Compras online atingem cada vez mais setores


22/03/2006

Desde quando passei a comprar produtos pela Internet já tive boas experiências. Era 1995, e a loja CD Now (hoje em dia da Amazon.com) vendia CDs com preços muito mais acessíveis aos praticados no Brasil, além de um catálogo absurdamente maior. Além disto, naquela época não havia imposto nenhum para CDs, o que estimulava ainda mais meu desejo consumista.

De 1995 até hoje, muitas coisas mudaram. Continuo comprando minhas compras de supermercado em um mercado convencional, roupas em lojas, etc. Porém aqueles produtos que tradicionalmente comprávamos em grandes lojas de departamentos estão cada vez mais sendo comprados pela Internet também. Falo de grandes produtos, como máquinas de lavar, aparelhos domésticos grandes e pesados. Hoje em dia moro em Chicago, EUA, claro que o comércio eletrônico está em um estágio mais avançado em relação ao Brasil, porém em seu tempo são coisas que chegarão à realidade brasileira em breve. Posso dizer que a grande maioria de produtos razoavelmente pequenos e não-perecíveis eu compro em 2 sites em 90% das vezes: Amazon.com ou eBay. É tão simples e seguro que eu nem mais pesquiso em lojas tradicionais, tamanha é a vantagem até mesmo em termos de preço. Exemplo de ontem: procurando por uma máquina de lavar roupas, fui ao site de várias lojas tradicionais, e a mesma máquina estava custando entre US$350-400, e nenhuma das lojas tinha a máquina para pronta entrega, ou mesmo para minha avaliação na loja. Além disto, seria cobrado entre US$50-80 para entrega em minha casa, mais os impostos sobre a venda (8.5%). Fui na Amazon.com, e acabei achando a mesma máquina por US$269, com frete grátis e sem impostos. Além disto, havia 19 reviews sobre o produto, o que me ajudou a fazer a decisão de compra. Efetuada a compra ontem, hoje me enviaram a confirmação de envio, juntamente com o número de rastreamento da UPS.

Creio que o paralelo no Brasil seria com Americanas.com ou Submarino e Mercado Livre. Apesar das diferenças, ambos os sites estão no mesmo caminho, que é diminuir a fatia de dinheiro destinada ao intermediário. Com uma estrutura mais enxuta, o consumidor final acaba tendo grandes vantagens. Com cada vez mais vendedores profissionais em sites com o Mercado Livre, o consumidor conta também com a segurança do sistema de reputação, que praticamente garantem que o vendedor é idôneo. Na minha opinião o que realmente falta no comércio eletrônico brasileiro é um sistema de pagamentos mais simples e funcional tanto do lado do comprador quanto do vendedor. Os sistemas de cartão de crédito atuais são onerosos e bastante complexos de implementar, tornando muito difícil a participação de pequenos vendedores.

Leonardo

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.