Mercado cria ofertas tecnológicas para pequenos negócios

12/04/2007

Pesquisa recente da fabricante de software Symantec indica que 99% das firmas de porte menor acreditam na importância da internet. Segundo o Sebrae, no entanto, a internet é uma realidade para apenas 54% dos pequenos empresários.

A Telefônica, por exemplo, lançou recentemente um pacote exclusivo para as pequenas, com computador, internet, softwares e suporte tecnológico, a partir de R$ 157 mensais.

Segundo o diretor da Telefónica Internacional, Mariano de Beer, investir em serviços para esse segmento é estratégico. “O retorno vem depois: quando essas empresas crescem, nós também ganhamos.” No próximo semestre, a operadora terá novos serviços para os pequenos empresários: eles terão a opção de incluir softwares de gestão e de treinamento de funcionários no pacote.

De acordo com o vice-presidente da Symantec para a América Latina, Wilson Grava, a empresa vai expandir os serviços oferecidos para as pequenas e médias empresas, que representam 67% dos negócios da companhia no Brasil, a partir do segundo semestre. O objetivo é oferecer preços diferenciados a essa clientela. “Os preços ainda são a grande barreira para as pequenas empresas”, afirma Grava.

Para o consultor de comércio eletrônico da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Mário Firmino, diferentemente das companhias de grande porte, o orçamento das pequenas não permite que elas invistam em novas tecnologias. “Por isso, é preciso oferecer um preço diferenciado.”

Em março, a Associação Comercial de São Paulo lançou um serviço que funciona como um site de relacionamentos para microempresários. Por meio de uma assinatura mensal de R$ 60, eles podem vender seus produtos, cotar preços de fornecedores e divulgar serviços. Cerca de 50 mil micro e pequenas empresas já se cadastraram. “As pequenas querem se inserir nesse mercado. Só falta uma chance.”

Pequenas e médias empresas

Esse segmento de pequenos e médios negócios, também chamado de mercado SMB, da sigla em inglês “small and medium business”, é o que apresenta maior potencial de crescimento na América Latina.

De acordo com outro levantamento feito pela empresa de pesquisas IDC, a América Latina conta com mais de meio milhão de empresas de pequeno e médio porte (companhias com entre 10 e 499 funcionários) e que investirão mais de US$ 10 bilhões em TI até o final do ano, montante que deve crescer até chegar a US$ 14 bilhões/ano em 2009.

E quem pensa que o consumo de tecnologia no segmento é de apenas micros e softwares básicos está bem enganado.

Segundo o estudo, essas companhias estão investindo prioritariamente em soluções de segurança, para assegurar a proteção de acervos digitais e estruturas existentes de hardware e software.

Marianna Aragão e Alexandre Barbosa

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.