Criadora do e-mail propõe mudança


04/09/2003

Como uma mãe que renega o filho depois que ele saiu de casa, a pesquisadora americana Suzanne Sluizer afirmou que uma das estruturas-base do e-mail deve ser mudada para diminuir o número de mensagens eletrônicas não solicitadas (spam). Suas declarações teriam pouco impacto se ela, em agosto de 1980, não tivesse participado da criação do protocolo SMTP, responsável pelo envio de correio eletrônico. Especialistas apontam que, embora o diagnóstico de Sluizer seja correto, a mudança levaria anos para ser concluída.

O problema do correio eletrônico, apontado pela pesquisadora em entrevista ao site Cnet.com, é na sua origem. Ele foi criado para operar numa rede em que os operadores se conheciam e confiavam uns nos outros. O protocolo para envio do correio eletrônico, SMTP, não verifica a identidade de quem tenta mandar uma mensagem e, apesar da autenticação ser possível, ela depende da configuração do servidor de e-mail, o que nem sempre é feito.

– Pela minha experiência com computadores, acho que tentar resolver problemas do sistema atual é mais difícil que pensar no que se quer e inventar algo novo – disse Suzanne.

Outros engenheiros de sistemas concordam que algum tipo de mudança na infra-estrutura da internet deve ser feita para conter o spam, mas que ela pode demorar anos para ser implementada. – O SMTP vive uma crise parecida com a enfrentada pelo protocolo da internet (IP) há alguns anos. Está se trabalhando com o IPv6 (o novo protocolo da internet) há mais de cinco anos, e uma alteração no e-mail deve levar tempo parecido – diz a engenheira de sistemas da Rede Nacional de Pesquisas Renata Teixeira.

A autenticação dos e-mails defendida por Suzanne evitaria que spammers e vírus eletrônicos forjassem o cabeçalho das mensagens, usando endereços de terceiros, para esconder sua origem. (segue)

Bruno Lopes

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.