Microsoft é problema para empresas rivais No ratings yet.


07/11

MONTEREY, Estados Unidos (Reuters) – O setor de software tem dois problemas enquanto procura dar o primeiro passo na promoção de serviços via Web, que devem ser a próxima onda dominante do mercado: a economia está fraca, e a Microsoft está.

Assim quando os executivos e vice-presidentes de tecnologia se reuniram em Monterey, na quarta-feira, para a conferência ‘Shaping Software 2002’, promovida pelo banco de investimentos Merrill Lynch, a conversa girou em torno da Microsoft, o gorila de 300 quilos do setor, e dos gastos empresariais ainda baixos.

Os serviços de software via Web envolvem uma integração de dados avançada que promete permitir que a informação seja empacotada como blocos básicos e que sua recuperação seja fácil por meio da adoção de vários sistemas e aparelhos de computação. E, para um setor que vem sofrendo pesadas perdas de receita há pelo menos dois anos, o novo método oferece o maior potencial de deflagrar um novo crescimento explosivo de gastos com software.

Por trás das cenas, a Sun Microsystems, com sua plataforma de serviços via Web baseada na linguagem de programação Java, está enfrentando a Microsoft e sua arquitetura .NET, em disputa pelos corações e mentes dos clientes corporativos que investem pesadamente em software.

Uma juíza federal aprovou na semana passada o acordo antitruste da Microsoft com o governo dos Estados Unidos. O acordo impõe restrições modestas à gigante do software, mas a deixa relativamente livre para entrar em outros mercados e manteve a companhia intacta.

A Sun afirmou que levaria adiante o seu processo contra a Microsoft, no qual alega que seus negócios foram prejudicados pelo monopólio da Microsoft, que impediu o uso da plataforma de software Java desenvolvida pela empresa.

Muitas grandes empresas e agências do governo operam seu software de contabilidade automática e atendimento a clientes com base em arquiteturas Java. A Microsoft está trabalhando para conquistar essa base de clientes muito cobiçada e para defender seu território nas grandes empresas, enquanto tenta expandir suas receitas.

John McKinley, vice-presidente de Tecnologia do Merrill Lynch, disse que é difícil não usar a plataforma .NET, dado o domínio da Microsoft em sistemas operacionais, pacotes de escritório para empresas e sistemas de email.

E McKinley vê a Microsoft plantando as raízes para o apoio da plataforma .NET. Não somente a Microsoft tem um bom conjunto de ferramentas de desenvolvimento de software, afirmou o analista, como o chairman Bill Gates e o presidente-executivo Steve Ballmer conseguem mais tempo em conferencias de programadores do que os principais executivos da Sun e da Oracle, que defendem o Java.

Quando perguntado sobre a frequente questão Java ou .NET, o analista brinca: `a grande questão será ‘Microsoft e quem mais?’ (segue)

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *