Governo do RS poupa R$ 50 milhões com pregão eletrônico


26/01/2004

Maior transparência nas transações, redução em até 40% no tempo do processo de compras, economia de cerca de R$ 50 milhões anuais na aquisição de bens, integração com as mais diversas secretarias e órgãos do governo, plataforma aberta, acesso ao código fonte e software livre.

Tudo isso rodando sobre um ambiente seguro e de alta disponibilidade. Esses foram alguns dos resultados da aplicação de Pregão Eletrônico do Governo do Rio Grande do Sul, desenvolvido a partir da parceria entre a Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande do Sul (Procergs), Cybiz e Oracle.

Inaugurada em 29 de outubro, a solução tem permitido ao governo estadual uma economia expressiva nos preços de mercadorias em leilão. Dia 11 de dezembro, por exemplo, a Secretaria de Justiça, ao adquirir 72 veículos pelo pregão on-line, abateu R$ 500 mil de uma compra cotada a R$ 3,2 milhões.

Inicialmente adotada pela Celic (Central de Licitações), ligada à administração estadual, a solução será usada, ainda, pelo Banrisul, banco estadual gaúcho. A instituição deverá dispor de um portal que abrigará licitações eletrônicas de prefeituras e órgãos públicos.

“Estamos falando de um projeto de R$ 1,6 milhão, resultado de um ano e meio de planejamento e análise”, comenta Nelson Segredo, coordenador do projeto na Procergs (Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande do Sul). Segundo ele, cinco soluções foram avaliadas a partir de 86 requisitos. “Em primeiro lugar, o aplicativo deveria rodar sobre ambiente multiplataforma e ser construído em linguagem Java”, comenta.

A Procergs também deveria ter acesso ao código fonte e, obrigatoriamente, todos os fluxos do aplicativos se adequariam às exigências da Lei de licitações 8.666 de 1993. Por fim, era imprescindível que a solução contemplasse a integração com as bases de dados e os legados de diversas secretarias, de forma a acessar o cadastro de clientes e de inadimplentes do Tesouro do Rio Grande do Sul, a lista de fornecedores do Estado, o cadastro de materiais, entre outros.

“Em resumo, queríamos aproveitar os sistemas de que já dispúnhamos, mas a solução deveria rodar sobre um banco de dados robusto e cuja tecnologia nos desse segurança”, comenta Segredo. O coordenador do projeto Procergs lembra que a implantação da plataforma deu-se em tempo recorde: 29 dias. “Foi um grande sucesso. A solução atendeu nossas expectativas tanto do ponto de vista do aplicativo, da robustez da tecnologia empregada, da alta disponibilidade do ambiente e da consultoria envolvida”, comenta.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.