Consumidor ‘menos abastado’ está comprando mais na internet

07/03/2007

O comércio eletrônico está deixando de ser uma terra apenas para os gigantes digitais e vem conquistando também a confiança da micro e pequenas empresas do País. Segundo Pedro Guasti, diretor-geral do E-Bit, uma empresa de marketing online que realiza pesquisas sobre hábitos e tendências de e-commerce no Brasil, o consumidor menos abastado (com renda média entre R$ 1.000 e R$ 3.000) está comprando mais pela internet. No último ano, foi um crescimento de 37% nesta faixa.

“O acesso ao crédito e a facilidade de pagamentos, além do acesso digital, está trazendo este público para o comércio eletrônico. Pode ser um grande caminho para os pequenos negócios”, afirmou.

Guasti participou nesta terça-feira (6) do seminário ‘Comércio Eletrônico para a Micro, Pequena e Média Empresa’, o primeiro de oito eventos que acontecerão em algumas cidades brasileiras até o final de abril. Mais de 200 pessoas, a maioria empresários de pequenos negócios, participaram do evento no auditório da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), promovido pelo Sebrae, Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Câmara e-net) e Correios.

Segundo o diretor-geral, está havendo também uma mudança de comportamento nas compras de produtos na internet. Em 2002, os produtos mais vendidos eram CD, DVD e vídeos (cerca de 40% das vendas na internet). Em 2006, esse percentual caiu para 17%.
“A grande surpresa são os eletrônicos, produtos de beleza e saúde , informática e telefonia celular”, diz.

Outra vantagem para a micro e pequena empresa que quer concorrer com sua loja virtual são os links patrocinados em sites de busca como o Google. O anunciante paga apenas quando um usuário clica no anúncio. Esse valor é chamado de custo por clique (CPC). Quanto mais vantajoso for o anúncio para o cliente, mais posições ele consegue atingir no Google. Assim as pequenas empresas criativas e com bons produtos acaba concorrendo de maneira justa com os grandes portais comerciais.

Para Juan Quinteros, do BuscaPé, a internet está conseguindo democratizar o comércio no Brasil porque destaca as marcas independentemente do tamanho da empresa. Para anunciar no BuscaPé não é necessário ter um site. “Desenvolvemos uma plataforma que possibilita ao pequeno lojista ou prestador de serviços que não possui site interagir com o cliente”.

Essa ferramenta é o telefone PPC (Pague por Chamada). O empresário faz o anúncio do produto e o BuscaPé fornece um número de telefone que é direcionado para sua loja ou empresa. “Esse produto oferece ao cliente, além do número do telefone, acesso à gravação digital e à identificação da chamada. O melhor: é totalmente gratuito”, diz Quinteros.

O telefone PPC começou a operar em dezembro do ano passado. Segundo o representante da BuscaPé, até o final de janeiro já foram feitas 18 mil ligações. (segue)

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.