Mulheres estão sintonizadas com marketing e compras pela internet No ratings yet.

15/03/2010

Um estudo realizado pela Sophia Mind, uma empresa de pesquisa de mercado do grupo Bolsa de Mulher, apontou que a internet já é a principal mídia usada pelo público feminino no Brasil, ultrapassando a TV. Em janeiro último, as mulheres representaram 47% da audiência de usuários ativos na internet brasileira de acordo com o Ibope Nielsen Online. Elas passam 39 horas semanais na web, contra 21 horas assistindo TV.

A publicidade pela internet parece não incomodar as mulheres. Das entrevistadas, 97% não se importam de receber banners ou e-mail marketing com produtos de interesse, promoções ou cupons de desconto.

O contato com outras mulheres em mídias sociais é fundamental na hora da escolha de produtos. As redes sociais são usadas por 60% das mulheres para comentarem experiências de consumo, sejam positivas ou negativas. A penetração do público feminino em diversos tipos de mídia social é enorme – 93% delas acessam algum tipo de modalidade, seja serviços de mensagens instantâneas ou sites de relacionamento como Orkut ou Facebook. A opinião de outras mulheres sobre determinado produto é fundamental para elas – mais da metade já comprou algo por indicação em rede social. Entre as mídias sociais, o Orkut é a mais popular, sendo usado por 75% das entrevistadas. Sonico, Twitter e Facebook aparecem na sequência com uma média de 21% de visitação.

Segundo matéria publicada pelo Daniel Junqueira no site IDG Now, para a maioria das mulheres (67%) a internet é fonte de informações sobre produtos ou serviços desejados. Entre as entrevistadas, 42% buscam informações em sites de fabricantes, 62% procuram dicas de uso de produtos e 70% procuram em sites de busca de preço as melhores oportunidades para economizar na hora de adquirir produtos. Por consequência disso tudo, a compra pela internet é uma prática cada vez mais comum entre o público feminino. Mais da metade das entrevistadas afirmaram terem feito compras pela internet.

As mulheres são responsáveis por 80% das decisões de gastos. Ainda assim, publicitários não as observam como principal público alvo na hora de criar campanhas. Para Andiara Petterle, Chief Executive Officer (CEO) do Grupo Bolsa de Mulher, o mercado ainda não entendeu o público feminino. “Há anunciantes que falam com as mulheres, mas ainda é preciso um salto grande nessa área. “Mulheres são intensas e emotivas. É preciso estudar o comportamento delas para ofertar do jeito certo. Não basta pintar de cor de rosa para elas ficarem felizes”, brinca.

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *