Investimento em web marketing aumenta conforme o meio se afirma


30/10/2005

Estava pesquisando conteúdo para servir de base para atualização da área de notícias do site emarket, no qual publicamos assuntos relacionados ao mercado de internet (marketing e publcidade online, comércio eletrônico, tecnologia, etc.) e ao encontrar no site IDG Now uma nota a respeito do crescimento da Publicidade Online nos EUA, resolvi fazer algumas considerações sobre o tema. Não estou me referindo à publicidade na internet propriamente, mas sim à questão da afirmação da mídia como alternativa publicitária.

Diz o texto que a receita proveniente de anúncios na internet beirou os 6 bilhões de dólares no primeiro semestre deste ano. Trata-se de um novo recorde para o setor e representa um crescimento de 26% em relação à primeira metade de 2004.

Também no Brasil, os números são bem significativos. Segundo projeção realizada pela empresa de pesquisas Forrester, em agosto, o mercado brasileiro de publicidade na web deverá aumentar até 150% nos próximos três anos, atingindo US$ 200 milhões em 2008, contra os atuais US$ 80 milhões registrados no ano passado.

Em relação a outros veículos de publicidade, a internet vem conquistando seu espaço e, consequentemente, diminuindo a propaganda em outros meios. Pesquisas mostram que no mundo todo, as mídias tradicionais como a televisão e jornais vêm perdendo popularidade entre consumidores de 15 a 34 anos. Por outro lado, esse mesmo público passa cada vez mais tempo online. De 2003 para 2004 o investimento em publicidade online aumentou 33%, enquanto em TV, o crescimento foi de apenas 12%. Em abril, uma notícia veiculada pelo Media Guardian e que reproduzimos no site emarket, comparava os investimentos em publicidade na internet e em rádio, no mercado inglês. A informação era de que a internet havia alcançado 3,9% dos investimentos do mercado em 2004, superando pela primeira vez o rádio, com 3,8% de share. A mesma nota registrava a expectativa de que a publicidade online ultrapasse os investimentos em mídia exterior nos próximos dois anos. Esses números poderiam não ser tão significativos ainda, a não ser que consideremos o fato de que o rádio e outros veículos existem a muito, mais muito mais tempo do que a internet. No caso do Brasil, podemos considerar que a veiculação de publicidade na web, começou a ser considerada como uma alternativa mais concreta, tanto por anunciantes como agências, há poucos anos.

Em nosso site, fazemos um trabalho de pesquisa e divulgação de informações sobre o mercado de internet. Desde o início, há cinco anos, a emarket se ocupou em promover o mercado de internet. Sempre fizemos isso baseados em dados reais. Durante todo esse tempo, vimos o mercado indo e vindo, como ondas do mar, que assim como impulsionam os surfistas, tragam os mais desavisados. É certo que há cinco anos existia uma expectativa enorme e um tanto absurda para a época. Quando nos deparamos com os dados atuais e, mais do que isso, notamos na prática o crescimento da internet, nos sentimos recompensados por ter acreditado mesmo quando a realidade brasileira não era tão positiva. Desde essa época, mantivemos contato com diferentes empresas e profissionais que também remaram, remaram e remaram. Vários sucumbiram. Mas outros tantos estão agora começando a colher o que foi semeado.

A internet, a sua publicidade e marketing interativo são um veículo e uma ferramenta cada vez mais imprescindível para a conquista de novos mercados e fidelização de clientes, para todos tipos de empresas. E a expectativa é de que o alcance da internet como veículo e também seus resultados se firmem cada vez mais. No Brasil ainda existe uma grande quantidade de empresas que não visualizaram a internet como uma aliada nos negócios. Há poucos dias, vi uma notícia que informava que o proprietário de uma das maiores lojas de departamentos do país, a qual vai faturar R$ 12 bilhões este ano, ainda não tem planos de investir no comércio e na publicidade através da internet, ao contrário da maioria dos seus concorrentes.

Portanto, meus caros, o trabalho de esclarecimento continua. Não percamos tempo nem ânimo.

Ricardo Prates Morais é editor da emarket News e consultor da emarket (www.emarket.ppg.br), agência de marketing e publicidade online.

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *