Marketing online empurrado pelas redes sociais vai superar o offline em breve

11/01/2010
 
Segundo uma pesquisa realizada pela F/Nazca com apoio da Datafolha, 51% dos internautas brasileiros têm o hábito de publicar na rede conteúdos feitos por eles próprios, Ou seja, 45,5 milhões de brasileiros costumam compartilhar on-line, 69% do total de internautas do país (69 milhões).
 
Os meios mais acessados são o Orkut, adotado por 54% dos internautas, seguido do MSN, com 45%, e do e-mail, com 41%. Os conteúdos mais compartilhados são fotos, trocadas por 49% dos usuários, seguidas de textos e vídeos, ambos com 30%.
 
O brasileiro se destaca pela sua assiduidade à web: 86% dos 66 milhões de internautas identificados pelo estudo entram na rede pelo menos uma vez por semana e 37% navegam todos os dias.
 
Por causa de números como esses é que empresas dos mais diversos segmentos acabaram por sucumbir e estão investindo esforços na comunicação e interatividade proporcionada pelas redes sociais. O boom das redes sociais não deixou dúvidas: se as marcas desejam se relacionar com os seus consumidores, devem estar presentes nestes canais. Não é mais novidade a presença das empresas em espaços virtuais como blogs e sites de relacionamento como o Orkut e o Facebook, além do microblog Twitter, fenômeno virtual do momento.
 
O Forrester Research fez, no ano passado, uma previsão de que as mídias sociais irão crescer a uma taxa anual de 34% nos próximos 5 anos, mais rápido que qualquer outra forma de marketing online e o dobro da média de todas as outras mídias online. Sendo assim, os investimentos em Redes Sociais podem atingir U$ 3.1 bilhões em 2014.
 
Os números são suficientes para mostrar que o alcance da web ultrapassa qualquer meio de comunicação de massa tradicional. Em 2008, foram vendidos mais computadores do que TVs no país e os dados da pesquisa indicam que os brasileiros passam três vezes mais tempo on-line do que vendo televisão. Este cenário tende a se expandir.
 
Hoje, a rede já atinge aproximadamente 40% da população, enquanto os meios tradicionais apresentam crescimento moderado ou declínio. Focando apenas os homens AB, de 10 a 24 anos, este número sobe para 85%. A influência que a internet exerce sobre os consumidores é inegável. Mas não se pode negar também a influência que estes consumidores têm sobre a internet. E se eles estão em algum lugar, este lugar são as redes sociais e é para lá que as marcas devem voltar o olhar.
 
Todos esses dados tem relação direta com a publicidade offline, pois com as estimativas de que o meio online irá conquistar 12% do total de gastos com marketing este ano e 21% em 2014, os investimentos em campanhas offline tendem a diminuir, principalmente devido ao retorno eficiente vindo das diferentes estratégias de marketing digital.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.