Blogs roubam a cena na Web No ratings yet.


27/02/2003

Os visitantes do Daypop, um índice de sites pessoais conhecidos como blogs, foram apresentados esta semana a um novo recurso chamado word bursts, uma tentativa automatizada de identificar as palavras mais quentes do momento.

“São indicadores sobre aquilo que os autores de blogs estão escrevendo nesse instante”, afirmam os responsáveis pelo site.

O conceito dos word bursts foi tomado emprestado de um artigo da revista New Scientist sobre um matemático da Universidade Cornell, que desenvolveu a idéia. Ela terminou por ganhar vida própria, tornando as palavras em destaque populares nem que seja porque o site Daypop assim o afirma, e outros sites importantes da Web estão recorrendo ao Daypop para descobrir as últimas tendências. Esse é apenas o exemplo mais recente do poder dos blogs para formar percepções entre uma audiência crescente de leitores online.

Os blogs, diários online que floresceram inicialmente entre as aspirantes a escritores do ciberspaço, agora fincaram raízes nos escritórios e entre os universitários, e estão atraindo atenção da mídia, que quer se aproveitar de seu apelo.

Trata-se de ferramentas simples de editoração na Web usadas regularmente por centenas de milhares de interessados, que escrevem guias anotados sobre o melhor da Internet. E o frescor e paixão desses textos atraíram a atenção de grandes empresas, como prova a aquisição da pequena Pyra Labs, uma companhia tocada por um grupo de programadores de São Francisco que criou o Blogger, pelo Google, o mais importante serviço de buscas da Web. Mas a tecnologia não pode fazer muito por pessoas que tenham pouco a dizer.

Alguns blogs são apenas diários ou resmungos apresentados na forma de frases curtas. Mesmo que considerem os blogs como modelo de comunicação efetiva em pequenos grupos, os especialistas não têm muitos elogios aos blogs desse gênero, que definem como “diários de angústia”. (segue)

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *