Empresas usam internet para fazer negócios e aumentar vendas online

Empresas utilizam cada vez mais a internet para fazer negócios e aumentar vendas

Empresas de todos portes utilizam a internet como principal canal de negócios e vendas online apostando no e-commerce para aumentar faturamento

Com 53,7 milhões de usuários ativos que gastam, em média, 47 horas por mês navegando, o Brasil é o terceiro país com mais pessoas conectadas no mundo, segundo o IBOPE Net Insight. Todo esse universo de internautas acessa as redes sociais, lê notícias, joga, assiste vídeos, faz pesquisas e compra online.

Segundo a e-bit, empresa associada à Camara-e.net e especializada em informações sobre comércio eletrônico, o e-commerce no país fechou 2012 com R$ 22,5 bilhões de faturamento. Para 2013, a expectativa é que ocorra um crescimento de 25%, chegando a R$ 28 bilhões.

E o futuro promete ser ainda mais promissor para os negócios na internet.

Um estudo encomendado pela PayPal afirma que as vendas online devem triplicar nos próximos cinco anos. A pesquisa, realizada pela Nielsen, aponta que o comércio eletrônico entre Austrália, Brasil, China, Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos irá elevar suas vendas de US$ 105 bilhões neste ano para R$ 307 bilhões no ano de 2018.

A maior facilidade dos consumidores em comprar na internet e o nível de segurança das compras online são as razões apontadas para que essa expectativa se confirme. O nível de segurança das compras online de produtos que era visto como duvidoso pelos consumidores foi superado nos últimos anos. O consumidor compra cada vez mais pela internet que já registra um ticket médio de R$ 350,00.

As oportunidades de negócios proliferam a todo momento na internet. A cada dia, surgem no país vários novos negócios que encontram no mundo digital um terreno fértil para seu desenvolvimento.

Todo esse cenário vem ajudando startups a se afirmarem no mercado online. Foi o que ocorreu, por exemplo, com Rogério Salumi e Anselmo Endlich que atuavam no setor de food service e em 2008 resolveram deixar tudo para trás para investir no mercado de vinhos, quando fundaram a loja de vinhos Wine.com.br.

Depois que um investidor garantiu o suporte financeiro no início das operações, a empresa recebeu um aporte da e.Brics Digital, do Grupo RBS. Desde então, vem dobrando de tamanho a cada ano, faturou R$ 60 milhões em 2012 e, com mais de 70.000 clientes ativos, quer chegar aos R$ 120 milhões este ano.

Por outro lado, é comum ainda que outras empresas sejam mais comedidas na hora de empreender no universo digital para fortalecer seus negócios.

As Casas Leo, uma empresa varejista de Recife, pouco explorava as possibilidades de marketing e vendas facilitadas pela internet. Com seis lojas no Brasil, a companhia realizava negócios exclusivamente no balcão e a comunicação com o público acontecia apenas através de cartazes fixados nas paredes.

Para construir um ambiente online de negócios e comunicação com os clientes, a empresa investiu algo em torno de R$ 80 mil e passou a contar com um sistema de pagamento online, TVs corporativas instaladas nos pontos de venda, além de uma presença constante nas mídias sociais.

Apesar de ter demorado um pouco, hoje inserida na era digital, a rede já vende seus produtos pela internet. A conseqüência é que o canal de vendas e comunicação através da web alavancou sobremaneira o faturamento da empresa.

Investir no mercado online não precisa ser tão caro. Dependendo do ramo de atividade, os investimentos são baixos e podem ser desenvolvidos de forma segura. O mais importante é que a internet é o veículo que proporciona mais facilidades quando o objetivo é conquistar clientes e fazer negócios. O que não pode faltar é planejamento e determinação.

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *