Editora Ibrasa lança \”Guia de e-mail Marketing\”


24/11/2003

No próximo dia 1 de dezembro, a Editora Ibrasa lança olivro “Guia de e-mail marketing”.

O livro tem como objetivo servir de ferramenta para empresas e profissionais de marketing interessados em desenvolver estratégias de e-mail marketing de forma eficaz e eficiente. Além disso, o livro pode também ser utilizado como fonte de informação para estudantes e professores da área interessados em aprender mais sobre como planejar, executar e medir o sucesso de uma campanha de marketing por e-mail.

Quando se fala em e-mail marketing, deve-se considerar dois tipos de estratégia: aquisição e retenção. Estratégias de aquisição podem ser definidas como campanhas de e-mail marketing que têm como objetivo fazer com que o receptor realize uma ação com relação a mensagem apresentada – é uma mensagem de e-mail com uma oferta explícita para que o receptor compre algo, solicite informação, preencha uma pesquisa, faça assinatura de uma publicação online ou off-line, etc. Já estratégias de retenção buscam desenvolver um relacionamento duradouro com os clientes mais valiosos através de newsletters por e-mail, com o objetivo de informar sobre produtos e serviços, conhecer mais sobre os clientes e promover estratégias de up-sell ou cross-sell (vendas casadas/cruzadas de produtos/serviços complementares).

O marketing avança na mesma velocidade em que avançam a tecnologia e os meios de comunicação. Todos os meios de comunicação passam a ser mais um meio de marketing: foi assim com a imprensa, o rádio, a televisão e a Internet. E todos estes diferentes meios de comunicação convivem de forma harmoniosa e passam a fazer parte do mix de marketing de forma integrada.

A quantidade de informação disponível para o público em geral aumenta de forma acelerada, mas a sociedade se adapta à estas mudanças e passa gradativamente a utilizar estes novos meios de comunicação em seu dia-a-dia. Com tanta quantidade, é preciso apresentar qualidade e relevância, segmentar interesses e respeitar a privacidade do público em geral para conquistar sua atenção e, conseqüentemente, a permissão de apresentar a sua idéia, seja ela comercial ou não.

Profissionais de marketing, independente do mercado de atuação, enfrentam exatamente o mesmo desafio: como destacar a sua mensagem entre dezenas, centenas ou até mesmo milhares de outras mensagens entre estes diferentes meios de comunicação?

A resposta é simples: comunicação integrada de marketing. Seja em estratégias business-to-business (B2B – do inglês, empresa para empresa) ou business-to-consumer (B2C – do inglês, empresa para consumidor), é importante utilizar uma estratégia integrada de marketing e transmitir a mesma mensagem através dos diferentes meios de comunicação.

Por sua facilidade de rastreamento dos resultados e excelente custo-benefício (ROI – retorno sobre investimento) o e-mail marketing soa como música para os ouvidos atentos de professionais de marketing.

No entanto, é importante destacar que alguns destes professionais de marketing estão arriscando o potencial do e-mail ao agirem irresponsávelmente utilizando esta ferramenta de marketing de forma abusiva e exagerada.

O abuso do e-mail como forma de marketing, através do envio de mensagens comerciais não-solicitadas – conhecido mundialmente como SPAM -, vem provocando uma reação de indignação em legisladores, organizações de profissionais de marketing e da sociedade como um todo.

Nos Estados Unidos, a Direct Marketing Association (The DMA – www.the-dma.org) que antes chegou a encarar SPAM como algo aceitável, hoje é terminantemente contra o envio de mensagens não-solicitadas e criou até mesmo um guia com a melhor forma de utilizar o e-mail. No Brasil, a Associação Brasileira de Marketing Direto, ABEMD (www.abmd.org.br) seguiu a mesma tendência e criou um guia de “boas maneiras” para ações de e-mail marketing.

Ambas associações representam os interesses de responsáveis e conscientes profissionais de marketing e estão preocupadas em preservar o e-mail como ferramenta eficiente e eficaz de marketing.

Para evitar o rótulo de SPAMMER (distribuidor de SPAM), é importante entender que qualquer relação por e-mail, seja B2B ou B2C, deve ser sempre iniciada e encerrada pelo receptor da mensagem – jamais pela empresa ou agência de marketing. O receptor, seja ele o consumidor final (em uma relação B2C) ou um executivo (B2B), é quem tem o poder de iniciar e/ou terminar um relacionamento por e-mail. Cabe ao profissional de marketing fazer com que este relacionamento, durante sua duração, seja o mais proveitoso possível para ambas as partes.

Para maiores informações sobre o livro “Guia de e-mail marketing” visite www.ibrasa.com.br ou www.mktconsult.com. Ao visitar o site MKTConsult.com, você poderá fazer download de uma apresentação em PDF sobre o livro.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.