Internet móvel tem grande potencial no Brasil

13/9/2002Pesquisa realizada pela A.T. Kearney mostra que 59% dos usuários utilizariam serviços de pagamento pelo celularLigia G. SanchezO mercado brasileiro apresenta um grande potencial para os serviços de m-cash (mobile cash), ou seja, a possibilidade de efetuar pagamentos por produtos e serviços por meio do celular. A conclusão é de Marcello Mussi, consultor de telecomunicações da A.T. Kearney, com base na pesquisa Mobinet. “O Brasil registrou o menor índice de conhecimento sobre o serviço, com 13%, contra 42% na média mundial. Apesar disso, 59% dos entrevistados acenaram para o uso da solução, em comparação aos 39% da média mundial”, explica Mussi.O estudo Mobinet, que entrevistou seis mil usuários de telefonia móvel em 15 países, foi feito pela consultoria A.T. Kearney, em parceria com o Judge Institute e a Escola de Administração de empresas da Universidade de Cambridge (Inglaterra).Entre os destaques da revelados pela pesquisa no Brasil está o setor financeiro. Cerca de 7% dos usuários de Internet móvel afirmaram acessar dados do setor de finanças via celular freqüentemente. “Há três fatores que explicam esse resultado. Em primeiro lugar, a tradicional liderança do país em serviços bancários criou um ambiente propício para que esses serviços se desenvolvam. Depois, a curiosidade e abertura do brasileiro à inovações tecnológicas. E por último, o aspecto da segurança de realizar operações financeiras remotamente”, analisa Mussi. Segundo o consultor, o uso ainda é pequeno frente ao potencial do mercado. “O setor financeiro saiu na frente porque os bancos estavam preparados”, comenta. Mas o importante é a abertura dos brasileiros, que revelaram altos índices de intenção de usar os serviços móveis em todos segmentos. O envio de mensagens via SMS é um exemplo. No Brasil, cerca de 90% do público entrevistado nunca usou este serviço, mas 55% deles demonstraram interesse. “Nem todos os aparelhos estão capacitados a enviar e receber mensagens por SMS, há uma restrição do handset. E o serviço não foi amplamente difundido, ultimamente é que algumas operadoras estão divulgando o SMS, e de forma segmentada. Além disso, o custo também influencia”, declara Mussi.Num mercado em que apenas 21% dos entrevistados acessam Internet móvel, apesar de 36% já possuírem aparelhos aptos, algumas respostas foram um pouco incoerentes. “O Brasil ainda está em um estágio de evolução um pouco atrasado na telefonia móvel. Muitos entrevistados demonstraram-se confusos quanto à tecnologia em questão, confundindo termos como SMS, WAP, Internet”, ressalta o consultor.Ligia G. Sanchez é repórter do Intel Hot Site. Email: mailto:lsanchezitmidia.com.br

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *