Marqueteiros exigem que cliques de propagandas online sejam contados

31/10/2006

 

Um grupo de grandes empresas, incluindo Kimberly-Clark, Colgate-Palmolive e Ford afirmou que em meados de 2007, eles exigirão que os divulgadores online contratem auditores para checar suas propagandas e contar os cliques dos internautas. Os analistas afirmam que eles acreditam que as propagandas online crescimento das propagandas durante um longo período de tempo dependerá do ímpeto de grandes anunciantes como esses para investirem mais dinheiro no mercado online.

 

Enquanto isso, reagindo às questões dos anunciantes, empresas online, como Google, Yahoo e LookSmart, começaram a encontrar com grupos da indústria para responder a questões básicas sobre como a propaganda baseada em cliques funciona.

 

Outras empresas estão preocupadas com a até então chamada “fraude do clique”, que pode ter alguma influência em seus gastos com propaganda, de modo que eles estão dividindo seus dados publicitários com rastreadores de cliques, que tentam descobrir quão prevalentes tais cliques são.

 

Existe uma série de motivações por trás da fraude de cliques. Às vezes, usuários fraudulentos clicam em anúncios publicitários em redes afiliadas de anúncios – como o Google AdSense – de modo que tais hospedeiros de sites ganhem mais dinheiro. Outra motivação é fazer uma espécie de “competição”: o anúncio só permanece se ele atrair um certo número de cliques.

 

Até mesmo companhias de medida com reputações sólidas como a Nielsen/Net Ratings, uma unidade da VNU, necessitam de novas certificações para provar que o número de seus cliques é grande o suficiente.

 

“Quando você cresce, você tem de fazer certas coisas”, afirmou Mainak Mazumdar, vice-presidente da Net Ratings de Ciência de Medidas e Marketing de Produtos. “A Internet amadureceu para um ponto no qual os marqueteiros tradicionais – empresas que estão gastando muito mais dinheiro na televisão e na mídia impressa – estão vendo como a Internet é legítima.”

 

As rendas com anúncios na Internet têm crescido aproximadamente 30% dos últimos três anos, causando um estremecimento em muitos negócios de mídias impressa e televisiva.

 

As preocupações sobre a fraude dos cliques e sobre as estatísticas dos usuários não parecem afetar os rendimentos online no momento presente, porém executivos de agências de propaganda afirmaram que as questões deveriam ser resolvidas muito antes que os anunciantes queiram ou não investir ainda mais dinheiro na propaganda online.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.