notebook e um celular para estar disponível sempre que viaja.

Em casa, Lervik conta com tecnologia capaz de tornar sua música disponível em qualquer um dos cômodos. A Fast, aliás, está desenvolvendo um mecanismo que permitirá a qualquer pessoa acessar todas as suas canções com qualquer aparelho eletrônico (PC, celular, TV), de qualquer lugar. Bastará uma conexão de banda larga.

 

IBM anuncia estratégia de código aberto “além do Linux

17/08/2006

A IBM anunciou a ampliação de sua estratégia de código aberto para além do Linux. Durante o LinuxWorld, evento que reúne a comunidade de código aberto esta semana em San Francisco (EUA), a companhia disse que focará oito novas áreas com soluções abertas.

Entre suas ações, a IBM deve buscar novas oportunidades de negócios envolvendo as tecnologias não-proprietárias para o middleware voltado ao cliente, desenvolvimento de ferramentas, servidores de aplicativos web, servidores de dados, gerenciamento de sistemas, hardware, computação em grid e seus projetos de pesquisa e consultoria.

A IBM foi uma das primeiras empresas a adotar o Linux como sistema operacional em hardwares pesados. Agora, a companhia planeja liderar ações semelhantes nessas novas áreas.

John Andrews, analista da Evans Data, disse que o Linux atingiu o auge de seu desenvolvimento, apoiado em boa parte pela IBM. “Então, a Big Blue pode agora criar outras formas de desenvolvimento de software de código aberto”, diz.

“A estratégia ‘Beyond Linux’ será muito importante para o cenário do código aberto. Agora que a IBM trouxe o Linux a um patamar estável, ela pode ajudar a elevar todo o movimento de código aberto ao nível atual do Linux”, afirma o especialista.

Segundo ele, a estratégia também deve auxiliar gerentes corporativos de TI a gastar mais com aprimoramentos de rede do que com sua manutenção. “O custo sai do orçamento de manutenção para entrar no de inovação tecnológica”, prevê Andrews.

A estratégia de ferramentas de desenvolvimento de código aberto da IBM vai endereçar a plataforma de desenvolvimento Eclipse, um projeto iniciado pela companhia há alguns anos, antes de ser separado como uma entidade independente. O Apache Derby e seus próprios bancos de dados gratuitos IBM DB2 Express-C serão as bases para o seu trabalho na área de servidores de bancos de dados de código aberto.

Outros projetos de código livre que serão chave para a estratégia ampliada da IBM incluem a plataforma rich client Eclipse, para a hospedagem de aplicativos multiplataformas; o projeto Geronimo de servidor de aplicativos Java de código aberto da Apache Software Foundation; o projeto de storage Aperi; os projetos de hardware Power.org e Blade.org; e a aliança Open Grid Services Architecture and Globus Alliance para computação em grid.

Em comunicado, Scott Handy, vice-presidente de Linux e código aberto da IBM, classificou o novo posicionamento da empresa como “forte e agressivo”. Segundo ele, a companhia planeja transformar definitivamente seus negócios através do suporte ao software livre em diversas áreas de desenvolvimento de hardware e software.

Além dessas oito áreas-foco, a IBM apresentou nesta terça-feira (15/08) diversas iniciativas para aprimorar sua estratégia de código-aberto. A companhia disse que vai integrar seu processador Cell BE – que estende a arquitetura do chip IBM 64 bit Power – ao kernel do Linux.

A IBM também está trabalhando com a Red Hat para oferecer uma versão mais segura do Red Hat Enterprise Linux 5. Além disso, os engenheiros da empresa vêm desenvolvendo softwares de código aberto para virtualização, focando nas áreas de gerenciamento de sistemas, segurança e da arquitetura Power.

Robert Mullins, IDG News Service (San Francisco)

 

Negócios agitam a “web”

10/07/2006

“Make it. Post It. Profit”. “Get Paid to Blog, Advertise on Blogs”. O que há em comum entre estes dois “slogans”? Ambos pertencem a “sites” que aceitaram dividir os seus lucros publicitários com os utilizadores, cujos modelos de negócio estão a gerar polémica.

São cada vez mais os cibernautas que colocam os seus conteúdos na Internet. O número de utilizadores e o tráfego que registam “sites” como o Flickr, para fotografias, ou o YouTube, para vídeos, atestam isso mesmo.

É certo que há quem se tenha tornado famoso graças à Internet, como aconteceu, por exemplo, com os Artic Monkeys, em Inglaterra, ou com Brookers, ou Brooke, uma jovem realizadora de vídeos caseiros, descoberta no YouTube, que a MTV decidiu contratar. Mas, em ambos os casos, quem lucrou com a sua popularidade foram grandes empresas, o que parece indicar que tornar-se conhecido na Internet não é difícil, mas rentabilizar a fama já é mais complicado.

“Sites” como o Eefoof, Revver, Lulu TV, Newsvine ou o PayPerPost, contudo, estão dispostos a partilhar os seus lucros, desde que isso lhes dê outras contrapartidas financeiras.
O interesse dos anunciantes em aparecer neste novo meio de comunicação não é tanto que se fale deles, mas inflacionar a sua posição nos motores de pesquisa.

Este tipo de negócios está a dar “pano para mangas” por esses “blogs” fora. Antonio Ortiz, do Error500, é uma das vozes críticas.

 

Venda online de música compensará quebra nos CD´s


28/03/2006

Durante os próximos cinco anos as vendas online de música aumentarão rapidamente, segundo um estudo da Forrester, segundo o qual os novos canais de venda, como a Internet, ajudarão a impulsionar a procura.

Segundo este estudo, divulgado esta terça-feira, as vendas dos formatos tradicionais, como o CD e DVD, sofrerão quebras na ordem dos 30% na Europa. Todavia, esta descida será compensada pelos downloads.

A Forrester prevê ainda que as vendas de música online cresçam mais de 10 vezes até alcançar os 3.900 milhões de euros em 2011. Em 2006 prevêem-se vendas na ordem dos 279 milhões de euros.

O total de vendas de música aumentará desde os 9.500 milhões de euros actuais para 11.000 milhões em 2011, segundo este estudo.

 

Hershey´s do Brasil lança site novo


08/12/2005

A Hershey´s do Brasil lança seu novo site, que traz, entre outras coisas o “deixe o seu dia mais gostoso”. Um espaço com webcards, wallpapers, receitas e curiosidades sobre o universo chocolate.

O novo portal, remodelado e mais ágil, conta com dois outros destaques: uma área restrita – com prestação de serviços aos associados – e um canal para a Imprensa, onde serão disponibilizados todos os releases e materiais para jornalistas e formadores de opinião.

Para marcar o lançamento, a Hershey’s veiculará três banners diferentes nos portais MSN Messenger e MSN Hotmail.

 

Brasil tem a 10ª maior população de internautas do mundo


11/11/2005

O Brasil tem a décima maior população de internautas do mundo, com 22 milhões de pessoas conectadas à rede. Dados publicados ontem pela Organização das Nações Unidas (ONU) mostram que o mundo conta com 875,6 milhões de internautas. Mas as informações também revelam que o mundo está longe de ser uma sociedade da informação diante das disparidades entre os países ricos e pobres.

Em termos de penetração da Internet entre a população, apenas 12 em cada cem brasileiros tem acesso à rede e 8% contam com um computador. Mesmo assim, o Brasil conta com mais usuários de Internet que todo o continente africano junto.

Os dados estão sendo publicados às vésperas da Cúpula da Sociedade da Informação, que ocorre na Tunísia na semana que vem e que debaterá o acesso dos países pobres à Internet e outras tecnologias.

Segundo a ONU, o ritmo do crescimento da Internet no Brasil tem sido mais tímido nos últimos anos, embora continue mostrando taxas elevadas. Entre 2003 e 2004, o aumento foi de 22,2%, o equivalente à média de aumento mundial. Nos anos anteriores, porém, o crescimento foi mais elevado no Brasil e chegou a 78% entre 2001 e 2002.

Esse crescimento permitiu que o percentual da população brasileira com acesso à rede passasse de 2,9% em 2000 para 12,2% em 2004. Mas mesmo assim, a média é inferior à taxa de penetração mundial, que está em torno de 14%.

Já a maior população de internautas fica nos Estados Unidos, com 185 milhões de pessoas conectadas. A China vem em segunda lugar, com 95 milhões de usuários. Pequim já ultrapassou os japoneses, que contam com 75 milhões de internautas. Na Europa, o maior usuário é a Alemanha com 41 milhões de pessoas conectadas. Já na América Latina, o México e o Brasil correspondem a 60% dos usuários.

 

Brasil é o 7º colocado em uso de banco online


31/10/2005

O Brasil é o sétimo país em utilização de sistemas de banco online no mundo. A constatação é da Global Market Insite (GMI), fornecedora de soluções para pesquisas de mercado na internet, que desenvolveu uma pesquisa para medir diferentes aspectos desse mercado. O estudo envolveu 17,5 mil consumidores em 18 países e revelou que a maioria dos europeus utiliza sistemas de banco online, com destaque para Holanda, Alemanha e Dinamarca. O Brasil tem 41% de usuários. Os Estados Unidos e o Japão se posicionam no 10º e 11º lugares, respectivamente, com 38% e 30%.

O serviço bancário online vem ganhando cada vez mais popularidade no mercado, sobretudo com o aumento dessa oferta no exterior – como o ING Direct (banco virtual vinculado ao grupo ING, reconhecido na Europa e nos Estados Unidos) e o EmigrantDirect (divisão do Emigrant Savings Bank, famoso banco virtual americano). Comparando com as instituições bancárias tradicionais, estes serviços virtuais oferecem rendimento muito superior nas contas de poupança; uma diferença de 3,5%.

Entretanto, segundo a empresa que conduziu a pesquisa, a falta de confiança na segurança nesse sistema pode ser uma das razões pela qual o serviço ainda não decolou firmemente em países como os Estados Unidos. Explica-se: quase dois milhões de norte-americanos tiveram suas contas invadidas por hackers em 2004, de acordo com um recente estudo da Gartner. Os países posicionados no topo do ranking da pesquisa, Alemanha e Holanda, possuem medidas de segurança fortalecidas com políticas de identificação ‘two-factor’ (mais de uma senha para se conectar à conta), o que gera mais conforto e segurança aos usuários. Nesses países, alguns bancos já estão pedindo um terceiro número de identificação aos seus clientes.

De acordo com a GMI, outra razão que explica a lenta adaptação da maioria das populações ao sistema de bancos online é a preferência por um contato pessoal. No Brasil, por exemplo, este é considerado um fator importante, valorizado por 60% das pessoas. O país que dá mais importância ao atendimento clássico é a França, com 74%.

O estudo mostrou que, mundialmente, o mercado de usuários entre 18 e 29 anos adotou o sistema de bancos online mais do que qualquer outra faixa etária. Na Holanda, 85% dos jovens utilizam o sistema. Igualmente, os jovens da Dinamarca, Alemanha, Canadá Polônia e Austrália (76%, 73%, 64%, 62% e 58% respectivamente) administram sua conta bancária via internet na maior parte do tempo.

Independentemente de as falhas no sistema de segurança afastarem usuários, consumidores de todo o mundo acreditam que o sistema virtual veio para ficar. Pelo menos 79% dos usuários (80% no Brasil) concordam que movimentar sua conta pela internet e por telefone melhorou a qualidade do serviço. Até na Rússia, posicionada em último lugar, neste quesito, 75% responderam positivamente.

 

Lucro do eBay salta 40% e atinge US$ 255 milhões no 3º trimestre


21/10/2005

O terceiro trimestre foi melhor que o esperado para o eBay, empresa de comércio eletrônico dos Estados Unidos. De acordo com o balanço divulgado nesta quarta-feira, o lucro do período subiu 40% ante igual período de 2004 e as vendas cresceram acima do esperado.

