Fórum Mundial usa You Tube para debate social

04/04/2008

O World Economic Forum lança nesta sexta-feira a “Pergunta da América Latina”, hospedada pelo YouTube, para criar um debate on-line em vídeo a respeito do futuro da região, com o objetivo de gerar um diálogo aberto entre a sociedade e os líderes globais participantes do World Economic Forum da América Latina.

A pergunta é a seguinte: “Quais são as principais ações que os países, as empresas ou as pessoas devem tomar para fazer da América Latina um lugar melhor em 2008?”

As melhores respostas serão transmitidas durante a reunião regional do Forum, que será realizado nos dias 15 e 16 de abril, em Cancun, no México. O evento congregará mais de 500 dos principais líderes globais das áreas: empresarial, político, governamental, acadêmico, da sociedade civil e da mídia, vindos de 46 países.

A “Pergunta da América Latina” faz parte da iniciativa Davos Question, lançada na Reunião Anual 2008 do World Economic Forum em Davos, na Suíça, e que foi assistida por mais de 8 milhões de pessoas no YouTube.

As respostas a “Pergunta da América Latina” podem ser enviadas em Português http://br.youtube.com/questaolatina. Todos os participantes da reunião serão incentivados a responder aos vídeos enviados pelo público numa área específica para a gravação patrocinada pelo YouTube.

“A interação por meio da plataforma de vídeo do YouTube cria uma oportunidade única para abrir nossos debates ampliando para uma audiência global”, afirma Emilio Lozoya Austin, diretor para a América Latina e Conselheiro do World Economic Forum.

As sessões plenárias serão filmadas pelo Canal Once do México e disponibilizadas no site do Forum no YouTube: http://youtube.com/worldeconomicforum.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.