Internet se torna, cada vez mais, fonte de informação


24/03/2006

Numa clara demonstração do crescente poder da Internet e seu efeito sobre a mídia, um novo estudo mostra que cerca de 50 milhões de americanos normalmente recorrem a serviços online para ler o noticiário, sobretudo aos sites na web de empresas de mídia tradicionais.

O relatório informa que a Internet é a principal fonte de notícias para as pessoas que adotaram conexões de banda larga em casa e são usuários intensivos da Internet. Dentro desse grupo, 71% geralmente consultam o noticiário online, enquanto 59% obtêm as notícias das estações de televisão locais, segundo o estudo. Pouco mais da metade recorre às notícias de rádios ou TVs de alcance nacional num dia comum e cerca de 40% recorrem a jornais locais.

“Os usuários de internet de alta velocidade também consultam intensamente outras fontes de mídia, mas a escolha predominante das notícias online indica que isso molda as escolhas de informações off line de uma forma relevante”, disse John B. Horrigan, o principal autor do relatório

O relatório e as previsões, emitidos pelo Pew Research Center, em Washington, são baseados em entrevistas conduzidas em novembro e dezembro com 3.011 americanos, sendo 1.931 usuários da Internet, dos quais 1.014 com conexões de alta velocidade em casa.

O relatório mostrou que os entrevistados tendem a recorrer a sites na web de fontes tradicionais de mídia para obter notícias. 46% dos usuários da internet responderam que consultam os sites de canais de televisão de alcance nacional tais como a CNN e a MSNBC; 39% consultam portais na web tais como o Yahoo ou Google; 32% acessam o site de um jornal local; 31% preferem acessar o site de uma estação de TV local; e 20% consultam o site na web de um jornal diário de circulação nacional. O relatório calcula que 12% acessam os sites de organizações noticiosas internacionais, como a British Broadcast Corporation (BBC) ou a Al-Jazira.

Também entre os brasileiros, a internet é a maior fonte de informações, segundo pesquisa da Edelman, multinacional de relações públicas. De acordo com o levantamento, 26% dos formadores de opinião no Brasil usam a rede mundial de computadores para se informar. Nos EUA o índice é 20%, e na Europa, 19%.

Os resultados foram apresentados pelo diretor administrativo da Endelman no Brasil, em palestra no Comitê de Marketing da Câmara Americana de Comércio, em São Paulo. Segundo ele, a internet no Brasil está à frente de jornais, revista e televisão nesse aspecto.

O estudo mostra ainda que 28% dos entrevistados dispõem-se a divulgar suas insatisfações pela Internet, utilizando principalmente canais como blogs e páginas do Orkut.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.