De acordo com o balanço da empresa, o eBay teve lucro de US$ 255 milhões no terceiro trimestre, ou US$ 0,18 por ação. O valor é 40,10% superior ao resultado obtido em igual período de 2004, quando o site de comércio eletrônico teve lucro de US$ 182 milhões, ou US$ 0,13 por ação. No trimestre, as vendas subiram 37% ante o ano anterior, para US$ 1,1 bilhão. No mercado, analistas aguardavam vendas de US$ 1,08 bilhão.

Sobre a recente aquisição do Skype, ferramenta de comunicação que usa a tecnologia de voz sobre IP, o eBay avisa aos investidores que a compra vai custar US$ 0,01 por ação que está no mercado.

O terceiro trimestre foi melhor que o esperado para o eBay, empresa de comércio eletrônico dos Estados Unidos. De acordo com o balanço divulgado nesta quarta-feira, o lucro do período subiu 40% ante igual período de 2004 e as vendas cresceram acima do esperado.

De acordo com o balanço da empresa, o eBay teve lucro de US$ 255 milhões no terceiro trimestre, ou US$ 0,18 por ação. O valor é 40,10% superior ao resultado obtido em igual período de 2004, quando o site de comércio eletrônico teve lucro de US$ 182 milhões, ou US$ 0,13 por ação. No trimestre, as vendas subiram 37% ante o ano anterior, para US$ 1,1 bilhão. No mercado, analistas aguardavam vendas de US$ 1,08 bilhão.

Sobre a recente aquisição do Skype, ferramenta de comunicação que usa a tecnologia de voz sobre IP, o eBay avisa aos investidores que a compra vai custar US$ 0,01 por ação que está no mercado.

Para o quarto trimestre, a empresa espera ganhar US$ 0,21 por ação com vendas que devem ficar entre US$ 1,245 bilhão e US$ 1,285 bilhão. Para 2006, o eBay crê em vendas entre US$ 5,7 bilhões e S$ 5,9 bilhão, incluindo US$ 200 milhões que devem ser faturados com o Skype.

Para o quarto trimestre, a empresa espera ganhar US$ 0,21 por ação com vendas que devem ficar entre US$ 1,245 bilhão e US$ 1,285 bilhão. Para 2006, o eBay crê em vendas entre US$ 5,7 bilhões e S$ 5,9 bilhão, incluindo US$ 200 milhões que devem ser faturados com o Skype.

 

Addcomm lança seu 1º projeto internacional


13/10/2005

A Addcomm, nova empresa de marketing online formada pela união da Advice NetBusiness, Dotcomm e Tange Digital, coloca no ar seu primeiro projeto internacional. Trata-se do portal americano da Distinctive Honeymoons, onde o internauta pode comprar o presente de lua de mel dos futuros noivos, que vai desde o champanhe no hotel até cotas da viagem.

Para a realização do projeto foram pesquisados sites do setor de viagens e presentes de luas de mel nos Estados Unidos. A equipe avaliou a usabilidade, design e ferramentas de suporte e atendimento online de sites similares e desenvolveu um atendente virtual, chamado “How To”. Esta ferramenta foi configurada para explicar ao usuário, como utilizar o site em todo seu potencial e apresentar o portal.

 

Prêmio iBest abre inscrições para sua 11ª edição


28/09/2005

O Prêmio iBest, considerado o “Oscar mundial da Internet”, iniciou o processo de inscrições de sites para a edição de 2006. A nova edição traz novidades na inscrição e na escolha dos melhores sites, valorizando os critérios técnicos apresentados por cada candidato.

As inscrições são gratuitas, e devem ser feitas através do site oficial do Prêmio iBest, encerrando-se no dia 24 de novembro.

 

Caracol “turbinado” em campanha da BrTurbo


28/09/2005

A Beclick, agência que surgiu a partir de um acordo operacional entre a Agênciaclick e a Borghierh, está lançando esta semana nova campanha para o provedor de internet BrTurbo, da BrasilTelecom. Apresenta o conteúdo diversificado do portal e também uma promoção que vai dar o modem e um telefone celular GSM pós-pago aos novos assinantes.

As peças, de TV, mídia impressa e internet, têm como símbolo um caracol “turbinado”, que viaja pela conexão banda larga do provedor, passando através do amplo conteúdo do portal, passando por noticiários transmitidos via web, downloads de mp3, filmes, etc.

 

Lojas do 2º Liquidaweb vão aceitar cartão de débito Visa Electron


07/0902005

A LiquidaWeb, uma promoção conjunta que reúne as maiores lojas do varejo eletrônico do País, coordenada pela Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Camara-e.net), terá uma nova edição entre os dias 9 e 18 de setembro. O evento no qual são oferecidos produtos com descontos de até 50%, parcelamento em até 12 vezes sem juros e frete grátis para algumas ofertas, trará como grande novidade a aceitação do cartão de débito Visa Electron. A partir do início da promoção, todas as 12 lojas participantes passarão a aceitar essa forma de pagamento, ainda inédita no comércio eletrônico brasileiro.

“A possibilidade do pagamento com cartão de débito Visa Electron fará com que um número maior de pessoas possam fazer compras pela Internet, fator que está totalmente de acordo com os objetivos da Liquidaweb. Desde sua primeira edição o evento tem por objetivo promover a inclusão de um número cada vez maior de consumidores no comércio eletrônico nacional e agora encontramos no cartão de débito um importante aliado” , afirma o presidente do Comitê de Varejo da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Camara-e.net) , Flávio Jansen.

“A utilização do cartão de débito Visa Electron na internet, aumentará o acesso das pessoas a esse canal, incentivando as compras virtuais, ao mesmo tempo em que contribuirá para incrementar a lucratividade do varejo eletrônico e a rentabilidade dos bancos membros da Visa. Atualmente, a empresa detém 58% do market share do comércio eletrônico, além de possuir 92 milhões de cartões Visa Electron no País, o que demonstra o potencial de crescimento dessa forma de pagamento inovadora e exclusiva da Visa”, afirma Eduardo Chedid, vice-presidente de produtos da Visa do Brasil.

A utilização do cartão de débito Visa Electron na internet deve-se à criação da solução Verified by Visa, que autentica o estabelecimento e o portador do cartão na hora da compra, garantindo ainda mais transparência e segurança à transação. Com o Verified by Visa os usuários poderão obter esse benefício sem custo adicional.

Ao optar por realizar a compra com cartão de crédito ou débito, o consumidor fornecerá ao banco uma senha já conhecida por ele. Nesse momento ele será reconhecido pelo banco, concluindo a compra. Atualmente o Bradesco já disponibiliza essa facilidade aos seus consumidores e até o final do ano outros bancos também passarão a utilizá-la.

Além da nova ferramenta de compras, a segunda edição da Liquidaweb comemora ainda o aumento do número de lojas envolvidas. O novo participante é o portal Comprafacil.com.br, o braço on-line do tradicional Grupo Hermes. Ele junta-se às seguintes lojas virtuais: Americanas.com, Extra.com.br, LivrariaCultura.com.br, LivrariaSaraiva.com.br, MagazineLuiza.com.br, Marisa.com.br, Shoptime.com.br, Siciliano.com.br, SomLivre.com, Submarino.com.br e TokStock.com.br.

Na primeira edição da LiquidaWeb realizada em julho, as lojas obtiveram um aumento médio de 75% no faturamento, se comparado ao resultado do evento realizado em 2004. De acordo com Jansen, a expectativa dos participantes é superar este sucesso com a aceitação do cartão de débito Visa Electron.

“Ainda não temos parâmetros para medir o impacto desta nova ferramenta nos negócios, mas sabemos que existe um número muito maior de usuários de cartões de débito do que de crédito. Isto nos dá a certeza de que quando a utilização destes plásticos estiver devidamente consolidada na cultura de consumo do internauta brasileiro teremos um aumento bastante significativo no volume de compras pela internet”, disse Flávio Jansen.

 

MercadoLivre atinge mais de 2,2 milhões de negócios no 1º semestre


29/08/2005

De acordo com o balanço das atividades realizadas no primeiro semestre de 2005, neste período, o MercadoLivre.com alcançou a marca de mais de 2,2 milhões de negócios realizados por meio de sua plataforma brasileira.

Comparando-se com os resultados registrados no primeiro semestre de 2004, estes dados nacionais apontam para um crescimento de 80% no total de produtos comercializados no site.

No primeiro semestre de 2005, o número de usuários cadastrados no site também aumentou em 130% – hoje, são 4,7 milhões usuários únicos em todo o Brasil.

Dentro deste cenário, a quantidade de vendedores únicos registrada somente em junho deste ano subiu 53%, superando 90,8 mil pessoas físicas e jurídicas que comercializaram seus produtos via MercadoLivre.com do Brasil. Já o número de compradores aumentou em passo ainda mais acelerado: 79% de crescimento em relação a junho de 2004, superando 234 mil consumidores únicos.

Com estes resultados, o Brasil foi responsável por 60% das mercadorias vendidas em toda a plataforma do site.

 

E-commerce movimenta R$ 974 mi no 1° semestre


22/08/2005

O comercio eletrônico brasileiro movimentou R$ 974 milhões no primeiro semestre deste ano, alta de 30,7%, frente aos R$ 745 milhões registrados no mesmo período de 2004. O levantamento, realizado pela empresa de pesquisas e—bit, apontou também um aumento de 30% no número de pedidos de compra.

Segundo o relatório da e-bit, 4 milhões de internautas brasileiros fizeram pelo menos uma compra online, gastando, na média, ente 290 a 300 reais. Os consumidores, em sua maioria (71%) estão na faixa dos 25 aos 49 anos e 58% são do sexo masculino.

O estudo revela ainda que 22% dos internautas digitaram o endereço internet das lojas virtuais diretamente em seus navegadores. Ou seja, eles demonstraram conhecer previamente o nome dos estabelecimentos. Cerca de 81% ficaram satisfeitos com os serviços prestados, como a entrega das mercadorias dentro prazo estiopulado.

Entre os itens mais vendidos, relacionados pela e-bit, estão CDs, DVDs e vídeos. Em seguida, vêm livros, revistas e jornais. Tiveram bom desempenho também os equipamentos eletrônicos, produtos de saúde e beleza e eletrodomésticos.

João Magalhães

 

Sapo lança concurso para melhor publicidade ‘online’


14/07/2005

Até 29 de Agosto, os utilizadores podem votar nas nove categorias e decidir quem é o vencedor do Prémio dos Utilizadores SAPO.

Este ano, os prémios apresentam algumas novidades, como a categoria de reconhecimento, que pretende premiar a agência e o anunciante do ano, e o prémio especial, de vídeo Ad, que visa destacar este novo formato.

O reajuste das categorias para melhor adequar os trabalhos à evolução do mercado é outra das novidades.

premiospub.sapo.pt/home.aspx

 

E-Consulting divulga resultados do varejo online no 1º trimestre


03/06/2005

A E-Consulting e a Camara-e.net (Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico) anunciam o índice de Varejo Online (VOL) registrado no mercado brasileiro no primeiro trimestre de 2005.

O VOL, que representa a soma dos volumes de transações de automóveis, turismo e bens de consumo (lojas virtuais e leilões para pessoa física), chegou, no primeiro trimestre do ano, a R$ 1,895 bilhões, valor 31,73% superior ao movimentado no mesmo período do ano passado e correspondente a aproximadamente 3% do varejo total no país (dados estimados a partir do índice-base do IBGE).

“É importante notar que, além do aumento das vendas online, cresce o papel da Internet como veículo de pesquisa e formação da decisão de compra, ainda que a transação seja feita de forma presencial”, comenta Cid Torquato, diretor executivo da Camara-e.net. “Estima-se que para cada negócio fechado eletronicamente, a Internet gere outros nove.

“Se seguirmos a tendência dos anos anteriores, deveremos fechar este ano com um VOL perto de R$ 9,8 bilhões, frente aos R$ 7,6 bi de 2004, a ainda apresentarmos um crescimento estimado de 28% nas vendas de Natal, em relação a 2004”, acrescenta Daniel Domeneghetti, VP de Métricas e Conhecimento da Camara-e e sócio da E-Consulting Corp..

VOL – Autos

O setor de automóveis totalizou nos meses de Janeiro, Fevereiro e Março de 2005 R$1019,68 milhões, 2.25% a mais que o mesmo período de 2004. As montadoras e revendedoras de veículos foram responsáveis por 53.79% do total do VOL.

VOL -Turismo e Bens de Consumo

O VOL_Turismo e o VOL_Bens de Consumo (VOL Sem Autos) movimentaram neste primeiro trimestre, respectivamente, R$ 306.50 milhões e R$ 568.90 milhões, sendo que o VOL_Turismo cresceu 43.76% em relação ao mesmo período do ano passado e o VOL_Bens de Consumo apresentou um aumento de 49.17% em relação ao primeiro trimestre de 2004.

O VOL_Turismo representou 16,18% do total do VOL, enquanto o VOL_Bens de Consumo foi responsável por 30,03%.

 

“e-commerce já é discussão do passado”, diz Lonise Gerstner


11/05/2005

Durante o Meeting de Marketing da Federasul, na quinta-feira, 05, a diretora de Produtos do Terra, Lonise Gerstner, e o antropólogo Ayrton Jungblut, falaram sobre consumo digital, as inovações tecnológicas que ele implica e sua influência no comportamento humano. Recém chegada dos Estados Unidos, depois de ter sido diretora de Vendas do Terra para a América Latina em Miami, Lonise garante: “A discussão sobre e-commerce é coisa do passado. Após romper a barreira inicial, o sujeito adere de vez a essa forma de compra.”

A executiva argumenta que a segurança do sistema eletrônico de comércio já foi comprovada e que só não usa quem não quer ou não está apto. “Há anos eu não carrego sacola de supermercado. Prefiro comprar tudo pela internet e mandar entregar em casa”, revela. Para ela, discussão do momento, em se tratando de comércio eletrônico, é o m-commerce, ou comércio móvel, que permite comprar produtos via telefone celular.

A novidade ainda não teria garantias de segurança, mas estaria gradativamente ganhando espaço: “Diminui ainda mais as limitações de espaço e tempo, porque possibilita a compra de produtos dentro do carro ou na mesa do bar”, adianta.

Ela diz ainda que as barreiras para a publicidade eletrônica já foram transpostas. “Hoje, os anúncios na internet respondem por cerca de 1,8% do bolo publicitário no Brasil e têm investimentos da ordem de U$ 67,1 milhões por ano”, destaca.

No que diz respeito à inclusão digital, Lonise alerta que as classes C, D e E ainda estão excluídas do processo do comércio eletrônico. “Isso ocorre porque elas sequer têm acesso à internet, o que não é problema da tecnologia, e sim do país, que tem uma base educacional muito fraca e pouco investe na modernização de seus meios”, observa. (segue)

 

Americanas.com será 1ª loja virtual a ter cartão próprio


30/03/2005

A Americanas.com deverá ser a primeira loja virtual a operar com cartão de crédito próprio. Em teleconferência para comentar os resultados de 2004, o diretor financeiro da empresa, Roberto Martins, afirmou que a nova financeira a ser criada, em parceria com o Banco Itaú, deverá lançar um cartão válido tanto para a Americanas.com quanto para a rede de lojas tradicionais. Com isso, a empresa vai economizar com taxas cobradas pelas administradoras de cartões disponíveis no mercado. A Lojas Americanas não divulga mais os resultados da Americanas.com e Martins afirmou que esta é uma razão estratégica.

– Temos cerca de 3,5 milhões de consumidores virtuais e há uma disputa muito grande no setor – explicou.

O executivo afirmou que a Americanas.com registrou vendas acima de R$ 400 milhões e tem cerca de metade dos consumidores virtuais. Segundo ele, a política de vendas a prazo, com até 12 vezes para pagar, deve ser mantida. Na apresentação feita a investidores, a empresa afirmou que as vendas da Americanas.com cresceram 60% em 2004. (segue)

 

“Webmarketing” – Isso se come com farinha?


20/03/2005

A propaganda convencional como conhecemos está com seus dias contados. A propaganda um-para-muitos, como tem sido as mídias ditatoriais clássicas como TV, rádio, outdoor, jornal e revista, entre outras tantas, para continuar obtendo os resultados de antes, terão que se adaptar e se reinventar. Vivemos o momento da mídia um-para-um ou ainda, muitos-para-muitos. O comportamento “on demand”, em que o telespectador escolhe qual será o seu porto seguro durante os dois ou três próximos minutos. A escolha sobre qual será a propaganda que penetrará nos lares e mentes agora é exclusividade de cada lar e de cada mente.

A terceira (ou quarta) revolução industrial está aí e ela se chama Internet, porém, sendo ela um novo, atemporal e dinâmico ambiente, como lidar com suas características tão peculiares?

Essa tem sido a pergunta feita por publicitários e empresários de todo o mundo. O bom e velho marketing continua valendo, no entanto, precisa adaptar conceitos e rever paradigmas.

Lidar com a Internet, para muitos, têm sido como mudar-se para o País das Maravilhas em que um coelho de cartola ou um gato que sorri são coisas normais. Tudo faz sentido dentro de uma certa lógica, e, embora nem todos a dominemos, ela existe e seu manual de instruções de chama webmarketing.

Em recente palestra no nordeste, com o título de “webmarketing – O caminho das pedras no mundo virtual”, me deparei com uma cena pitoresca. Em frente a um cartaz, no hotel em seria ministrada a palestra, um senhor de idade elucidava seu neto sobre os avanços tecnológicos pelos quais o mundo havia passado nas últimas décadas.

Primeiro veio o rádio, depois, o cinema e finalmente a televisão”. “Agora me apareceram com essa tal Irteneti. Não tem novidade nenhuma. É igual a uma televisão, só que vem junto com uma máquina de escrever.”

A essa altura, o neto curioso com o título do cartaz, perguntou ao avô: “E o que é vebi…mar…tin?”

O avô sem pestanejar, respondeu: “É mais uma mentira. Veja se pode? Primeiro disseram que o homem pisou na lua, agora tão dizendo que tem gente trazendo pedras de Marte”.

Guardadas às devidas proporções, o webmarketing atualmente é tratado mais ou menos assim. Muitos comentam sobre ele, mas poucos sabem realmente como usá-lo de maneira eficaz e que gere lucro para a empresa.

Em termos de comportamento do consumidor, estamos aos poucos descobrindo quem é o internauta típico. Há muito pouco tempo descobrimos que ele tem, em sua maioria, de 29 a 49 anos, mais de 84% pertencem às classes A e B, tem nível superior completo e representa mais de 20 milhões de brasileiros, cerca de 11% da população.

Em suma, a Internet é um excelente meio para se atingir um mercado altamente qualificado, formadores de opinião e é o grupo responsável pelo maior consumo per capita no país.

Surfando nas ondas da web, muitos profissionais têm se afogado em suas concepções. Tratar a Internet como sendo um modelo alternativo ao mundo real é como uma TV para um cego, um rádio muito grande e pesado. Estamos diante de um novo mundo e este deve ser tratado e entendido como tal. O webmarketing está se firmando como uma ciência e, tal como seu primo mais velho, o marketing, precisa de pesquisas, análises e profissionalismo.

Para muitos leitores, parece que estou falando de estatísticas vindas dos Estados Unidos ou da Europa. Sempre haverá aquele que dirá: “No Brasil a coisa é outra, menos de 20% da população tem acesso à web e, a maioria desses, lê e-mails através de uma torturante linha discada” – Não é bem assim.

A Internet tem mudado os hábitos dos brasileiros mais do que pensamos. Segundo uma pesquisa do Instituto Datanexus, no horário nobre, quando praticamente todo o Brasil participava da saga de Maria do Carmo em busca de sua filha Isabel, tomando-se como base as residências que estão vendo televisão, a diferença entre o número de residências que tem acesso à web é de sete pontos percentuais a menos para aquelas que não tem acesso a Internet. Lembrem-se de que em termos absolutos existem muito mais residências sem acesso do que com acesso à Internet.

Em webmarketing, chama-se de telepresença a interação efetiva de um internauta com o ambiente virtual. Um bom site ou um e-mail marketing eficiente é aquele que aumenta essa telepresença fazendo com que o telespectador fique concentrado no que ocorre na tela. Isso acontece com crianças quando estão guerreando numa batalha virtual em um jogo como Doom.

Sites que aumentam o comportamento de busca, de interatividade e de retenção em seu mundo virtual, aumentam a telepresença e obtêm sucesso em campanhas virtuais.

Os exemplos de campanhas vitoriosas de webmarketing que aumentam de maneira significativa a telepresença de internautas não são exclusividade de empresas americanas ou européias. Aqui pelo Brasil também estamos fazendo bonito.

Em uma campanha recente. A Fiat conseguiu alcançar um número recorde de mais de 200 mil consumidores em menos de um mês com uma campanha de marketing viral através de e-mail marketing. O número de disparos inicial foi de 150 mil. Uma campanha de mala-direta não chega a ter 2% de retorno. Esta campanha, não só teve um índice de retenção próximo a cem por cento, como gerou 33% a mais de resposta sem a intervenção da empresa.

Ainda falando de mercado de automóveis, a venda pela Internet do carro Celta, realizada pioneiramente no Brasil pela fábrica da GM em Gravataí (RS), está servindo de modelo para outras fábricas no restante do mundo em países como Holanda, China e Tailândia.

Os casos são numerosos, porém, longe de uma porcentagem significativa. Dia-a-dia um número cada vez maior de empresas tem contratado profissionais de webmarketing para cuidarem de suas campanhas virtuais, de otimização de sites e de campanhas de e-mail marketing.

Para dominar webmarketing não basta saber fazer um site bonitinho, é preciso ter bom conhecimento de planejamento, marketing, design, de como funciona um site de busca, quem é o internauta brasileiro e outras informações pertinentes, não só ao mundo virtual, mas ao mundo real também.

Os encontros do Brasil do internauta com o Brasil do senhor de idade que passeava com o neto serão por muito tempo chocantes e engraçados, contudo, é importante mostrar o “cartaz” ao Brasil certo e saber como mostrá-lo, é claro, isso se você não quiser tentar vender aparelho de ar condicionado para um sem-terra.

Conrado Adolpho é educador, empresário, estrategista e palestrante. Sua formação vem de escolas de excelência como ITA e Unicamp. Há mais de 10 anos vem preparando profissionais de diversos ramos de atividade em suas aulas, palestras e treinamentos em marketing, vendas, atendimento, marketing educacional e marketing e desenvolvimento pessoal.
Site: www.conrado.com.br

 

Yahoo comemora 10º aniversário


03/03/2005

E lá se vão dez anos, desde que os imberbes David Filo e Jerry Yang criaram uma pequena lista de sites chamada “Jerry’s Guide to the World Wide Web”, que mais tarde se transformaria no Yahoo, atualmente um dos sistemas de buscas mais populares da Internet, com mais de 300 milhões de visitas por mês.

O nome, uma expressão de alegria em inglês, é, na verdade, a sigla para Yet Another Hierarchical Officious Oracle (algo como Mais um Oráculo Não-Oficial Categorizado). Curiosamente, o Yahoo é mesmo visto por muitos internautas como um autêntico Delfos. Não são poucos os que lá vão para fazer perguntas do gênero “Quem sou eu?” ou “ Como posso ganhar na loteria?”.

Receita Federal e Playboy estão entre os dez termos mais procurados, desde que o Yahoo aportou por aqui, em 1999. Entre as celebridades destacaram-se Tiazinha, em 1999, e Kelly Key, em 2000. Mel Lisboa e Juliana Paes foram as campeãs de 2004. Mas, segundo o Yahoo Brasil, nenhuma delas bateu Xuxa em audiência. A rainha dos baixinhos aparece entre as mais pesquisadas nos cinco anos de existência do site no país.

 

Amazon tem mais de cem mil encomendas para 6º Harry Potter


11/02/2005

Mais de cem mil pessoas já encomendaram na livraria virtual Amazon o 6º e penúltimo volume das aventuras do mago Harry Potter, que será lançado nas livrarias no próximo 16 de julho, informou a empresa.

“Harry Potter e o Príncipe Mestiço” lidera as vendas da livraria desde que foi disponibilizado aos internautas, em dezembro, na seção de “livros infantis”, informou a Amazon.

A versão para adultos, com apresentação diferente, ocupa o quinto lugar na lista de vendas.

O quinto volume, “Harry Potter e a Ordem da Fênix”, lançado em 21 de junho de 2003, recebeu 420.000 pedidos de compra na Amazon antes de ser posto à venda. Até agora, esta série vendeu mais de 200 milhões de exemplares no mundo.

A Amazon se comprometeu em entregar aos clientes o livro no mesmo dia em que for colocado nas prateleiras das livrarias.

da France Presse, em Londres

 

Admirável Mundo Novo – Viva a internet

E se eu lhe dissesse que existe uma mídia capaz de atingir mais de 20 milhões de pessoas por menos de um por cento de uma campanha publicitária para essa magnitude?

E se eu lhe dissesse que mais de 84% desse público é composto das classes A e B?

E se eu lhe dissesse que a maioria tem grau superior completo ou pós-graduação?

Você me perguntaria afoito – Onde está essa mídia?

Pois ela está bem na sua frente e chama-se internet.

Muitas empresas hoje têm um Boeing nas mãos, porém, não sabem onde está o manche, como os flaps operam e muito menos como levantar vôo. Contentam-se em dar “vortas em vorta da lâmpida”, como diria Adoniran, no século passado. Passeando pelo mundo virtual como se estivessem em um Fusca ou em um Fiat 147 (lembra dele?).

A internet veio para mudar de maneira definitiva o nosso modo de ver o mercado e o mundo.

Observe como uma criança de 4 anos, que nasceu ouvindo internet pra cá, internet pra lá, mexe no mouse e como ela navega por esse admirável mundo novo como se pudesse voar e estivesse em um parque de diversões. Observe como sua mente navega por uma lógica diferente da nossa – não tão acostumada com o “ 0” e o “ 1” .

Esse é o mercado que você terá daqui a poucos anos. Se sua empresa não quiser sucumbir à ascensão desses novos czares digitais, é melhor pensar em tirar um brevê virtual para voar por esse novo mundo.

O webmarketing, nova faceta do bom e velho marketing, porém, com a internet à disposição para a aplicação de velhos conceitos, está despontando.

Faça-se algumas perguntas e verifique como anda sua empresa com relação ao mundo web:

A minha empresa tem um site?

Ele é atualizado constantemente?

Meus clientes o acessam regularmente?

Ele é interativo, dinâmico e fácil de navegar?

Ele é relevante para o meu cliente?

Se você respondeu não a alguma dessas perguntas pense em rever sua estratégia de webmarketing . Seu cliente já procura fornecedores na interface quase franciscana do Google e há muito já perdeu o medo de acessar a rede mundial de computadores. Cada vez mais a internet entra na vida do cidadão brasileiro, e já são mais de 11% da nossa população que a acessa.

O que você precisa para entrar nesse mercado? Preste atenção em algumas dicas.

1) Precisa ser achado em ferramentas de busca com excelente colocação, logo na primeira página com um título objetivo e interessante.

2) O seu site precisa ser de fácil navegabilidade, simples e bonito visualmente, seguir os conceitos e a imagem que a empresa tem perante o seu público e com conteúdo interessante o suficiente para “prender” o seu cliente durante alguns minutos.

3) Use e abuse da tecnologia por trás dos bastidores.

O seu site não precisa ter um minuto e meio de apresentação em Flash, e eu nem recomendo, porém, um bom site reconhece o cliente através do uso de cookies , registra sua visita e o caminho que ele trilhou através do site e é plenamente mensurável – hits, visitas, page views e referrers são monitorados constantemente.

4) Seu site não é simplesmente uma extensão da sua empresa no mundo real, é a sua empresa com filial no País das Maravilhas. Pense em como equipar essa nova filial em um local em que o tempo não é linear e que tudo pode acontecer. Faça seu cliente se sentir uma Alice, mas não mostre o caminho de volta para casa. Faça-o se perder nos encantos das suas páginas.

5) Atualize-o periodicamente e faça seu cliente perceber isso.

6) Uma boa idéia: crie um serviço de atendimento online através da web. Grandes empresas já descobriram isso como um importante diferencial competitivo.

7) O seu site tem que informar o seu cliente. A internet é uma mídia de informação e conteúdo, não negligencie esse princípio. Se você tem uma loja de roupas, ensine o seu cliente a se vestir melhor. Se tiver um restaurante ensine-o a fazer novos pratos.

8) Leve em conta que só pouco mais de 7% da população tem banda larga em sua residência. Não transforme seu site em um elefante cor-de-rosa: lindo, pesado e ninguém consegue vê-lo.

9) Interconecte seu site com o de outras empresas relevantes para o seu cliente. Faça com que seu site vire uma página de referência para ele e será retribuído com a inclusão nos seus “favoritos”.

10) A dica mais importante: se achou complicado seguir todas as outras dicas, ao menos, tenha um site!

Internet não é um bicho de sete cabeças, é um mundo que tem mais de 8 bilhões de locais para o seu cliente aportar, ofereça um porto seguro e ele pagará por isso.

Conrado Adolpho Vaz é educador, empresário, estrategista e palestrante, com formação no ITA e Unicamp. Ministra palestras e treinamentos preparando profissionais dos mais diversos ramos de atividade: marketing, vendas, atendimento, marketing educacional, marketing pessoal e desenvolvimento pessoal.
Site: www.conrado.com.br

 

TRF-1ª Região estréia transmissão de julgamentos via web


20/11/2004

Desde as 15 horas da última sexta-feira, o Tribunal Regional Federal TRF-1ª Região terá suas sessões de julgamento transmitidas via internet, através do Sistema Integrado de Divulgação Jornalística. De acordo com o TRF, as sessões de julgamento serão transmitidas em tempo real, dando a oportunidade para que qualquer cidadão acompanhe os processos de seu interesse. Segundo o Presidente do Tribunal, Aloísio Palmeira, o objetivo é dar mais transparência às ações da Justiça Federal.

A primeira transmissão será da Turma Regional de Uniformização de Jurisprudência das Turmas Recursais dos Juizados Especiais Federais (JEFs) da Primeira Região. Além da transmissão das sessões, o Sistema Integrado é composto ainda por uma rádio e por uma TV web, com uma programação elaborada especialmente para informar as principais notícias do Tribunal e do Poder Judiciário.

Para ter acesso ao Sistema Integrado de Divulgação Jornalística, o usuário pode acessar o endereço www.trf1.gov.br.

O Sistema Integrado já era acessado pelos servidores do TRF-1ª Região desde setembro do ano passado, permitindo o acompanhamento diário dos trabalhos dos magistrados sem a necessidade de deslocamento até as salas de julgamento.

 

E-commerce cresce 51% no 1º semestre


29/07/2004

O comércio eletrônico brasileiro movimentou cerca de R$ 745 milhões no primeiro semestre de 2004, valor 51% superior ao mesmo período do ano passado, revelou um levantamento da consultoria e-Bit.

De acordo com a pesquisa, que não leva em consideração passagens aéreas, automóveis e sites de leilão, o valor superou em 20% as expectativas dos analistas.

A e-Bit destacou dois fatores como responsáveis pela alta. O primeiro foi o crescimento do número de e-consumidores – de 2,5 milhões de pessoas em dezembro de 2003 para 2,75 milhões no mês atual. O segundo motivo, de acordo com a e-Bit, foi o aumento na freqüência de compras dos usuários. Cerca de 12% dos entrevistados responderam ter feito compras via web nos últimos seis meses.

O valor das compras realizadas pela internet também subiu no primeiro semestre do ano. O tíquete médio ficou em R$ 299, 11% acima do registrado no seis primeiros meses de 2003.

O mês de maior faturamento foi maio, em virtude do Dia das Mães, representando 20% do faturamento do semestre. O tíquete médio foi de R$ 310, e os produtos mais vendidos foram CDs, DVDs e fitas de vídeo, totalizando 32% das vendas.

O índice de satisfação do internauta com as compras na web encerrou o semestre em 87%.

 

Registro de domínios bate recorde no 1º trimestre


10/06/2004

O número de endereços na Internet mundial atingiu 62,9 milhões no primeiro trimestre deste ano, período em que foram registrados mais 4,7 milhões novos domínios.

De acordo com a VeriSign, que opera globalmente os registros com terminações “.com” e “.net, o número é considerado recorde em períodos de três meses.

A VeriSign informa que o levantamento abrange todos os tipos de domínio disponíveis no mundo, incluindo aqueles criados recentemente, como .biz, .info e .museum.

Na análise da empresa, entre os principais fatores que estão por trás dessa expansão destacam-se o aumento do uso da Internet em países europeus e asiáticos e a proliferação de websites com caracteres dos idiomas falados na China, Rússia e países árabes.

Ana Lúcia Moura Fé, do Plantão INFO

 

Sistema da CiASHOP® combate fraudes no e-commerce


01/06/2004

Os mil mais importantes lojistas virtuais do país estão recebendo o direito de utilização gratuita por trinta dias do sistema FControl®. O produto é uma solução de redes neurais para análise de risco em fraude com cartão não presente desenvolvido pela CiASHOP® Soluções em Comércio Eletrônico. A PUC do Paraná e a Universidade Federal do Paraná participaram do desenvolvimento do sistema, que teve apoio do Finep – Financiadora de Estudos e Projeto do Ministério da Ciência, Indústria e Tecnologia.

Quem visitar www.fcontrol.com.br pode ver uma simulação do funcionamento do sistema, solicitar o envio do Guia de Prevenção a Fraudes no comércio eletrônico e de um White Paper do serviço. Hoje, o sistema já é utilizado por 40 dos clientes da CiASHOP. O grupo constituiu um consórcio de combate à fraude, orientado pelo time do FControl®.

A implantação do FControl® no www.joias.com.br diminuiu o volume de fraudes em 78% e as tentativas de fraudes caíram 59% em 6 meses

Os detalhes da operação poderão ser conhecidos por meio de entrevistas (pessoalmente ou por telefone), com o CIO da empresa, Walter Hannemann. (segue)

Site relacionado: www.fcontrol.com.br

 

Publicidade online nos EUA: US$ 2,3 bi no 1º trimestre


24/05/2004

Os investimentos publicitários na Internet nos EUA totalizaram US$ 2,3 bilhões nos primeiros 3 meses do ano, o valor mais alto para um período trimestral desde que o Interactive Advertising Bureau e a Pricewaterhouse Coopers começaram a monitorar o mercado.

O total é estimado para todo o segmento a partir de números dos 15 maiores portais e sites que comercializam publicidade. O resultado final será divulgado em julho. Se confirmado, o valor representará crescimento de 38,9% sobre o 1o trimestre de 2003 e avanço de 3,9% em relação ao 4o trimestre do ano passado.

 

Vendas online com cartão de crédito crescem 45,8% no 1º trimestre


13/05/2004

O faturamento das vendas online com cartões de crédito no primeiro trimestre de 2004 foi de R$ 350 milhões, volume 45,8% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, revelou nesta quarta-feira (12/05) um estudo da Credicard.

De acordo com o levantamento, o gasto médio das compras também cresceu. O tíquete médio para os três primeiros meses do ano foi de R$ 294, alta de 13,5% em relação aos R$ 259 registrados em 2003.

A pesquisa mostrou também que os produtos de maior valor agregado vêm ganhando espaço nas transações online. Os principais são equipamentos de informática (que tiveram aumento de participação de 4,7% para 6%), telefonia celular (de 1,7% para 3,3%) e produtos de saúde e beleza (3,3% para 7,2%). CDs e DVDs continuam como líderes de vendas pela web, embora tenham registrado queda de participação no período (32% para 26%).

“Esses números não significam que as vendas de CDs e DVDs estejam caindo, mas sim, o aumento dos produtos de maior valor agregado na cesta de produtos dos consumidores online”, afirma Fernando Chacon, vice-presidente de Marketing da Credicard. (segue)

Site relacionado: www.credicard.com.br

 

Brasil é o 35º melhor país para e-commerce


22/04/2004

O Brasil é o 35º melhor país para se fazer negócios pela web, revelou na segunda-feira (19/04) um relatório de e-commerce elaborado pela “The Economist Intelligence Unit Limited”, centro de estudos do mesmo grupo da revista “The Economist”, em parceria com a IBM Corporation.

O levantamento avaliou 64 países, e atribuiu notas de zero a dez para a “disponibilidade” eletrônica (e-readiness) de cada um deles. De acordo com o instituto, o Brasil, que teve nota 5.56, apresenta um quadro em que os grupos privados têm trabalhado pró-ativamente no desenvolvimento do mercado eletrônico.

O governo também tem contribuído positivamente para o aumento da internet nas transações, o que pode ser comprovado pelo aumento nos serviços de e-governo, de acordo com o levantamento. Entre os países das Américas, o Brasil aparece na quarta colocação, atrás apenas do líder Estados Unidos, Canadá, e Chile, respectivamente.

O primeiro colocado no ranking global, segundo o instituto, é a Dinamarca, que somou nota 8.28, seguida pelo Reino Unido (8.27) e Suécia (8.25). Os Estados Unidos aparecem na sexta colocação global (8.04), o Canadá, na 11ª (7.92) e a Austrália, na 12ª posição, (7.88). O Japão é o 25º colocado (6.86). (segue)

 

Somos o 4° do mundo em navegação pela Web


21/04/2004

Pesquisa do Ibope/NetRatings mostra que estamos entre os quatro países que mais navegam na Web em todo o mundo. Segundo o levantamento, em março último, a média de uso da Web pelos brasileiros foi de 13h 14m, 42 minutos a mais que em fevereiro. Perdemos apenas para os habitantes de Honk Kong (21h07m) , japoneses (14h50m) e norte-americanos (14h30m). Ganhamos dos franceses (12h48m), alemães (12h33) e espanhóis (12h19m).

O Ibope aponta os sites governamentais como os mais procurados – cerca de 39% dos nossos internautas visitaram páginas do governo em março, principalmente as da Receita Federal, com o objetivo de fazer declaração online ou baixar o programa do Imposto de Renda.

Já um levantamento feito pela IBM em conjunto com a revista britânica The Economist, mostra que os países escandinavos são os que melhor utilizam a grande rede. A Dinamarca encabeça a lista, seguida da Suécia, Noruega e Finlândia. (segue)

JMagalhães

 

2ª via da conta de água agora via web


24/02/2004

A agência virtual do site da Sabesp, empresa ligada à Secretaria de Energia, Recursos Hídricos e Saneamento do Governo do Estado de São Paulo, no endereço eletrônico, coloca à disposição de todos os seus clientes mais um serviço: a impressão de segunda via da conta de água. Anteriormente, o cliente tinha a opção de fazer a solicitação na Internet, porém, não recebia a conta de imediato. O envio era por meio dos Correios, após quatro dias úteis, com cobrança de R$ 1,43.

O site Sabesp registra uma média de 200 pedidos mensais de 2ª via de contas, número que deve aumentar já que se trata de uma das requisições mais freqüentes ao atendimento comercial telefônico e dos serviços do Poupatempo Eletrônico também conhecido como e-poupatempo.

Para a Sabesp, a opção de impressão direta traz rapidez, economia e agiliza o processo de pagamento. Além disso, abre um novo serviço ao mercado já que as 2a vias podem ser impressas nos totens localizados nas agências comerciais e a possibilidade dos arrecadadores de lotéricas realizarem a emissão como um benefício a seus clientes.

O processo é bem simples. Basta acessar o site da Sabesp, clicar em Agência Virtual, selecionar o link 2ª via em serviços, digitar o Registro Geral do Imóvel, digite o RGI (Registro Geral do Imóvel) e pedir a impressão da conta.

 

Apple anuncia iLife´04


01/08/2004

A Apple anunciou hoje o iLife’04, a próxima geração da premiada suíte de aplicações de estilo de vida digital. O iLife ’04 apresenta as novas versões do iPhoto, iMovie e iDVD e introduz o GarageBand, a mais nova aplicação para música que transforma o Mac em um instrumento musical e em um estúdio de gravação. Apple anuncia iLife´04 O iLife ’04 também apresenta o recém-lançado iTunes 4.2, o melhor software jukebox de música digital do mundo e vai auxiliar os consumidores a facilmente organizar suas fotos, manejar sua coleção de músicas, criar filmes, criar DVDs e agora inventar música.

“Com o iLife ’04, a Apple dá um salto além da concorrência oferecendo o software mais avançado para organizar e criar música digital, fotos e filmes”, disse Steve Jobs, CEO da Apple. “E agora o GarageBand faz para a criação de música o que o iMovie fez pelo vídeo e o iPhoto pela fotografia – torna fácil e disponível o processo criativo para todos”.

O GarageBand transforma o Mac em um completo estúdio de gravação, permitindo ao principiante e aos músicos ocasionais tocar, gravar e criar músicas incríveis utilizando uma interface notavelmente simples. Com o GarageBand, performances gravadas, áudio digital e faixas de loops podem facilmente serem organizados e editados como a construção de blocos para criar uma música. GarageBand é composto por mais de 50 instrumentos de software, que inclui o premiado grand piano, que pode ser tocado e gravado com qualquer teclado musical USB ou MIDI. Mais de 1.000 loops de áudio pré-gravados podem ser combinados para fazer musicas completas ou músicas de fundo.

Vocais e instrumentos ao vivo, como guitarras, podem ser gravados digitalmente via microfone ou entrada analógica. Todas estas faixas podem ser editadas e mixadas junto com mais de 200 efeitos pré-determinados, incluindo reverberação e eco. Com a avançada tecnologia de modelagem do GarageBand, guitarristas terão acesso aos mais respeitados e clássicos amplificadores de som com seis amplificadores de guitarra, incluindo clean jazz, arena rock e British Invasion. O GarageBand também pode exportar músicas completas para o iTunes para gravar em CD, codificar em MP3 ou AAC de alta qualidade, transferir para o iPod ou para ser utilizado nas outras aplicações do iLife.

O iPhoto 4 agora permite ao usuário navegar e redimensionar mais de 25.000 fotos em segundos para encontrar exatamente a imagem que procurava. A nova organização de foto baseada na data dá aos usuários acesso mais fácil às suas fotos, e o Smart Albums organiza automaticamente fotos com base em data, palavra-chave ou pela própria classificação do usuário. Novos modos de apresentação incluem transições cinematográficas e controles de rotação, classificando e deletando fotos na tela. Com o compartilhamento de foto pelo Rendezvous, fotos podem facilmente ser compartilhadas entre computadores através de redes domésticas.

iMovie 4 apresenta edição diretamente da linha de tempo para transformar a criação de filmes de maneira mais fácil e rápida. Usuários podem selecionar e editar múltiplos clipes, simultaneamente, para modificar e reproduzir clipes mais rapidez e eficiência. Com áudio gráfico em waveforms e live audio scrubbing, os usuários podem encontrar pontos específicos de edição em áudio tracks, e guias de alinhamento tornam a sincronização de vídeo e áudio mais fácil. Vídeos ao vivo podem ser importados diretamente de uma câmera iSight para o painel de clipes. iMovie 4 também torna mais simples compartilhar filmes através da Internet via email ou web com a .Mac HomePage, e usuários podem levar filmes com eles quando viajam com telefone móvel ou PDA Bluetooth.

O iDVD 4 inclui 20 novos temas à la Hollywood, muitos deles com introdução e submenus, que podem ser personalizados com música, fotos e filmes para criação de DVDs realmente originais. Filmes do iMovie, fotos do iPhoto e músicas do iTunes ou GarageBand podem ser adicionados diretamente para um DVD através do media browser, e acrescentar apresentações de fotos podem incluir transições cinematográficas e iTunes playlists. O DVD MAP apresenta um resumo de todos os projetos de DVD e codificação de qualidade profissional pode comportar mais de duas horas de vídeo em um DVD simples.

O iLife ’04 também inclui a última versão do iTunes, o melhor software jukebox de música digital. iTunes permite aos usuários importar músicas de CDs, organizá-las e mixá-las em sua biblioteca de música digital dentro de playlists personalizáveis, gravar CDs ou levar todas a sua coleção de músicas para seu iPod. O iTunes e o iPod proporcionam uma solução completa para que os fãs da música possam administrar e escutar suas coleções de música digital em qualquer lugar.

A Apple iniciou a revolução do computador pessoal nos anos 70 com o Apple II e reinventou o computador pessoal nos anos 80 com o Macintosh. A Apple está comprometida em trazer a melhor experiência em computação pessoal para estudantes, professores, profissionais criativos e consumidores ao redor do mundo com inovações em hardware, software e aplicações para a Internet.

 

Índice de B2B on line cresce no 3º trimestre de 2003


05/01/2004

A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Camara-e.net), entidade de e-business, e a e-Consulting, Boutique Digital de Conhecimento que cria, desenvolve e implementa estratégias competitivas e serviços, anunciaram o índice do business-to-business online (B2BOL) referente ao terceiro trimestre de 2003 no país. O B2BOL mede, a cada três meses, os volumes transacionados digitalmente entre empresas, seja por meio de portais proprietários (B2BOL Companies) ou e-Marketplaces independentes (B2BOL e-Markets).

O B2BOL Companies, praticado entre as trinta maiores empresas do país, que representa cerca de 90% de toda a movimentação brasileira, alcançou R$ 31,9 bilhões de julho a setembro de 2003, registrando crescimento de 5,3% em relação ao trimestre anterior.

Já o B2BOL realizado entre e-marketplaces independentes – os chamados mercados digitais – atingiu R$ 4,8 bilhões no mesmo período, apresentando um crescimento de 7,4% em relação aos três meses anteriores. O B2BOL Total registrado entre julho e setembro deste ano chegou, portanto, a R$ 36,7 bilhões – valor 5,5% superior ao trimestre anterior. (segue)

 

Fran´s Café oferece internet pelo sistema wi-fi


29/10/2003

O Fran´s Café, rede de cafeterias de conveniência, disponibilizou o acesso à internet pelo sistema wi-fi (sem fios), em mais algumas de suas lojas. Desde o primeiro trimestre deste ano, os clientes do Fran´s Café contam com essa inovação tecnológica nos cyber cafés da rede. Das cerca de 80 cafeterias da rede, 30 já dispõem da tecnologia. A previsão é de que 80% das lojas tenham o sistema wi-fi instalado até 2004.

A rede oferece aos seus clientes, que vêm às lojas com computadores portáteis, acesso à internet em alta velocidade, por meio de uma conexão que dispensa cabeamento. Basta entrar no Fran´s, colocar seu notebook ou laptop (compatível) sobre a mesa, fazer o login na rede e acessar a web com um velocidade 50 a 200 vezes mais rápida que a da conexão discada. O acesso fica disponível pelo tempo em que a cafeteria está aberta: 24 horas por dia.

 

Amazon obtém 1º lucro trimestral fora o período do Natal


22/10/2003

O site de varejo online Amazon.com obteve seu primeiro lucro trimestral fora do período de Natal, puxado pelo programa de entrega gratuita de mercadorias e por uma nova loja de artigos esportivos. A receita da empresa subiu 33% no terceiro trimestre do ano sobre o mesmo período do ano passado e a companhia registrou ganhos de US$ 16 milhões, contra um prejuízo de US$ 35 milhões julho a setembro de 2002.

Incluindo os últimos dois trimestres de festas de final do ano, o período de julho a setembro de 2003 marcou o terceiro lucro trimestral da companhia desde que abriu seu capital, em 1997. Excluindo encargos, a companhia lucrou US$ 48 milhões. Nesta base, o desempenho ficou levemente acima da estimativa média dos analistas ouvidos pela Reuters.

A receita da empresa cresceu para US$ 1,1 bilhão, contra US$ 851 milhões no mesmo período do ano passado. A Amazon registrou mais de US$ 1 bilhão em receita em todos os trimestres deste ano.

Para os três últimos meses do ano, a Amazon espera receita de entre US$ 1,76 bilhão e US$ 1,91 bilhão. Segundo analistas, isso deve fazer com que a empresa seja lucrativa no último trimestre do ano, registrando assim o primeiro lucro anual da história.

 

Digerati desenvolve o 1º provedor Linux do país em parceria com BrT


16/10/2003

A editora de informática Digerati desenvolveu o primeiro provedor Linux de acesso gratuito à web do país. O serviço, que estará disponível ainda este mês, utiliza a infra-estrutura de acessos da BrT Serviços de Internet S/A, da Brasil Telecom. Para ter acesso ao provedor, o internauta deve preencher um cadastro e baixar o discador no site da Digerati.

Iniciativas anteriores, como a adoção e implantação do script de gerenciamento de conteúdo Postnuke, estreitaram os laços da Digerati com os softwares livres: a versão eletrônica da revista Geek, publicada pelo núcleo Digerati Tech, permite ao internauta postar notícias de tecnologia. Tudo baseado em PHP e MySQL, mecanismos do sistema operacional que utiliza códigos abertos.

E muito tempo antes disso, em 1998, a Geek foi a primeira revista CD-ROM do Brasil a distribuir o sistema operacional Linux. “O lançamento do provedor Linux ratifica nosso compromisso com a comunidade digital”, diz Alessandro Gerardi, diretor executivo da Digerati, que hoje detém mais de 60% dos títulos de revistas da categoria CD-ROM existentes no país. (segue)

 

3ª edição do Direct Meeting acontece dia 20, com Gil Giardelli


16/10/2003

“O Consumidor Moderno e o E-mail Marketing”. é o tema da 3a. Edição do Direct Meeting, que será realizada no dia 20/10, no INC (Instituto da Nova Comunicação), em Pinheiros, das 19h30 às 22h30, com o patrocínio do Neogroup e apoio do INC.

A taxa de inscrição para o evento é de 2 kg de alimentos não perecível, que deverão ser entregues na entrada do evento.

Estes alimentos serão doados para a Hope – Casa de Apoio à Criança com Câncer.

Para se inscrever: basta enviar um email para directmeetinghotmail.com, com nome, empresa, cargo e telefone, indicando se participará da apresentação, da confraternização, ou de ambos. As inscrições serão recebidas até a sexta, 17/10. Serão aceitas até 2 inscrições por empresa. Vagas limitadas: quarenta para apresentação e sessenta para a confraternização.

O palestrante será Gil Giardelli é Vice-Presidente de Relacionamento do Grupo eCentry (Ecentry, EmailCompany e Valoronline), Publisher do Relations!, a primeira newsletter sobre comunicação digital brasileira), Sócio fundador do Núcleo Contemporâneo do Museu de Arte Moderna, além de trabalhos voluntários de marketing para Hope – Casa de Apoio a Criança com Câncer e Projeto Saber Sorrir.Palestrante/convidado da ESPM, PUC, AMCHAM (Câmara Americana de Comércio), CAMARA-E (Câmara de Comércio Eletrônico), (Fecomércio Federação de Comércio), AMI (Associação de Mídia Interativa), Grupo de Mídia, 8o. Seminário de Relacionamento On-Line.

Arlette de Azevedo

 

Trailer de “A Paixão” congestiona a Web


15/10/2003

Um enxurrrada de acessos congestionou o tráfego de sites onde estava sendo exibido o trailer de “A Paixão”, filme dirigido por Mel Gibson, que conta, com extremo realismo, as última doze horas da vida de Jesus.

Para continuar funcionando, o site AintItCoolNews teve de excluir de suas atrações o trailer de “A Paixão”, filme dirigido por Mel Gibson. O Harvest Online, site do movimento cristão “Ministério Integral” e o Passion-Movie aguentaram o tranco mas fizeram cortes.

Foram mais de 300 mil downloads num só dia. Não temos suporte para tanto tráfego”, disse Harry Knowles, responsável pelo AintItCoolNews, em entrevista ao site MaxNews. Sobre o trailer, Knowles diz que “é algo chocante. Nunca vi nada igual em todos os filmes feitos até hoje sobre o tema”.

O reverendo Greg Laurie, líder do Harvest, acha que o trailer é um sucesso porque mostra cenas de extremo realismo. Ele viu também uma cópia não editada do filme e maravilhou-se: “É o mais forte relato de todo o sofrimento de Jesus, desde seu julgamento por Pilatos até sua crucificação. Chorei várias vezes e não pisquei o olho enquanto o assistia”, ele conta.

“A Paixão” narra as última doze horas da vida de Jesus. Trata-se de um filme, que antes mesmo de sua estréia, prevista para a Páscoa de 2004, provoca polêmica. A Liga Americana Anti-Difamação demonstrou preocupação pelo modo com que os judeus são retratados no filme. Já o cardeal do Vaticano, Dario Castrillon Hoyos, aprovou-o: “ O filme é fiel aos evangelhos como a Igreja os entende”, afirmou ao site Drudge Report.

“A Paixão” é estrelado por Jim Caviezel no papel de Jesus Cristo e Monica Bellucci no de Maria Madalena. Veja cenas do filme em http://www.harvest.org/special/index.php/1/2/6.html ou em http://www.passion-movie.com/english/trailer.html.

João Magalhães

 

“As Rosas Inglesas”, de Madonna, já está nas Americanas.com


18/09/2003

O livro infantil “As Rosas Inglesas”, escrito pela cantora americana Madonna, já pode ser adquirido na Americanas.com, por R$ 28,99.

O livro, que tem como tema central a inveja, conta a história de quatro amigas inseparáveis, na faixa dos 11 anos, que invejam uma outra garota do bairro, que consideram perfeita. Até que uma fada-madrinha as leva numa viagem mágica, onde aprenderão uma surpreendente lição sobre as diferenças entre aparência e verdade. Esse é primeiro livro, dos cinco, que ainda serão lançados na mesma linha pela autora e foi lançado ao mesmo tempo em mais de 100 países.

 

Negócios entre empresas na web movimentou R$ 35 bi no 2º trimestre


15/09/2003

O business-to-business (B2B) no Brasil cresceu 2,3% no segundo trimestre do ano, movimentando R$ 34,8 bilhões no período. Os dados fazem parte de uma pesquisa da Camara-e.net, a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, e a da E-Consulting.

O levantamento é dividido em duas partes. A primeira leva em conta apenas os negócios praticado entre as 30 maiores empresas do país, que representa cerca de 90% de toda a movimentação brasileira.

Segundo este segmento, houve queda de 0,2% em relação ao trimestre anterior. O B2B Companies alcançou no período R$ 30,3 bilhões.

O crescimento do B2B foi puxado por e-marketplaces independentes (mercados digitais), que subiu 24% no trimestre, movimentando R$ 4,5 bilhões.

“O aumento das transações nos e-Marketplaces independentes sustentou o crescimento do B2B”, diz Daniel Domeneghetti, diretor de Estratégia da E-Consulting e vice-presidente da Camara-e.net.

 

E-mails de Assinaturas da Abril seguirão “Boas Maneiras” da ABEMD


29/07/2003

A partir do próximo dia 30 de julho, todas as ações de e-mail marketing desenvolvidas pelo setor de Assinaturas da Editora Abril destacarão que a empresa segue as recomendações de “Boas Maneiras” elaboradas pela ABEMD, que foram lançadas nesta quinta-feira (24/7) em São Paulo.

A Abril informou que em todas as mensagens enviadas será reproduzida, antes do opt out, a seguinte frase: “Este e-mail foi enviado de acordo com o guia de boas maneiras para e-mail marketing da ABEMD. Clique aqui para conhecê-lo”.

A decisão da empresa de adotar essas recomendações é revestida de grande importância. A área de Assinaturas da Abril realiza mensalmente cerca de trinta diferentes ações de e-mail marketing, totalizando aproximadamente 5 milhões de envios.

 

AOL planeia mensagens de voz ‘online’


18/06/2003

A América Online, maior fornecedor de internet do mundo, revelou ontem que está a preparar o lançamento de um serviço que visa permitir aos utilizadores dos ‘chats’, falar uns com os outros através de uma consola de vídeo PlayStation 2, comercializada pela Sony Corp.

Além do serviço ‘Aim Talk’, a parceria entre a AOL e a SONY permitirá criar mecanismos que permitam aos utilizadores ouvir música e assistir a excertos de filmes e ‘clips’ de TV.

 

Pesquisa mostra força do Superstitial Unicast em campanha do McDonald´


11/06/2003

Pesquisa do IAB (Interactive Advertising Bureau, a entidade mais importante do mundo de mídia on-line) em conjunto com o McDonald´s comprova a eficiência do Superstitial, o comercial da Internet, no mix geral de comunicação.

A XMOS (Cross Media Optimization Study, Estudo de Otimização de Cross Mídia) tomou como base o lançamento de um novo sanduíche do McDonalds, o Grilled Chicken Flatbread.

Foram comparados o comercial de TV (30 segundos), o Superstitial (30 segundos) e outros formatos de propaganda on-line, como banners. O objetivo final era mensurar de que maneira cada formato de propaganda contribuía para o alcance das metas iniciais de marketing do McDonald´s.

O Superstitial, tecnologia desenvolvida e patenteada pela Unicast, superou o comercial de TV na categoria considerada a mais significativa: a daqueles que apontaram exciting como principal atributo de marca. O Superstitial para o novo sanduíche obteve 16,3% de “excitante”, contra 5% do comercial e 4,3% dos demais formatos “estáticos” de propaganda on-line.

Foram melhores também o desempenho do Superstitial nos quesitos different (6,1% contra 5,7% da TV e 2,7% de outros formatos on-line) e combination of great flavors (9,2% contra 7% da TV e 3,5% dos demais formatos on-line – veja, abaixo, a tabela completa). (segue)

 

Publicidade online nos EUA cresce no 1º trimestre


24/05/2003

A Associação de Mídias Online (OPA) informou nesta semana que uma pesquisa feita com 24 de seus membros apontou que as receitas de publicidade online no primeiro trimestre aumentaram, em média, 40,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, a receita total do grupo também cresceu 37,6% sobre o mesmo trimestre de 2002. Segundo Michael Zimbalist, diretor executivo da OPA, o crescimento das receitas com publicidade refletem a mudança de atitude dos anunciantes, que estão direcionando seus anúncios para sites com conteúdo de alta qualidade. Ele acrescenta que neste aspecto, a Internet não é diferente da mídia tradicional, ou seja, o conteúdo realmente importa.

A entidade cita uma análise recente, que combina resultados de mais de 100 estudos individuais conduzidos por membros da OPA e evidencia que os sites com conteúdo de maior qualidade garantem resultados melhores.

Quando comparados aos padrões de mercado para publicidade online em geral, os anúncios nos sites filiados à OPA são 24% melhores na geração de “Imagem da Marca”; 13% acima dos padrões no quesito “Associação de Mensagens”; 32% superior em “Preferência por uma Marca” e 9% superior nos índices de “Intenção de Compra”.

A relação de mídias online que participaram da pesquisa da OPA inclui, entre outras, About.com, ESPN.com, Forbes.com, MSNBC.com, New York Times Digital, SportingNews.com, USATODAY.com, Wall Street Journal Online, Weather.com e Washingtonpost.com.

 

Novo vírus «Fizzer» infecta computadores em todo o mundo


13/05/2003

O «Fizzer», um novo vírus informático assinalado recentemente na Ásia, está a infectar computadores em todo o mundo. Segundo peritos, o vírus propaga-se através do correio electrónico, de chats e do serviço de trocas gratuitas de canções Kazaa.

O «Fizzer» aparece nos correios electrónicos com linhas de assunto apelativas, tais como «Hoje é um bom dia para morrer». Logo que se abre o correio, o ficheiro, com extensões .exe, .pif, .com ou .scr, infecta o computador.

A companhia de rastreio MessageLabs, citada pela Lusa, que já classificou o vírus de alto risco, revelou esta terça-feira ter registo de pelo menos 20 mil computadores infectados.

O vírus pode desactivar os programas de segurança dos computadores, não elimina ficheiros pessoais nem rouba informação, mas origina muito tráfego ao propagar-se.

 

Ataques hackers triplicaram no 1º trimestre


01/05/2003

O número de ataques e incidentes de segurança detectados entre o final de 2002 e o primeiro trimestre de 2003 subiu 84%, de acordo com a X-Force.

O relatório divulgado ontem (29) pelo esquadrão de peritos em segurança da Internet Security Systems mostra que foram identificados 752 ocorrências de vírus e outras ameaças híbridas nestes três primeiros meses do ano, em comparação aos 101 detectados no trimestre anterior. Diz também que houve um aumento no número de ataques onde os hackers exploram falhas se segurança que não são conhecidas ainda pelos fabricantes – este tipo de ataque é chamado pela X-Force de “zero day”.

Os especialistas da ISS estudaram 20 setores da indústria para fazer este relatório, e descobriram que o pessoal de varejo foi o que mais sofreu no trimestre, recebendo 35% dos ataques. Na seqüência aparecem as áreas financeira (11,5%), de manufatura (9%), e de saúde (também 9%). O curioso é que órgãos ligados aos governos locais e federal americanos, mesmo com a iminência e depois o início da guerra contra o Iraque, receberam apenas 1% dos ataques. Outro dado curioso é que 26% dos ataques aconteceram nos finais de semana.

Os eventos mais citados pelas vítimas foram “atividades suspeitas” (que inclui a busca por vulnerabilidades na rede), com 73,5%; e “tentativas de acesso não-autorizado”, com 11%. De acordo com a X-Force, existem hoje só nos Estados Unidos três milhões de hackers – mas nem todos são especializados, diz a equipe. Boa parte deste contingente é composta por simples internautas que adotam comportamento malicioso na rede mundial.

Renata Mesquita, do Plantão INFO

 

Apple lança sistemas com ‘efeitos especiais’


07/04/2003

Softwares para criação de DVDs, composição de efeitos especiais e edição de imagens são as novidades apresentadas nesta segunda-feira (07/04) pela Apple durante o evento National Association of Broadcaster (NAB) 2003, realizado esta semana, nos Estados Unidos.

Com previsão de chegada nas prateleiras em agosto, o DVD Studio Pro 2.0 para o sistema operacional Mac OS X usa uma interface mais simples em relação ao DVD Studio Pro 1.5.

O sistema possui novos templates que podem ser personalizados, além de uma livraria de estilos, botões e backgrounds. A ferramenta de compressão permite a manipulação de imagens em MPEG-2, MPEG-4, DVD e qualquer formato suportado pelo QuickTime.

Segundo a empresa, o novo produto deve chegar ao mercado pela metade do preço de sua versão anterior, com o preço sugerido de US$ 499. Hoje, o DVD Studio Pro 1.5 sai pelo mesmo valor. A Apple destaca que os usuários que adquirirem o DVD Studio Pro 1.5 até agosto podem fazer o upgrade para a versão 2.0 por US$ 29,95.

Já o Final Cut Pro 4, última grande atualização do software de edição de vídeo digital e filmes, incorpora mais de 300 novas características, segundo a Apple.

A novidade introduz o “RT Extreme,” um novo sistema de composição de imagens, que permite que os usuários visualizem os efeitos de software em tempo real.

Baseado no padrão eXtensible Markup Language (XML). o Final Cut Pro 4 traz aplicações integradas que incluem o LiveType para a criação de títulos, trilhas sonoras e compressores para transcodificação de lotes de programas (batch).

Outro lançamento da Apple durante o NAB 2003 é o sistema de composição de imagens e criação de efeitos visuais, Shake 3, para Mac OS X, Irix e Linux.

O software utilizado na criação de efeitos em filmes como a trilogia de “Senhor dos Anéis”, ganha características especiais para o Mac OS X, como o Shake Qmaster — sistema de gerenciamento de redes que permite o uso de racks de servidores Apple Xserver ou de máquinas Power Mac G4 em cluster para aumentar o poder do sistema. (notícia completa com imagens, clique abaixo)

 

After the Banner: What’s Up Next?


11/02/2003

The exclusive online film series, “The Hire,” at BMW Films.com was last year’s advertising event. Winner of a Cannes Grand Prix and Best of Show at One Show, “The Hire” proved once and for all that, as a digital medium, the Web’s versatility lends itself to pioneering advertising initiatives.

After years of fumbling in the dark, marketers are finally beginning to understand how people use the Internet and are creating programs that synch up with their online habits. “The Hire” is just one example of new tactics now being employed in an effort to reach people beyond the simple message-based banner.

For online advertising to succeed, it must either present an experience that people will want to spend time with or a service that people can use.

It’s amazing the banner has survived as long as it has. A sensation when first launched in 1996, it has been increasingly ignored ever since. Industry-wide overall click-through rates have plunged to around 0.3% and are getting lower every year.

Noble efforts to boost performance by developing more intrusive efforts such as super-size banners (leaderboards, skyscrapers, etc.), pop-ups, pop-unders, page takeovers and the like may be attention-grabbing but have failed to substantially improve overall click-through rates.

Furthermore, too many banner ads on a site can turn off potential visitors. According to eMarketer, 68% of Internet users think two ad units per page is too much, and 36% say they will leave a site if it has too many ads. With more Internet service providers blocking pop-up ads, the end of intrusive advertising could very well be drawing near.

The demise of the message-driven banner is not completely unexpected because it ignores how people use the Internet. Darting from place to place in single-minded pursuit of a task (information, shopping) or a diversion (music, games, instant messages), Web surfers may see a flashy animated banner out of the corner of their eye, but generally don’t linger the five/six seconds it takes for animation to deliver its message.

Imagine how successful highway billboards would be if cars could go 900 miles per hour. That’s how fast people move on the Internet.

However, with the Internet having grown from five million users to an estimated 500 million since 1995, it is a medium marketers cannot afford to ignore. But if banners and their offspring are not the answer, then what is? (segue)

by Alex Hendler

 

Usabilidade: “Keep it simple, stupid!”


Ao colocar um site na Internet, uma empresa objetiva vender produtos e serviços, construir ou divulgar uma marca e, principalmente, utilizar esse canal de forma a ganhar mais tempo e dinheiro.

Mas não basta desenvolver um site com design atraente para reter os visitantes. Recursos visuais podem atrair o usuário, mas não possuem argumentos suficientes para mantê-lo ou fazê-lo retornar ao site.

É claro que o usuário espera encontrar um site com apelo visual, mas ele também deseja um ambiente amigável, que permita uma navegação intuitiva e rápida. Se ele não conseguir encontrar o que procura, abandona o site, e pior – não retorna.

Muito se tem discutido sobre a usabilidade dos sites, a propriedade de facilitar a navegação de forma que os usuários encontrem o que procuram rapidamente, resolvam seu problema, saiam falando bem dele e retornem. Do inglês usability, essa propriedade define a facilidade de uso, de interação e de navegação de um site.

Certamente sites mais simples possuem usabilidade superior, mas perdem no quesito visual. Mas visual exagerado e falta de objetividade podem espantar de vez o visitante. É claro que tanto o visual quanto a comunicação com o usuário deve depender do público alvo. Um site para crianças, por exemplo, deve possuir um visual mais colorido, mas se abusar das cores, pode se tornar cansativo. E o fato de ter um visual alegre e descontraído não garante a facilidade no uso. O segredo, então, está no equilíbrio entre design e usabilidade.

KISS, um acrônimo bem humorado de “Keep it simple, stupid!”, reforça aos webdesigners que a melhor tecnologia que pode e deve ser utilizada em um site é a simplicidade. Se as pessoas têm problemas para utilizar um design, não é porque são estúpidas, mas porque o design torna a navegação difícil.

Testar a usabilidade de um site é fundamental. Navegadores experientes podem auxiliar nesses testes, mas deve-se principalmente analisar os motivos que levam um visitante a abandonar um site antes do desejado.

Usabilidade: Atraindo e Fidelizando

Quando um visitante entra em um site pela primeira vez, certamente está buscando por uma informação específica. Se encontra um site rápido, com facilidade de uso, serviços úteis, informações objetivas e sem erros, sua experiência é agradável e a tendência é que retorne.Mas o fato do site ter sido capaz de gerar uma segunda vista não é garantia da fidelidade do visitante. Alguns aspectos não podem ser esquecidos:

  • O conteúdo e os serviços úteis devem ser constantemente atualizados sem serem exaustivos.
  • A objetividade deve ser uma constante. Deve-se utilizar textos curtos sem sacrificar a profundidade do conteúdo.
  • Novidades são sempre esperadas e devem ser destacadas.
  • O site deve ser rápido independentemente do tipo de conexão utilizada pelo usuário.
  • O tempo médio de acesso às páginas deve ser mínimo, de forma a implementar o conceito de acessibilidade. Páginas que demoram para carregar podem ser abandonadas antes de exibidas.
  • O visual não pode ser exagerado e as tecnologias utilizadas devem ser compatíveis com a maioria dos computadores dos usuários, o que significa que deve-se evitar utilizar tecnologias muito recentes e ainda pouco difundidas.

É famosa a afirmação de Jacob Nielsen, guru da usabilidade na Internet: “Nunca usar na construção de uma web uma tecnologia que tenha menos de dois anos e três versões”. Deve-se evitar a utilização de tecnologias novas, pois a maior parte dos usuários ainda não as possui e o site certamente não irá funcionar adequadamente.

Nada disso invalida a utilização de recursos multimídia, mas esses devem ser utilizados com moderação, sobrepondo a usabilidade ao design e garantindo que não haverá perda de performance. Efeitos avançados, em lugares adequados, podem ser argumentos a favor se utilizados com harmonia, caso contrário, podem espantar de vez os visitantes.

Usabilidade e Arquitetura da Informação

A definição da estrutura lógica de navegação de um site é fundamental para seu sucesso. A organização da informação deve ser tal que o usuário jamais se perca e encontre rapidamente o que procura.

As funcionalidades oferecidas devem ser disponibilizadas hierarquicamente. A largura (número de opções por nível) e a profundidade (número de níveis) da hierarquia deve ser tal que não ofereça opções demais nem faça com que os usuários cliquem um número excessivo de vezes para chegar à informação desejada. Se os usuários tiverem que navegar por mais de 4 níveis para encontrar o que desejam, podem simplesmente desistir do site. O ideal é que o visitante encontre o que procura em, no máximo, 3 clicks.

Como a redação de um site não é linear, não podemos pensar linearmente ao definir a arquitetura da informação. A qualquer momento da navegação, o usuário deve poder saber onde está e como ir e voltar para onde quiser. Um site deve proporcionar acesso direto a todas as seções de forma clara, estruturada e objetiva.

Ao projetar a arquitetura da informação, deve-se prever possíveis crescimentos e alterações. Se o site mudar muito, o usuário se desorienta e perde a familiaridade, podendo abandoná-lo. Mas se não mudar, ele se cansa. Novidades devem ser uma constante sem causar desconforto ou confusão. As mudanças no design não podem ser bruscas e devem manter a identidade do site.

O segredo do sucesso do site é a satisfação do usuário, que deve perceber sua integração, harmonia e utilidade.

Para ficar de olho nos recursos e tendências do momento, procure visitar os concursos de sites na Internet e aprenda observando os melhores.

*Cristina Moutella é MBA em e-Business pela Fundação Getúlio Vargas e consultora de Marketing e e-Business, com mais de 15 anos de experiência. Site: www.iis.com.br/~moutella
e-mail: moutellaiis.com.br

 

Apple anuncia iLife´04


08/01/2004

A Apple anunciou o iLife’04, a próxima geração da premiada suíte de aplicações de estilo de vida digital. O iLife ’04 apresenta as novas versões do iPhoto, iMovie e iDVD e introduz o GarageBand, a mais nova aplicação para música que transforma o Mac em um instrumento musical e em um estúdio de gravação.

O iLife ’04 também apresenta o recém-lançado iTunes 4.2, o melhor software jukebox de música digital do mundo. iLife ’04 surge para auxiliar os consumidores a facilmente organizar suas fotos, manejar sua coleção de músicas, criar filmes, criar DVDs e agora inventar música.

“Com o iLife ’04, a Apple dá um salto além da concorrência oferecendo o software mais avançado para organizar e criar música digital, fotos e filmes”, disse Steve Jobs, CEO da Apple. “E agora o GarageBand faz para a criação de música o que o iMovie fez pelo vídeo e o iPhoto pela fotografia – torna fácil e disponível o processo criativo para todos”.

O GarageBand transforma o Mac em um completo estúdio de gravação, permitindo ao principiante e aos músicos ocasionais tocar, gravar e criar músicas incríveis utilizando uma interface notavelmente simples. Com o GarageBand, performances gravadas, áudio digital e faixas de loops podem facilmente serem organizados e editados como a construção de blocos para criar uma música. GarageBand é composto por mais de 50 instrumentos de software, que inclui o premiado grand piano, que pode ser tocado e gravado com qualquer teclado musical USB ou MIDI. Mais de 1.000 loops de áudio pré-gravados podem ser combinados para fazer musicas completas ou músicas de fundo.

Vocais e instrumentos ao vivo, como guitarras, podem ser gravados digitalmente via microfone ou entrada analógica. Todas estas faixas podem ser editadas e mixadas junto com mais de 200 efeitos pré-determinados, incluindo reverberação e eco. Com a avançada tecnologia de modelagem do GarageBand, guitarristas terão acesso aos mais respeitados e clássicos amplificadores de som com seis amplificadores de guitarra, incluindo clean jazz, arena rock e British Invasion. O GarageBand também pode exportar músicas completas para o iTunes para gravar em CD, codificar em MP3 ou AAC de alta qualidade, transferir para o iPod ou para ser utilizado nas outras aplicações do iLife.

O iPhoto 4 agora permite ao usuário navegar e redimensionar mais de 25.000 fotos em segundos para encontrar exatamente a imagem que procurava. A nova organização de foto baseada na data dá aos usuários acesso mais fácil às suas fotos, e o Smart Albums organiza automaticamente fotos com base em data, palavra-chave ou pela própria classificação do usuário. Novos modos de apresentação incluem transições cinematográficas e controles de rotação, classificando e deletando fotos na tela. Com o compartilhamento de foto pelo Rendezvous, fotos podem facilmente ser compartilhadas entre computadores através de redes domésticas.

iMovie 4 apresenta edição diretamente da linha de tempo para transformar a criação de filmes de maneira mais fácil e rápida. Usuários podem selecionar e editar múltiplos clipes, simultaneamente, para modificar e reproduzir clipes mais rapidez e eficiência. Com áudio gráfico em waveforms e live audio scrubbing, os usuários podem encontrar pontos específicos de edição em áudio tracks, e guias de alinhamento tornam a sincronização de vídeo e áudio mais fácil. Vídeos ao vivo podem ser importados diretamente de uma câmera iSight para o painel de clipes. iMovie 4 também torna mais simples compartilhar filmes através da Internet via email ou web com a .Mac HomePage, e usuários podem levar filmes com eles quando viajam com telefone móvel ou PDA Bluetooth.

O iDVD 4 inclui 20 novos temas à la Hollywood, muitos deles com introdução e submenus, que podem ser personalizados com música, fotos e filmes para criação de DVDs realmente originais. Filmes do iMovie, fotos do iPhoto e músicas do iTunes ou GarageBand podem ser adicionados diretamente para um DVD através do media browser, e acrescentar apresentações de fotos podem incluir transições cinematográficas e iTunes playlists. O DVD MAP apresenta um resumo de todos os projetos de DVD e codificação de qualidade profissional pode comportar mais de duas horas de vídeo em um DVD simples.

O iLife ’04 também inclui a última versão do iTunes, o melhor software jukebox de música digital. iTunes permite aos usuários importar músicas de CDs, organizá-las e mixá-las em sua biblioteca de música digital dentro de playlists personalizáveis, gravar CDs ou levar todas a sua coleção de músicas para seu iPod. O iTunes e o iPod proporcionam uma solução completa para que os fãs da música possam administrar e escutar suas coleções de música digital em qualquer lugar.

A Apple iniciou a revolução do computador pessoal nos anos 70 com o Apple II e reinventou o computador pessoal nos anos 80 com o Macintosh. A Apple está comprometida em trazer a melhor experiência em computação pessoal para estudantes, professores, profissionais criativos e consumidores ao redor do mundo com inovações em hardware, software e aplicações para a Internet.

 

Micro de mão da Dell chega ao Brasil na 1ª metade de 2003


19/11

A fabricante de computadores pessoais Dell deve lançar no primeiro semestre de 2003 sua esperada linha de micros de mão (PDA) no Brasil.

O equipamento, Axim X5, foi lançado ontem nos Estados Unidos em dois modelos que custam a partir de US$ 199. A Dell informou hoje que ainda não é possível fazer previsão para o preço do produto no mercado brasileiro.

Os dispositivos – equipados com o sistema operacional PocketPC, da Microsoft – têm tela colorida e microfone e alto-falante integrados. O produto tem processador Intel de 400 MHz e capacidades para comunicação com redes sem fio.

A entrada da Dell no segmento de computadores de bolso acontece após meses de especulações sobre o lançamento do produto, que pode capturar uma parcela do mercado dominado pela Palm. A expectativa é baseada no modelo de fabricação de baixo custo e de vendas diretas que a Dell adotou desde sua fundação e que ajudou a empresa a alcançar a liderança na área de computadores pessoais.

No Brasil, a Dell – que tem uma fábrica de PCs, notebooks e servidores no Rio Grande do Sul – vai competir também com os fabricantes nacionais Itautec e Metron, que lançaram recentemente micros de mão equipados com o PocketPC.

O produto da companhia norte-americana pode também concorrer com um futuro lançamento da Gradiente, que seria equipado com processadores Intel, mas ainda sem data definida de lançamento.

 

Internauta ignora resultado de busca mostrado além da 2ª página


16/11

Mais de 70% dos internautas usuários de ferramentas de busca sequer olham para os resultados apresentados além da segunda página de respostas a sua pesquisa. O dado é de um estudo realizado pela iProspect, que mostrou que 75% dos internautas utilizam essas ferramentas constantemente.

A pesquisa revelou que 16% desses internautas olham apenas para os primeiros resultados da busca, enquanto 32% lêem até o final da primeira página de resultados e apenas 23% deles vão até a segunda página.

Segundo a análise, esse número é cai ainda mais a cada página adicional. Somente 10,3% dos internautas disseram que olham as três primeiras páginas de resultados, enquanto 8,7% passam por mais de três páginas.

O estudo também indicou que 52,1% escolhem a mesma ferramenta de busca, independentemente do assunto ao qual está relacionado sua pesquisa, enquanto 35% dos internautas alternam o uso entre diferentes sites.

De maneira geral, os internautas estão satisfeitos com os resultados oferecidos por essas ferramentas de busca, com 75% deles dizendo que suas buscas tinham sido bem sucedidas na maioria das vezes.

No entanto, a pesquisa também revelou que os internautas normalmente trocam de ferramenta de busca quando não conseguem encontrar aquilo que estão procurando imediatamente. Apenas 7,5% dos usuários disseram que “refinavam” a busca com outras palavras quando não alcançavam resultados satisfatórios com a primeira pesquisa.

*com Nua Internet Surveys

 

Site da eWeek realiza 4º desafio a hackers


[23/10]

O site da eWeek abriu ontem, dia 22, o OpenHack 4. Esta é a quarta edição do desafio, que consiste na invasão de servidores rodando sistemas da Microsoft e da Oracle – com a permissão das duas empresas, que fique bem claro.

Os desafios anteriores envolveram a quebra de sites comuns, diz a eWeek. Desta vez, o foco é a segurança das aplicações, e a eWeek vai distribuir cinco prêmios no valor total de cinco mil dólares, que variam de acordo com a façanha – sendo que obter os números de cartão de crédito escondidos nos servidores vale o maior prêmio, de 1,5 mil dólares. Ataques do tipo Denial of Service (DoS) serão desclassificados.

Os laboratórios da eWeek desenvolveram as aplicações web que rodam nos sistemas da Microsoft e da Oracle. O sistema da Microsoft consiste no .Net Framework, o Internet Information Services 5.0 e o SQL Server 2000 rodando em Windows 2000 Advanced Server. O da Oracle é uma solução Oracle9i Application Server Release 2 mais o Oracle9i Database Release 2 rodando na plataforma Red hat Linux Advanced Server 2.1.

Para saber mais sobre o desafio e conferir as regras para participação, ou simplesmente acompanhar o que está rolando, entre direto no site do Openhack 4, aqui.

Renata Mesquita, do Plantão INFO

 

7º Encontro de Propaganda na Internet na ESPM

10/10/02 Será realizado no dia 30 de Outubro o 7º Encontro de Propaganda na Internet, na ESPM, em São Paulo. Na ocasião estarão presentes Luís Henrique dos Santos – Diretor de Operações da McCann On Line, Mauro Alencar – Diretor de Criação da Digital J.Walter Thompson e P.J. Pereira – Vice-Presidente de Criação da AgênciaClick. O evento é realizado pela Editora Referência, o Estadão e a ESPM. Para outras informações acesse http://www.lepera.com.br/7encontro/home.htm

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *