Empresas criam seus próprios ”orkuts”

19/11/2007

O sucesso das redes de relacionamento pela internet, como o Orkut e o MySpace, fez com que algumas empresas começassem a oferecer um novo tipo de serviço a seus clientes: redes de relacionamento exclusivas.

A academia Companhia Athletica criou para seus alunos o GenteCia, uma rede onde os alunos podem criar seu perfil, exibir fotos, criar comunidades e até postar anúncios. "Dos 30 mil alunos da rede, 6 mil já estão participando", conta o diretor de marketing da academia, Marcos Nisti. O número pode estar longe dos 30 milhões de brasileiros presentes no Orkut, ou dos 620 mil no MySpace, mas para Nisti é um ótimo resultado. "São 20% de alunos conectados. Para uma empresa que tem como missão promover o bem-estar físico e fazer amigos, estamos no caminho certo."

Um recurso muito utilizado no GenteCia, segundo o diretor, é a ferramenta de busca de profissionais. "Um aluno que é pediatra ou personal trainer, por exemplo, pode colocar informações profissionais no site", diz. "E é muito melhor você encontrar um profissional que freqüenta o mesmo lugar que você – no caso, a academia – do que um desconhecido, não?"

O projeto da Companhia Athletica exigiu um investimento de R$ 80 mil e foi realizado pela Focusnetwork. "Criar uma rede de relacionamentos foi uma ótima estratégia, porque os alunos têm gostos parecidos, são em geral jovens de classe A que gostam de exclusividade", diz Rafael Kiso, diretor de tecnologia da Focusnetwork. "Não estão no ?ambiente comum? do Orkut, mas podem se relacionar com pessoas semelhantes."

Segundo ele, nem toda empresa precisa ter uma rede de relacionamentos própria. "Não vou dizer que dá certo para todas. Mas há mais empresas buscando esses recursos." A obrigação é, no mínimo, conhecer as ferramentas e saber a opinião das pessoas sobre a empresa nesses ambientes. Ele dá como exemplo as comunidades do tipo "eu adoro" e "eu odeio", tão comuns no Orkut. "É importante saber se há mais pessoas adorando ou odiando a sua empresa, e por quê."

Nesse sentido, as redes são fontes de informação riquíssimas. "Você descobre do que seus clientes gostam. Fica mais fácil atendê-los." A Companhia Athletica começou a oferecer mais simulações de esqui após detectar que muitos alunos pensavam em viajar para praticar o esporte.

A rede de escolas de idiomas Yázigi também criou um site de relacionamento, chamado Meet Mates, para alunos de 11 a 14 anos. Há espaço para criar perfil, postar fotos e vídeos e fazer diários. "A idéia inicial era criar um site para a realização de cursos à distância", explica a diretora de tecnologia do Yázigi, Gina Bononi. Mas, após observar o quanto jovens gostavam de participar dessas comunidades, veio a decisão de criar uma parecida, até como ferramenta para praticar o idioma.

"Os moderadores são os professores da escola, e os alunos escrevem em inglês." Todo o site é na língua inglesa, idioma oficial dos fóruns. O Yázigi investe, anualmente, de R$ 800 mil a R$ 1 milhão em desenvolvimento e manutenção de recursos de internet.

Marcelo Coutinho, diretor de análise do Ibope Inteligência, diz que "comunidades" na internet montadas por empresas ainda são incipientes, mas vão crescer. "Elas estão percebendo que a publicidade mudou e a melhor maneira de chegar a um consumidor é pela indicação de um amigo. Afinal, você confia mais em um anúncio ou em um amigo?"

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.