marketing digital para empresas de varejo

Marketing digital para empresas de varejo: como crescer na pandemia!

O comércio varejista é sempre um dos primeiros a ser atingido por crises. Afinal de contas, quem depende do consumidor final fica mais vulnerável em época de recessão do que os negócios de B2B (entre empresas). Nesse contexto, o marketing digital para empresas de varejo pode ser o fôlego que faltava para garantir a sobrevivência.

Mas não é só isso: durante a pandemia do coronavírus, diversas marcas conseguiram expandir apesar de todas as dificuldades. No entanto, pegaram carona nesse movimento positivo as redes que apostaram mais nas vendas pela internet.

Assim, quando os clientes passam a comprar mais no ambiente online, as campanhas publicitárias devem acompanhar essa tendência. Para se ter uma ideia, o faturamento das gigantes do varejo cresceu 765% em dezembro do ano passado. Esses são dados da empresa de Full Commerce Tatix, que administra o comércio virtual de grandes nomes como Red Bull, Pernambucanas e Avon.

Mais um exemplo positivo para essa modalidade comercial: no Dia dos Pais, houve expansão de 95,4% do varejo online, de acordo com o site Mercado & Consumo. Ou seja, o comércio virtual, que já era uma tendência antes do coronavírus, expandiu ainda mais em 2020. Como resultado, o marketing digital para empresas de varejo em 2021 ganhará ainda mais importância.

marketing digital para empresas de varejo

O que são as empresas de varejo?

As vendas de varejo são aquelas que comercializam produtos e serviços para consumo próprio de quem adquire, isto é, trata-se de uma aquisição doméstica. Nesse sentido, o público-alvo é o consumidor final, aquele que usará a mercadoria, e não tornará a comercializá-la. Veja exemplos:

  • Lojas de roupas;
  • Supermercados;
  • Farmácias;
  • Comércios de itens esportivos.

Quais os desafios do marketing digital para empresas de varejo?

O grande desafio é que não existe receita única. Desse modo, cada comércio varejista terá de encontrar o seu caminho. Os grandes players do setor tiveram de superar obstáculos para montar as estratégias de vendas online que permitiram atravessar o difícil ano de 2020 com um desempenho surpreendente.

Por exemplo, até mesmo Luiza Trajano, presidente do Conselho da Magazine Luiza, admitiu que aprendeu com tentativas que incluíram erros e acertos.

“A cultura digital é experimentação. Ou seja, tenta! Não deu certo? Muda rápido! Acertou? Então multiplica”, disse a empresária em entrevistas para diversos veículos.

Outro modelo positivo foi a volta por cima da rede Marisa, uma das maiores varejistas do segmento de vestuário. Nesse caso, com o investimento em marketing digital, a marca ampliou as vendas em 150% no auge da pandemia.

Evidentemente, os pequenos e médios negócios não têm a mesma estrutura para investir em novas tecnologias que tanto potencializam o poder do marketing digital. No entanto, fica a lição de Luiza: comece seu investimento o quanto antes. Assim, no meio do caminho, é só fazer as correções necessárias.

Como fazer marketing digital para empresas de varejo?

Se as vendas online estão crescendo por causa da Covid-19, uma consequência natural disso é a ampliação do marketing digital na pandemia. Em outras palavras, se as pessoas não podem visitar a loja física, a marca tem de ir buscá-las onde elas estão.

Dessa forma, a empresa de varejo precisa oferecer uma forte presença nas redes sociais, nas abordagens via e-mail, em blogs e em sites. Assim, será possível construir uma credibilidade no mundo online mais consistente e amenizar as perdas com as vendas presenciais. Veja a seguir algumas dicas para fazer o marketing digital para empresas de varejo!

Abordagens segmentadas

O marketing digital possibilita interagir de forma segmentada, isto é, falar com pessoas diferentes de maneiras distintas. No entanto, isso requer uma profunda compreensão sobre o comportamento do consumidor online.

Para entender melhor esse público, olhe atentamente para o histórico de vendas, mesmo que você só tenha as informações das lojas físicas. Assim, procure saber qual produto saiu mais, quais clientes gastam os valores mais altos, qual mercadoria encalha no estoque etc.

Esses dados são como um mapa do tesouro para dar o start no marketing digital para empresas de varejo. Assim, com essas informações disponíveis, é possível criar campanhas segmentadas por faixa etária, gênero, renda, profissão, interesses e muito mais.

Redes sociais

As redes sociais permitem que os clientes encontrem uma loja virtual muito mais fácil do que pelo site. Além disso, o clima informal dessas plataformas cria uma aproximação maior com o público.

No entanto, as postagens devem ser bem-humoradas, e não apenas com aquele apelo publicitário tradicional. Para conseguir esse viés mais criativo, uma dica é usar o humor e o buzz da internet do dia.

Você já parou para pensar que diariamente alguns assuntos bombam na rede mundial, certo? Aproveite isso para falar com seu público. Outro ponto importante: as redes sociais podem funcionar como uma verdadeira plataforma de e-commerce.

Nesse contexto, Instagram e Facebook já disponibilizam funções para vender diretamente dentro de suas próprias interfaces. Mais uma dica: é possível identificar os dias da semana e os melhores horários para postar nas redes. Assim, a chance de engajamento aumenta consideravelmente.

Plataformas de e-commerce

Não é preciso ter uma plataforma de e-commerce própria para vender online. Afinal, é viável usar as redes sociais, como já dissemos. No entanto, contar com esse recurso é uma tendência já bem antes da Covid-19. Desse modo, mesmo que seja um projeto de longo prazo, é altamente recomendável começar a se preparar para construir uma interface de vendas online consistente da marca.

Além disso, se o fechamento das unidades físicas se estender ao longo de 2021, diante das incertezas em relação à vacina, esse instrumento trará alívio para o desempenho. Assim, pense no e-commerce como uma ferramenta do seu marketing digital, uma vez que será por meio dela que as vendas serão consolidadas.

Anúncios em marketplaces

Um excelente recurso do marketing digital para empresas de varejo é o chamado marketplace, uma espécie de shopping virtual. Nesse contexto, são exemplos de interfaces desse tipo a Amazon, o Netshoes e o Mercado Livre.

Esses espaços virtuais recebem um elevado número de visitantes, sendo que a maioria deles já tem intenção de compra. Para esse investimento, é interessante produzir boas fotografias e vídeos dos produtos.

Também é fundamental a criação de legendas que tragam informações cruciais sobre a mercadoria, como seus benefícios, cores disponíveis, prazo de entrega etc.

Conteúdo relevante no marketing digital para empresas de varejo

O marketing digital para empresas de varejo, assim como para outros segmentos, funciona por meio da produção de conteúdo relevante para determinado público. Esse conteúdo pode ter várias facetas: textos de blog, vídeos, postagem nas redes, podcasts, e-mail marketing e muitos outros.

O importante é que esse material desperte a curiosidade dos consumidores, atraindo-os para as páginas virtuais da marca. Outro ponto importante é que o formato desses informativos deve atender às regras de SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Mecanismos de Busca). Assim, suas informações vão aparecer de graça nas primeiras posições dos buscadores como Bing e Google.

Além disso, é possível fazer um SEO para lojas virtuais bem específico a fim de ampliar as vendas. Para esse tipo de iniciativa, é indispensável que o usuário tenha uma boa experiência de navegação no site.

Afinal, os principais motores de pesquisa usam esse critério para classificar o nível de exposição nos resultados. Assim, questões como velocidade, usabilidade e design responsivo fazem toda a diferença.

Portanto, o marketing digital para empresas de varejo não apenas ajuda a sobreviver como pode permitir um crescimento inimaginável. Afinal, o poder de alcance supera barreiras geográficas e a dispersão das abordagens. Isso porque essa técnica publicitária foca em intervenções junto a um público predisposto a consumir. Em outras palavras, essa estratégia potencializa as vendas e, em muitos casos, esse ritmo ocorre em grande escala.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.