Gerenciamento eletrônico de documentos deslancha no Brasil


28/08/2003

Não só uma oportunidade para reduzir gastos com impressão e localização de documentos nas corporações, mas também a preparação para outros projetos online, seja acesso interno ou comunicação com a cadeia de suprimentos. Esses são alguns dos motivos para crescimento do mercado de GED (Gerenciamento Eletrônico de documentos) no Brasil.

Segundo um estudo realizado pelo Cenadem (Centro Nacional de Desenvolvimento do Gerenciamento da Informação), entre os anos de 2001/2002 o crescimento anual assistido foi de 52,7%, por causa da integração do GED com outras tecnologias como ERP, e-business, e-commerce e sistemas de relacionamento com o cliente. Workflow com imagem de documentos cresceu 61% ao ano.

Já para o período 2002/2003, a integração com outras tecnologias surge em 37% dos budgets. Empresas e organismos estão pensando na possibilidade de integração de sistemas ERP, CRM eBusiness, eCommerce ou EBPP com soluções de GED ou COLD. Mas 14,8% não estão preocupadas com isso.

A pesquisa também mapeou a intenção das empresas em ter e-business, GED, workflow e COLD na Web. O resultado, apurado com 421 empresas e organismos públicos, apontou que 31,7% da empresas pretendem ter e que somente 11,4% já têm tais sistemas em uso. Apenas 1% pretende utilizar o ASP (Application Service Provider). A área governamental é a que demonstra mais interesse em GED e tecnologias afins: 27,4% dos entrevistados.

Como reflexo do estudo realizado pela Cenadem, muitas corporações que adotaram ferramentas de GED no passado atualmente colhem os frutos que começam a surgir ou avançam com integrações em sistemas, como o de gestão. Um exemplo é a Dow Química, que iniciou o projeto há três anos com a necessidade de reaproveitar e recuperar todas as informações geradas do departamento de pesquisa e desenvolvimento, uma das áreas críticas que consome muito papel. (segue)

Paula Zaidan

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.