Itanium estará em 50% dos servidores, diz Intel


10/03/2006

Mesmo com as dificuldades que os processadores Itanium – chips de 64 bits da Intel – vêm enfrentando para decolar no mercado, a Intel aposta que a plataforma de processadores responderá por 50% do mercado de servidores hi-end, em 2010.

A participação atual dos chips no segmento, contudo, é de aproximadamente 10% (dados da IDC, do terceiro trimestre de 2005).

“2005 foi um ano de virada para o Itanium”, defende Boyd Davis gerente-geral do grupo de marketing para plataformas de servidores da Intel.

Para o executivo, a arquitetura de sistemas proposta pelo Itanium representa uma ruptura com o modelo fechado até então oferecido à indústria para a computação de missão crítica.

“O problema do modelo fechado é que ele não gera o tipo de inovação que o cliente busca. A nova arquitetura que propomos garante isso”, argumenta Davis.

Para dar fôlego à plataforma, a Intel aposta no lançamento do Montecido – versão com dois núcleos do Itanium, que estava prevista para 2005, mas atrasou para o meio deste ano, que deve trazer um ganho de 100% em performance aos chips.

“Nem todos os processadores dual-core trazem o dobro da performance do equivalevete com somente um núcleo”, esclarece Davis.

Além da evolução da arquitetura, a Intel busca em seus parceiros apoio financeiro para impulsionar o Itanium. Recentemente, a companhia anunciou a Itanium Solutions Alliance, grupo de indústria que reúne nomes como Bull, Fujitsu, Hitachi, HP, NEC, Silicon Graphics e Unisys, e que investirá 10 bilhões de dólares na arquitetura até 2010.

Somente a HP, que utiliza os processadores Itanium como base para a linha de servdores Integrity, já havia anunciado investimentos de 3 bilhões de dólares na arquitetura e aposta na plataforma para abocanhar uma gorda fatia do mercado de reposição de servidores RISC, estimado em 20 bilhões de dólares anuais.

De acordo com Octavio Marquez, diretor de marketing e alianças da HP, cerca de 25% dos clientes de servidores RISC da HP já migraram para a plataforma Integrity e, no prazo de cinco a seis anos, toda a base de clientes deverá ter migrado para a arquitetura Intaium.

Na América Latina, os sistemas Integrity já respondem por 55% das vendas de servidores de alta performance da HP (composta ainda por sistemas PA RISC e Alpha), número que deve crescer para 75% até o final do ano.

Mundialmente, a companhia registrou um aumento de 81% na adoção dos sistemas Integrity em 2005, em relação a 2004.

Daniela Moreira, repórter do IDG Now!

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.