Censura contra internautas que não apóiam guerra No ratings yet.


28/03/2003

Com uma semana de combates no Iraque, começam a surgir histórias de censura e constrangimento a indivíduos e serviços conectados à Internet. Uma empresa de hospedagens de sites da Flórida tirou do ar um pequeno serviço de notícias depois de comprovar que ele publicava as fotos de soldados norte-americanos capturados. Por várias horas, o site http://www.YellowTimes.org ficou offline, com uma frase no seu lugar: “A conta do domínio yellowtimes.org foi suspensa”. No final do dia ele voltou, mas lento. Segundo Erich Marquadt, editor, o site foi derrubado pela primeira vez no sábado à noite, instantes depois que ele publicou as imagens dos soldados presos no Iraque. A Vortech, empresa que hospeda o site, alegou que usuários reclamaram, e que as fotos se encaixariam na proibição de conteúdo adulto pela empresa.

Numa outra situação, divulgada numa matéria publicada pela revista eletrônica Wired, um usuário do serviço de leilões pela Internet eBay teve sua compra negada porque vive num país que não apóia a guerra.

David Ingram publicou o melhor lance para a compra de uma impressora no site, mas teve a transação cancelada depois que a empresa vendedora, CompAtlanta, descobriu que Ingram era canadense.

A empresa cancelou a transação com a seguinte mensagem: “No presente momento, nós não enviamos mercadoria nem aceitamos lances de países como Canadá, México, França, Alemanha ou qualquer outro que não apóie os EUA no seu esforço de livrar o mundo de Saddam Hussein. Se você não está conosco, está contra nós”.

Ingram declarou à Wired que “é ridículo me discriminar só porque sou canadense. Eu dei o lance maior e quero a impressora!”. Segundo ele, se o problema é preconceito, a CompAtlanta “deveria ignorar os 50% de democratas e 20% de republicanos que também não apóiam a guerra nos EUA”.

Numa nova estratégia, Ingram fez uma ótima oferta por um outro item e pediu que ele fosse enviado para um endereço dentro dos EUA. A mensagem da CompAtlanta não demorou a chegar.

“Obviamente você está tentando se livrar do fato de ser um canadense. Nós não honraremos seu lance e não enviaremos qualquer produto para nenhum local que você pedir”.

Na semana passada, o jornal alemão Deutsche Welle publicou a notícia de que uma fabricante de sapatos local havia perdido um contrato com uma firma norte-americana por causa da posição germânica contra a guerra. Também há relatos de boicotes de consumidores dos EUA em relação a produtos franceses.

Um porta-voz do eBay revelou que a CompAtlanta é a única empresa que tem boicotado compradores por causa da guerra. Ingram ainda espera pela chegada da impressora, mas, em caso negativo, pretende “fazer uma visita à loja, em pessoa”.

Fonte: JB Online

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *