Modelos de negócios na internet pelo mundo

18/08/2009

Conheça as empresas estrangeiras que atuam na web e estão estourando de vender

Por Isis Almeida
 

A revolução digital transformou definitivamente a forma como nos relacionamos, fazemos negócios e adquirimos bens de consumo. Na Europa, mais de 80% da população adulta têm acesso a internet banda larga em casa e um terço já faz compras online regularmente. Para o pequeno empresário, encontrar um nicho de mercado parece ser o caminho mais rápido para o sucesso na web. Pequenos e médios empreendedores europeus e americanos contam como conseguiram inovar e se estabelecer no mundo digital.

Você ainda se lembra do tempo em que organizar as suas férias significava sair de casa e cruzar a cidade para fazer orçamentos em diversas agências de viagem? Não faz tanto tempo assim, mas com o mercado de varejo e viagens online em alta – faturou 116 bilhões de euros na Europa em 2008 segundo pesquisa da Forrester Research – a maioria das pessoas já esqueceu como os negócios funcionavam antes da revolução digital.

Comprar livros, passagens de avião e reservar hotéis na web já são práticas comuns. Porém, os consumidores dos países desenvolvidos estão indo mais longe. Em busca de conforto, tanto europeus quanto americanos estão expandindo cada vez mais a gama de produtos adquiridos online, comprando até mesmo roupas de luxo na internet.

Foi exatamente este nicho de mercado que despertou o interesse de Natalie Massenet, ex-editora das publicações de moda Tatler e Women’s Wear Daily. Em 2000, antes mesmo da bolha tecnológica explodir, Natalie inaugurou seu site de roupas de luxo chamado Net-a-porter, uma brincadeira com a expressão prêt-à-porter. Oferecendo roupas e acessórios de estilistas famosos como Stella McCartney, Jimmy Choo, Calvin Klein, Dolce & Gabbana, Marc Jacobs e DKNY, o Net-a-porter se tornou um dos e-tailers mais acessados do Reino Unido, com uma receita que atingiu 55,2 milhões de libras em 2007. O site tem, atualmente, mais de um milhão de usuários cadastrados. Segundo Natalie, o sucesso do Net-a-porter é uma prova de que se pode ter um negócio lucrativo na internet.

O pioneirismo do e-tailer de Natalie foi exemplo para que outros empreendimentos do setor de vestuários se estabelecessem na web. Segundo dados da Forrester, o comércio de roupas já figura entre os três maiores setores em vendas na internet e faturou cerca de 11 bilhões de euros na Europa no ano de 2008. Na França, as vendas de vestuário online já ultrapassaram até mesmo os setores de viagens e livros.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.