Fogos no céu


Há quantos anos seguimos o mesmo ritual? Champagne, ceia e contagem regressiva. Fogos estouram no céu, brindamos a esperança, fazemos mil promessas e…

Aonde você estava no dia 1º de janeiro de 2002? Quem eram aquelas pessoas? Amigos? Parentes? Você era um ano mais jovem e tinha outros 12 meses pela frente. Exatos 365 dias, 8.760 horas ou 525.600 minutos para promover mudanças importantes em sua vida.

Lembra quando começou a queima de fogos? As pessoas se abraçando e cantando para comemorar o início de um novo tempo? Lembra das imagens que vieram a sua mente? Seu planos? Seus projetos? O que você prometeu a si mesmo? Quem serviu de testemunha? Com quem você compartilhou seus sonhos? Escreveu no papel?

Vamos voltar um pouco mais no tempo. Lembra que o mundo ia acabar em 2000? Pois é… já fazem dois anos. O que mudou na sua vida? Você engordou ou emagreceu? Você trocou de carro? Abriu um negócio próprio? Mudou de emprego? Voltou a estudar? Quem nasceu? Quem deixou saudades? Quem viajou para longe? Quem perdeu contato?

E se voltarmos mais três, quatro ou cinco anos atrás? Aonde você estava no dia 1º de janeiro de 1998? Quanta coisa mudou em 60 meses, hein? Foram 1.824 dias, 43.776 horas e 2.626.560 minutos. Quem entrou na sua vida? Quantos sonhos se realizaram? O que você plantou naquele tempo e está colhendo hoje? Foi planejado? Deu certo?

Ah! Foi por acaso? Foi um golpe de sorte? Ou foram anos ruins, que você gostaria de esquecer? Foi um tempo de prosperidade ou você andou em círculos, fazendo as mesmas coisas de sempre? Você evoluiu, ficou estagnado ou regrediu? Foi mérito de quem? Foi culpa de quem? Qual foi o maior erro e o melhor acerto? O que você aprendeu? Quantas oportunidades deixou escapar? Chorou mais de alegria ou de tristeza?

Amigo, não quero julgar seus atos — e nem te deixar cabisbaixo, se esses não foram os melhores anos da sua vida. Apenas, gostaria de ajudá-lo a refletir sobre o que tem feito com a maior riqueza que tens: o tempo.

Tempo é unidade de vida. Pense bem: quanto vale uma hora da sua vida? Quanto vale um dia? Um mês? Um ano? Quanto tempo você desperdiçou nesses últimos cinco anos, procurando objetos perdidos, comendo demais, dormindo demais ou adiando as decisões mais importantes da sua vida? Por quanto tempo você esteve preocupado com assuntos pequenos, que poderiam ser resolvidos com menos desgaste mental e físico? Uma hora por dia?

Quanto tempo você passou se enganando, inventando planos que nunca colocou em prática? E quanto tempo você perdeu, se doando demais ao trabalho que não te satisfaz, por um salário que não compensa?

Agora, imagine se você tivesse investido essa hora útil por dia, durante os últimos cinco anos, para realizar uma daquelas promessas de fim de ano que você fez, e nunca teve tempo de cumprir. Teriam sido 1.824 horas dedicadas a construir um novo caminho, aprender uma profissão, desenvolver um negócio próprio, estudar violão, escrever, fazer ginástica… ou seja, falta de tempo não é desculpa. O que falta, na verdade, é um real comprometimento com seus sonhos.

Por favor, não continue se enganando pela falta de tempo. Não reclame dos outros, da crise ou das dificuldades que a vida lhe impõe. Olhe-se no espelho e comprometa-se a mudar, a partir de si mesmo. Mude suas atitudes e o resto vai acontecer, melhor do que você imagina.

Se vai fazer promessas de fim de ano, anote em um papel e cole na geladeira. Você precisa se lembrar dos seus objetivos todos os dias. Antes de dormir, avalie se dedicou pelo menos uma hora produtiva a realizar seus sonhos. Mantenha o foco no que é realmente importante para a sua felicidade e seja consistente em suas ações.

Quando você promete mil coisas, todos os anos, e deixa de cumprir, cria o hábito de inventar desculpas para si mesmo. Pare de se enganar!

Neste ano, quando os fogos estourarem no céu, tome uma decisão verdadeira. Faça um planejamento para realizar seus sonhos e acompanhe isso diariamente. Seja responsável com o seu futuro e saiba aproveitar melhor o próprio tempo.

O segredo das pessoas de sucesso é valorizarem o tempo como o bem mais precioso que têm. Elas assumem o controle de suas vidas e não aceitam desculpas. São capazes de caminhar na mesma direção, até alcançarem seus objetivos, pois sabem que nada acontece do dia para a noite. Para elas, tarde é não começar…

Você também pode ser assim. Feliz 2003, com paz, saúde e prosperidade!

SERGIO BUAIZ – Publicitário, escritor, consultor e conferencista. Autor do livro “Marketing de Rede – A Fórmula da Liderança”, membro do Conselho Editorial da Revista VENCER! e Embaixador da Universidade do Sucesso.
Leia seus últimos artigos: http://www.sergiobuaiz.com.br

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.