Mensagem instantânea ameaça segurança da informação

As ameaças contra a segurança da informação estão se tornando cada vez mais preocupantes quando transmitidas por aplicações de mensagem instantânea e por adware/spyware. Esta é a conclusão do relatório trimestral da Kaspersky Lab, desenvolvedora de software de segurança baseada em Moscou, sobre tendências em relação ao surgimento de vírus. “Ataque a computadores tornou-se um negócio. As ameaças em segurança são inventadas e lançadas por profissionais”, analisa Robert Cohen, presidente e CEO da CG Atlantic.

Em algumas companhias, o spyware se tornou uma questão administrativa, destaca Adam Hirsch, diretor de segurança da informação da NetWork. A gerência de TI gasta até 70% do tempo com a limpeza dos sistemas infectados. Pensando nisso, os fornecedores estão apostando na defesa contra as ameaças, a partir de solucões que identifiquem a vulnerabilidade do sistema e previnam os ataques.De acordo com a Kaspersky Lab, muitos dos novos worms transmitidos por aplicações de mensagens instantâneas são desenhados em Visual Basic, sugerindo que os desenvolvedores dos vírus são programadores relativamente inexperientes. O problema é que muitas empresas ainda não estão adotando medidas básicas de proteção, com a instalação de firewalls, VPNs e antivírus para email. “Temos orientado nossos clientes a não utilizar IM (Instant Messaging) como parte da tecnologia corporativa”, diz Michelle Drolet, CEO da Conqwest, VAR em segurança.

Entre os vírus mais comuns estão mensagens que convidam o usuário a visitar o website onde o worm está instalado. A maneira mais efetiva de lidar com esse tipo de ameaça, segundo os fornecedores, é restringir o uso de IM ou mesmo bloquear o recurso, caso ele não seja necessário para o negócio. O relatório da Kaspersky ainda aponta um crescimento de spams que incentivam o usuário a fornecer informações pessoais e financeiras, recebidos também por meio de aplicacões de mensagens instantâneas e redes de jogos online.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.